Uma história atemporal e universal

O mais novo projeto do grupo Amok Teatro, “Salina (A Última Vértebra), fez sua estreia na CAIXA Cultural Rio de Janeiro. Para a temporada de 6 a 30 de julho de 2017, estão acontecendo apresentações de quinta-feira a domingo. As sessões ocorrem às 19h nas quintas e sextas; e às 18h nos sábados e domingos. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.

Com direção de Ana Teixeira e Stephane Brodt, a peça dá vida ao texto do autor francês Laurent Gaudé e propõe um mergulho numa África ancestral ao abordar o exílio, o ódio e o perdão.  “Salina (A Última Vértebra)” conta a saga da personagem que dá nome ao espetáculo. Casada à força e violada por seu marido, ela dá à luz Mumuyê Djimba, um filho que ela detesta tanto quanto o pai. Quando seu marido se encontra agonizante num campo de batalha, Salina vive isso como uma libertação. Mas, acusada de deixar o esposo morrer, ela é banida de sua cidade e exilada no deserto.  Da sua ira e desejo de vingança, nasce Kwane, que trava uma guerra com seu irmão, Djimba. Uma reviravolta surpreendente acontece no destino de Salina e, da areia e das lágrimas, nasce o perdão.

“Inédita no Brasil, a obra propõe um retorno ao conto africano tradicional, onde encontramos o épico, as paixões, o combate e a parte sombria do indivíduo. O texto oferece um campo privilegiado para recriar uma identidade mestiça a partir da experiência dos atores e de elementos da cultura afro-brasileira.” – Ana Teixeira.

Criado pelo Amok Teatro, o espetáculo foi concebido através da formação de atores com oficinas, pesquisas de linguagem cênica, além de intercâmbio e ensaios. O projeto pretende ultrapassar o âmbito da estética e gerar espaços de reflexão através de uma história que vai da tragédia grega à epopeia africana.

O Amok Teatro

Dirigido por Ana Teixeira e Stephane Brodt, o Amok Teatro caracteriza-se pela dedicação a um processo contínuo de pesquisa sobre a arte do ator e as possibilidades de encenação. Desde sua fundação, em 1998, o grupo tem recebido diversos prêmios do teatro nacional e um grande reconhecimento da crítica e do público por seus espetáculos, sendo considerado, hoje, como uma das companhias de maior prestígio da cena carioca contemporânea.

Os processos de formação e criação estão profundamente ligados nos trabalhos do Amok Teatro. A pedagogia responde à necessidade de promover uma dimensão do teatro que não se limita à produção de espetáculos e busca transmitir valores artísticos que não têm como único objetivo os resultados.

Como marca, os espetáculos do grupo trazem questões contemporâneas sem perder de vista a afirmação da cena como um espaço cerimonial. Merece destaque, o trabalho anterior: “A Trilogia da Guerra. O projeto abordou 3 diferentes guerras com 3 linguagens cênicas distintas, circulando por várias cidades do Brasil e estando recentemente na China.

“O trabalho do Amok Teatro se caracteriza por um rigor formal e uma intensidade que se afirma no corpo do ator, como sendo o lugar em que o teatro acontece. Com Salina (a última vértebra), o Amok abre um novo ciclo de pesquisa, sempre centrada no trabalho do ator, mas desta vez, investigando as relações entre teatro e rito.” – Stephane Brodt.

Mais informações sobre o Amok vocês encontram no site oficial. Já o serviço de “Salina” está em nossa agenda. Bom espetáculo!

Agenda