• Reestreia: Dia 4 de março de 2017
  • Temporada: De 4 de março até dia 5 de abril de 2017
  • Local: Teatro Municipal Ziembinski
  • Endereço: Rua Heitor Beltrão s/nº, Tijuca – em frente à estação de metrô São Francisco Xavier.
  • Telefone: (021) 3234-2003
  • Bilheteria: De quarta-feira a domingo, das 14h às 20h.
  • Horários: Sábados e domingos, 16h
  • Duração: 40 minutos
  • Preço: R$ 40,00 (inteira)
  • Capacidade: 100 lugares
  • Classificação: Indicado para crianças a partir de 3 anos
  • Gênero: Infantil

“Boquinha… E Assim Surgiu O Mundo” une teatro, circo e música para falar sobre o surgimento do mundo segundo diferentes culturas. O espetáculo se passa no sótão da casa do menino João Vicente, onde ele encontra uma caixa com as pesquisas de seu avô escritor. Através dessas pesquisas, João Vicente e Boquinha, um pequeno ser feito de dobraduras de papel, viajam pelas culturas cristã, africana, chinesa, pela cultura dos índios brasileiros e pela ciência, para entender como o mundo foi criado.

Ficha Técnica

Texto: Lázaro Ramos
Direção: Suzana Nascimento e Lázaro Ramos
Interpretação: Orlando Caldeira
Direção de Movimento: Marcela Rodrigues
Trilha Sonora: Ricco Viana e Antônio Van Ahn
Luz: Valmyr Ferreira
Assistente e operação de luz: Cíntia Barbosa
Cenografia e Figurino: Alberta Barro e Gabrielle Windmüller
Design Gráfico: Fernanda Guizan
Fotos: Julio Ricardo
Pesquisa: Susan Kalik e Orlando Caldeira
Direção de Produção: Drayson Menezzes
Assessoria de Imprensa: Minas de Ideias

Informações

Lázaro Ramos – Com mais de 20 espetáculos no currículo, destacam-se: Mamãe Não Pode Saber, A Ver Estrelas, O Homem Objeto, O Método Ghonholm, pelo qual recebeu os prêmios Qualidade Brasil e Contigo na categoria melhor ator, e O Topo da Montanha, que além de atuar, também dirigiu o espetáculo. No cinema, estreou em Woman on top e participou de mais de 15 filmes. Como protagonista de Madame Satã, marco no cinema nacional, alcançou o estrelato sendo premiado no mundo inteiro por sua interpretação. Entre os filmes nos quais atuou destacam-se: O Homem que Copiava, Carandiru, Meu Tio Matou um Cara, Cafundó, Cidade Baixa, O Cobrador, Ó Paí Ó, S aneamento Básico e Amanhã Nunca Mais. Em 2010 e 2011 atuou nos longas O Grande Kilapy, O Vendedor de Passados, Tudo que Aprendemos Juntos, Mundo Cão e narrou o documentário Marighella. Na tv, participou de várias séries e novelas da rede Globo. Atualmente protagoniza a série Mr. Brau.

Orlando Caldeira Ator e circense, atuou nas novelas “Boogie Oogie” e “I Love Paraisópolis” ambas da Rede Globo. Atuou no clipe “Como é grande o meu amor por você” do cantor Lulu Santos com direção de Lázaro Ramos. No teatro, atuou nos espetáculos “A Menina Edith e a Velha sentada” com texto e direção de Lázaro Ramos, “As Aventuras do Menino Iogue” com direção de Juliana Terra e Arlindo Lopes, que lhe rendeu o Prêmio CBTIJ de melhor atora coadjuvante, e “Maravilhoso” – direção Inez Viana, com temporadas no Rio de Janeiro e Bogotá- C olômbia. Na cia de teatro carioca Troupp Pas D’argent, atua nos espetáculos “Cidade das Donzelas”, “Holoclownsto”, “Morro da Ópera” e “Lavagem” que foram apresentados no Brasil, Londres, Itália e Chile. Ministrou oficinas de teatro no Chile, Itália, Londres e Brasil (Santa Catarina, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Ceara, Minas Gerais e São Paulo). Foi indicado ao Prêmio de Melhor Ator no Prêmio CBTIJ de Teatro Infantil por seu trabalho em “BOQUINHA… E Assim Surgiu o Mundo…”.

Suzana Nascimento – Atriz, autora, apresentadora, diretora e contadora de histórias. No teatro, recebeu Prêmios de Melhor Atriz, Melhor Espetáculo em festivais internacionais, por Calango Deu! Os causos da Dona Zaninha, monólogo em que atua e assina o texto, sucesso de público e crítica em cartaz há 3 anos, dirigido por Isaac Bernat.

Na TV, é apresentadora do programa Janela Janelinha (TV Brasil – série em 27 episódios), em que narra contos tradicionais do mundo. Fez a direção cênica dos shows musicais : Dio&Baco, de Suely Mesquita e Eugenio Dale; O Canto da Madeira, de Federico Puppi; Carioquices, de João Cantiber.

Outros trabalhos mais relevantes no teatro são: El Pânico, direção de Ivan Sugahara; Consertam-se Imóveis, direção de Cynthia Reis (duas indicações no prêmio Cesgranrio); A história do Barquinho, direção de André Paes Leme (Prêmio Zilka Salaberry – Melhor Cenário); Preciso Andar, direção de Ivan Sugahara; A menina Edith e a Velha sentada, texto e direção de Lázaro Ramos (Prêmio Zilka Salaberry – Melhor Direção); O que você gostaria que ficasse, de Miguel Thiré (Brecha Coletivo) – representou o Brasil na Mostra Ano do Brasil em Portugal 2013; Peças de Encaixar (da Cia. Dos Atores – atriz e co-autora) direção de Cesar Augusto e Susana Ribeiro. Em performance atuou em: Cena para um figurino (solo) – selecionado para representar o Brasil na mostra oficial da Quadrienal de Praga 2011, em co-criação com Desirée Bastos. No cinema, destaca-se o curta-metragem Santas, de Roberval Duarte (Prêmio Melhor direção na estreia nacional – Cine Ceará 2012). Atuou como atriz e colaboradora no roteiro.