A cena não é incomum nas casas e escritórios de criadores. Tá tudo indo muito bem até que a mente parece se esvaziar de sentido. Não há imagens novas, palavras novas. A pessoa já sente aquele frio na espinha. É uma sensação familiar. Será o velho inimigo vestido de branco, popularmente conhecido como bloqueio criativo?

O bloqueio criativo seria a ausência de ter o que dizer. Naquele momento sua mente decidiu se esvaziar de imagens, de linguagem e complexidade. Será mesmo? Será que conseguimos ficar tão vazios assim ou só não conseguimos acessar momentaneamente alguma parte que guarda a caixa da criação?

Vamos ver uma lista com ações e formas de lidar com essa expressão que é o pesadelo de escritores, ilustradores, publicitários e criadores das mais diversas áreas.

1. Tire um intervalo breve

A mais simples das ações. Você experimentou levantar da cadeira? Ir até a copa e pegar um café? Observar enquanto as formiguinhas sobem no azulejo da cozinha? Primeiro é preciso identificar se o bloqueio é coisa de cinco minutos ou de dias. Pode ser só um engasgue nas sinapses e você pode ter se preocupado por nada. Então, o primeiro passo é identificar o tempo de estadia do dito cujo. Ele pode ser hóspede de feriado ou de férias prolongadas. Para a sua sorte esperamos que seja coisa breve.

2. Desanuvie os pensamentos

Você precisa escrever sobre a Inglaterra no século XV. Naturalmente vai achar que precisa pesquisar apenas coisas sobre a Inglaterra no século XV. Aí que está o engano. A mente humana é caprichosa e faz uns caminhos um tanto quando complexos. Comumente pesquisar sobre tópicos distantes do assunto que é objeto da vez se mostra muito mais efetivo que apenas buscar elementos no próprio universo desejado. Experimente fazer pesquisas online e em livros de coisas aparentemente desconexas com o que você precisa. Pode existir um rodapé de uma imagem que magicamente irá colocar o óleo na sua engrenagem. Não, não subestime os caprichinhos da mente humana.

3. Use as plataformas digitais, como Twitter e Pinterest

O twitter possui uma timeline que se alimenta o dia todo por pessoas criativas, engraçadas e politizadas. Seguir um número razoável de pessoas e ler um infinito de reclamações, observações e notícias pode ajudar a preencher aquilo que se encontra vazio em você. No caso do twitter só é preciso tomar cuidado para ele não se tornar o cantinho da procrastinação. Também é fácil se perder entre tantos assuntos e não voltar ao objetivo principal.

No Pinterest a lógica é um pouco diferente. Você será inundado por imagens num conceito não linear de timeline. E também é possível usar a plataforma para pesquisas de referência. Criando boards de inspiração dos mais variados, você pode dividir suas pesquisas por assunto ou apenas criar um grande quadro de desbloqueio. Seguindo a mesma lógica do item 2, não necessariamente você precisa pesquisar dentro do universo momentâneo. Pesquisar coisas aparentemente distantes no Pinterest pode ser mais produtivo. Imagens de lugares visualmente agradáveis, cores, culturas, arte, tudo isso pode descentralizar o pensamento e desbloquear o que está parado.

4. Utilize o transporte público

Sim, utilizar o transporte público pode parecer um desafio de paciência. Pessoas com perfumes extravagantes, música alta sem fone, empurrões e problemas de logística. Mas é exatamente disso que você precisa. Estar em contato com pessoas desconhecidas, viver a rotina comum, ouvir discussões entre passageiro e cobrador: sim, isso vai te ajudar. Se você já utiliza o transporte público diariamente, procure fazer um trajeto diferente. Fazer sempre o mesmo trajeto pode deixar a mente em um modo automático e menos atenta. Nesse momento, você precisa ver e ouvir, não dizer.

E não vale cochilar, é claro.

5. Crie prazos para si mesmo

O prazo é o pai da criatividade, quem não sabe disso? Se você já tem um prazo, crie outro ainda mais apertado. A pressão faz com que o nosso corpo dê um boost de energia e produza em algumas horas o que demoraria dias. Ter limitações, por mais estranho que pareça, incentiva a criatividade. Para isso, é preciso encontrar meios. E ela aparece justamente nos momentos de maior aperto. É só perguntar para quem vive ou viveu com pouca grana. Rapidamente o ser social monta redes de confiança, reutiliza objetos, basicamente: se vira. Então, prazos ou orçamentos apertados não são o terror da criatividade, são um grande incentivador.

6. Não se cobre tanto

Ok, você não está produzindo hoje. Será que isso é tão grave? Em algumas ocasiões a mente pede intervalos, ela sofre estafa, assim como o corpo. Tente fazer um músculo cansado levantar 20 kg. Não vai, não é? Por que com o cérebro seria diferente? Talvez você esteja produzindo continuamente há tempo demais e não tenha se dado conta disso.

Ah, é o seu ganha-pão? Não há como respirar? Negocie. Explicite para a equipe que você precisa de um tempo de respiro. Confie na compreensão das pessoas. Todo mundo passa por isso em algum momento e você pode encontrar, surpreendentemente, pessoas solidárias. Ok, estamos sendo otimistas, mas ser pessimista agora só vai prejudicar a sua autoestima enquanto pessoa que cria. Crises existenciais até podem ser produtivas, mas se achar a pior pessoa do mundo dificilmente irá ajudar.

Aceite que hoje você pode não produzir a coisa mais brilhante do mundo, mas se mantenha produzindo. Mesmo que ache tudo um lixo. Dificilmente é, e todos temos dias ruins.

7. Aceite o momento

Você já tentou de tudo. Já foi para a Ioga, já pulou de bungee-jumping, já tirou seu intervalo, fez o trajeto Pavuna-Barra da Tijuca (essa é para os cariocas) e continua bloqueado. Então, é hora de aceitar o momento. Se dê algo de presente. Vá ouvir o novo álbum da sua banda favorita no Spotify, passe nas lojas americanas e se dê 35 chocolates de presente, vá caminhar na praia. Pode ser que na lenta fila aconteça uma epifania e você nem precise ingerir tanto açúcar. Mas caso não role: se perdoe por hoje.

Não, ninguém vai morrer porque você não produziu. Você pode ficar frustrado consigo mesmo, o cliente pode reclamar, o chefe pode dar aquele esporro na frente da equipe, mas é apenas mais um dia na Terra. E aqui tudo o que parece grande costuma ter a importância de um grão de areia. Amanhã, você tenta de novo. E vai ser melhor, acredite. A inspiração do mundo não acabou. Nem a sua. É arte, mas também é trabalho. Imagine se a atendente na hora de passar o seu chiclete no caixa diz que não está inspirada para te atender naquele momento. Você reclamaria, certo? Então, nem sempre estaremos inspirados e brilhantes. Nem por isso pararemos.

Bom desbloqueio e keep cal… Opa, não precisa manter a calma, não. Tá autorizado a ficar nervoso. A raiva também nos ajuda a produzir.