A fórmula do sucesso da carioca que veio dos bailes funks e chegou a Times Square

Quando estourou pelas rádios brasileiras com “Show das Poderosas”, em 2013, Larissa de Macedo Machado ainda sonhava em alcançar voos altos. Como não esquecer de sua primeira ida a um outlet na Flórida, extremamente divertida, em que demonstrava sua euforia por estar em território internacional? De lá para cá, Anitta lançou mais discos, consagrou-se na música brasileira e chegou no topo, ao conquistar o território internacional e ser considerada a “Mulher do Ano” para a GQ, no ano de 2017.

Logo na primeira semana de janeiro, a cantora lançou “Loka”, em parceria com a dupla Simone & Simaria, que chegou à sexta posição da Billboard Brasil e uma das mais pedidas pelas rádios de todo o Brasil. O videoclipe já possui mais de 500 milhões de views, sendo o mais visto do Vevo até o momento. Pouco tempo depois, no dia 21 do mesmo mês, participou de “Você Partiu Meu Coração”, junto de Nego do Borel e Wesley Safadão, que foi o hit do Carnaval.

Maio marcou o início da carreira internacional, com o lançamento de “Switch”, com a rapper australiana Iggy Azalea. Na época, Anitta foi a primeira artista brasileira a ser convidada ao The Tonight Show, de Jimmy Fallon, fato comentado em êxtase pela internet. Entretanto, após o vazamento do videoclipe sem finalização, a divulgação e a posterior disponibilização foram cancelados, sem tantas explicações. Pensaram que ela deixaria de “rebolar a bunda”? Não mesmo! Logo no fim do mês, “Paradinha” chegou como a número 1 das rádios e figurou como um dos vídeos em alta, do YouTube. Atualmente, possui mais de 220 milhões de views.

Com uma hora lançado, “Sua Cara” já se aproximava das 3 milhões de visualizações no YouTube, firmando a parceria da carioca com Pabllo Vittar e o trio estadunidense Major Lazer. O hit que estourou em todas as plataformas digitais e rádios, também bombou na sétima edição do Rock in Rio, cantado por Vittar e a ex-vocalista do Black Eyed Peas, Fergie, dois meses depois, na época em que o projeto “CheckMate” fora anunciado. “Will I See You” foi o primeiro single, em parceria com Poo Bear e completamente em inglês, da série, que até o momento não havia data de término e tinha a promessa (cumprida com sucesso) de lançar uma canção por mês e intensificando a divulgação internacional. Em 13 de outubro, “Is That For Me” passou a figurar entre as mais ouvidas do Spotify e foi a mais vendida do iTunes Brasil, só no primeiro dia. Na mesma época, casou em segredo com o empresário Thiago Magalhães na Amazônia – local de filmagens do clipe, em segredo descoberto há pouco tempo por diversos sites.

No fim de novembro, o penúltimo single foi lançado, em parceria com J Balvin, “Downtown” – toda em espanhol e chegando aos charts de Portugal, Colômbia, Uruguai e Estados Unidos, sendo a última a de maior destaque com a divulgação em Las Vegas e na Times Square, em Nova York. E, finalmente em dezembro, Vai Malandra” encerrou com chave de ouro o projeto, com a colaboração de MC Zaac, o DJ Yuri Martins, Maejor e os produtores Tropkillaz. Como anunciado anteriormente aqui na Woo! Magazine, vários mistérios envolviam o clipe – gravado no Morro do Vidigal, no Rio de Janeiro. Antes das 24 horas após a divulgação, a música já ultrapassava 1 milhão de plays no Spotify Brasil e no YouTube. Chegou a 18º posição no Top Global, além de ter um outdoor exposto na Penn State, em Nova York. Já a capa do single deu o que falar, por apresentar uma placa “ANT 1256”, número do projeto de lei que visa criminalizar os bailes funk no Brasil.

Sem sombra de dúvidas, o ano foi de não só inúmeras conquistas para Anitta, mas a confirmação de que além de não ser apenas mais uma artista de um sucesso só, coisa que muitos acreditavam nos tempos do Show das Poderosas“, ela chegou sem data de partida e com a certeza de que esse é só o primeiro passo para brilhar aqui e no mundo inteiro.