O ator britânico Andy Serkis ficou conhecido pelo público ao interpretar Gollum na franquia “Senhor dos Anéis”. Após a impressionante atuação capturada digitalmente, Serkis virou referência na indústria e passou a emprestar seus movimentos e sua voz a outros personagens de grandes filmes Hollywoodianos. Nos três filmes da série “Planeta dos Macacos” o ator chega à perfeição ao criar Caesar, o líder dos macacos. Ele foi tão elogiado que houve uma grande campanha para que sua atuação fosse indicada ao Oscar, mas os membros da academia não estavam preparados para dar esse passo, e o ignoraram.

Serkis veio ao Brasil para promover o último filme e falou com a imprensa após uma exibição especial. Com seu jeito tímido, o interprete respondeu todas as perguntas com animação, parecendo satisfeito por estar ali. Um dos melhores momentos foi quando Serkis interpretou Caesar ao vivo para explicar as mudanças passadas pelo personagem do primeiro para o último filme. “No primeiro filme havia Silêncio entre o grupo e Caesar introduz a fala, o que foi um grande desafio. Como fazer Caesar falar convincentemente de forma humana? Na fala havia certo grau de urgência, não havia palavras construídas, era como se ele estivesse procurando as palavras, tentando um jeito de coloca-las juntas. Era o nascimento da linguagem, então ele dizia algo do tipo: ‘I do want more’ de maneira mais simples. Já em ‘A Guerra’ Caesar fala muito mais e nós tentamos achar uma forma de articular suas falas, tornando-as mais eficientes.  Há emoção, e de forma mais poderosa ele diz: ‘I did not start this war, The ape who did is dead, his name was Oba’ então há uma clara diferença entre as duas em termos de articulação.”

Quando perguntado se achava que deveria ser indicado ao Oscar por seus papeis em captura de movimentos, ele foi sincero: “Claro que sim, meu trabalho é como de qualquer ator, todas as dificuldades são iguais.” Ainda sobre a atuação em captura de movimentos ele se diz animado com o avanço da tecnologia e as novas formas em que ela será aplicada. Também deixou em aberto a volta ao universo de “Planeta dos Macacos” como outro personagem, dizendo que se houver um convite e o personagem o agradar, não haveria problemas em voltar. Serkis foi para trás das câmeras em dois filmes que irão estrear nos próximos meses e falou primeiramente de “Jungle Book: Origins” onde também atua e que conta com nomes como Christian Bale, Cate Blanchett e Benedict Cumberbatch. O outro filme é mais pessoal, diz Serkis: “Breathe é o nome do filme e conta a história real de um homem brilhante e aventureiro, que ficou paralisado por conta da poliomielite”. Veremos se o talento do ator também será demonstrado na direção, o que não é de se duvidar.