Você já deve ter reparado, obviamente, que o Instagram está cada vez mais parecido com o Facebook, lotado de propagandas e posts patrocinados. Vou te contar que isso me irrita profundamente, mas desde que a rede social “azul” colocou as mãos no “Insta” as coisas começaram a mudar, desde a logo à suas funcionalidades.

Para não dizer que eles plagiaram, roubaram a ideia, vamos dizer que eles se inspiraram, em outro App que estava bombando e passou a ter as mesmas funcionalidades que ele. Com isso, o Snapchat começou a cair em desuso por alguns, mas continua firme e forte em seu funcionamento e mantém com milhões de usuários diários.

Contudo, além da postagem de fotos e vídeos curtos dentro do próprio aplicativo, recentemente o Instagram começou a liberar a publicação de vídeos e fotos auto destrutíveis (como no Snap, que ficam disponíveis por 24 horas) e a máxima é que o aplicativo virou um X9, um fifi, uma fofoqueira, um linguarudo, e vai notificar se você tirar um screenshot (o famoso print,”printar” a tela).

A pessoa que você stalkeia, ou simplesmente segue porque acha legal, vai receber uma notificação dizendo que foi “printado” e quem o fez. Além disso, quando o usuário fizer o print de qualquer imagem dentro do Instagram, o próprio App vai “perguntar” se você quer mandar a imagem para algum amigo ou postar no seu perfil.

Não se pode mais guardar as coisas pra jogar na cara depois. Nem guardar aquele nude enviado quando a criatura estava bêbada e você queria guardar (não sei porquê). Vê se pode gente?!

Ok, mas não está tudo perdido para os stalkers de plantão: Vocês ainda podem fazer screenshots em fotos e vídeos postados no feed comum, ou no mesmo tipo de conteúdo compartilhado no Stories.