Muitas atrizes ou atores hoje mundialmente famosos começaram suas carreiras muito jovens, quando ainda eram crianças. Nem todos os atores infantis de sucesso conseguiram manter-se atuando, como é o caso de Mara Wilson, que na década de 90 atuou em filmes como “Matilda” e vários outros de grande sucesso, ou Lindsay Lohan, rainha das comédias juvenis do começo dos anos 2000, mas que não conseguiu grandes papéis no começo da idade adulta e hoje tem uma carreira bem capenga.

Porém, várias atrizes fizeram bem essa passagem, e aqui temos cinco delas.

Drew Barrimore:

Conhecida pela menininha de “ET – O Extraterrestre”, Drew ficou muito popular na década de 80, virando uma das queridinhas de Steven Spielberg. No começo da adolescência, teve uma vida bem errônea com envolvimento com álcool e drogas, no entanto, ela conseguiu se recuperar e fazer uma carreira bem firme, com filmes que passearam entre a ação, como “As Panteras”, e comédias românticas, “Juntos e Misturados” e “Como Se Fosse A Primeira Vez”, até a popular série da Netflix “Santa Clarita Diet”, consagrando-se também como uma respeitável produtora e participando de algumas trilhas sonoras de filmes do qual foi parte.

Natalie Portman:

Natalie ficou conhecida pelo controverso “O Profissional”, fazendo alguns filmes com grande importância, como “Star Wars” e “CloserPerto Demais”, conforme ia deixando sua imagem infantil para trás. Considerada uma grande atriz, Portman não deixou de lado a vida estudantil, como vários de seus colegas de profissão. Mesmo sendo parte de grandes projetos, formou-se em duas universidades de renome, Harvard e a Universidade Hebraica de Jerusalém, dedica-se a filantropia e ainda conseguiu equilibrar seu lado sensível com uma carreira sólida, ganhando o Oscar de Melhor Atriz por “Cisne Negro” em 2010 e tendo outra indicação em 2017 por “Jackie”.

Emma Watson:

A atriz francesa – mas que viveu grande parte de sua vida no Reino Unido – ficou mundialmente conhecida pelos filmes de “Harry Potter”, onde começou a atuar quando tinha 10 anos, na pele da protagonista feminina Hermione Granger. Ainda que tenha feito poucas produções durante as gravações dos filmes baseados nas obras de J.K. Rowling, Emma conseguiu se destacar e foi a que melhor se saiu do trio estrelar (Daniel Radcliffe e Rupert Grint), fazendo filmes como o independente “As Vantagens de Ser Invisível”, o pop-cult “The Bling Ring: A Gangue de Hollywood” e o grandioso “A Bela e A Fera”, filme que atingiu uma bilheteria bilionária em 2017. Sem deixar de fora o lado pessoal, Emma ainda se formou pela Universidade de Harvard e é Embaixadora da Boa Vontade da ONU.

Scarlett Johansson:

Johansson iniciou a carreira ainda criança em 94, fazendo participações em vários filmes – como o 3º “Esqueceram de Mim”, filme gravado sem o protagonista anterior Macaulay Culkin – que não ganhou muita projeção, mas ainda assim chamando atenção conforme ia entrando na adolescência. Não foi até 2003, quando participou de “Moça Com Brinco de Pérola”, que retrata de maneira fictícia a famosa pintura de mesmo nome do pintor Johannes Vermeer, e do filme de Sophia Coppola, “Encontros e Desencontros”, que viu seu nome ganhar projeção e ser alçado ao primeiro time de Hollywood. A atriz também tentou carreira, paralelamente, como cantora, já tendo, inclusive, lançado alguns álbuns de estúdio. Seu trabalho é elogiado por muita gente do meio, e ainda que poucas pessoas lembrem-se de fato dela como criança, é difícil encontrar alguém que nunca tenha assistido um filme seu na Sessão da Tarde.

Elle Fanning (e mini bônus da Dakota Fanning):

Elle pode dizer que atuar é um negócio de família, afinal, sua irmã mais velha, Dakota, foi a primeira a se enveredar pelo cinema. E, ainda que tenha construído uma boa carreira, parece que a primogênita dos Fanning deu uma pausa para conseguir estudar. Elle, que apareceu pela primeira vez em um filme numa aparição rápida como a versão mais jovem da personagem da irmã no longa “Uma Lição de Amor”, se destacou em produções como “A Menina no País das Maravilhas”, vivendo uma garotinha que desenvolvia a Síndrome de Tourette (em um resumo rápido, essa síndrome desenvolve-se usualmente muito cedo e faz as pessoas que sofrem dela terem tiques e gestos involuntários), e “Nós Compramos um Zoológico”, como uma das filhas de Matt Damon. Já na idade de jovem adulta, a atriz foi responsável por filmes um pouco insanos como “O Demônio de Neon” e “O Estranho que Amamos”, que tiveram grandes momentos no Festival de Cannes.

Muitas outras atrizes podem ser partes desta lista, como Kirsten Dunst, Kristen Stewart, Jodie Foster… A lista é longa. Obviamente, também não deve ser esquecidos atores que conseguiram burlar a fofura infantil e se tornar grandes nomes. Porém, este é um assunto para uma próxima lista, quem sabe?