O carnaval (em teoria) acabou, e se teve uma coisa que vimos nas ruas foram mulheres empoderadas. Sem vergonha do próprio corpo, das próprias opiniões e, especialmente, mostrando que quem manda nelas são elas mesmas! Donas dos próprios narizes, cabelos e corpos. Uma coisa realmente inspiradora, que não deve parar em fevereiro. A luta segue forte e linda, e nós da Woo! só sentimos felicidade nessa mudança de comportamento.

Para além do carnaval, é cada vez mais presente (das reuniões de família às mesas de bar, passando pelos ambientes acadêmicos) a discussão sobre a necessidade de equidade entre gêneros. E pessoas que dão voz a essa causa merecem nosso respeito e atenção. E assim é o coletivo As Minas, formado por dez jovens atrizes que se uniram pela vontade de fazer a diferença em seus meios. Nas palavras do grupo:

“O Coletivo deseja que a arte interfira na vida, procurando fazer com que o público reflita sobre ações que incorrem na desigualdade de direitos entre homens e mulheres e busque acolher o feminino existente em todos. O objetivo é possibilitar, através do palco, um mundo em que um ser humano não seja subjugado simplesmente por fazer parte de outro grupo.”

Agora você se pergunta: Ok, mas no que isso tem relação com o #CarnaWOO? Pois te explico: O fato é que essas Minas incríveis estão desenvolvendo um trabalho teatral chamado “Eu (Quase) Morri Afogada Várias Vezes“, e para dar aquela ajuda no projeto (independente) fizeram a Poolparty mais empoderada dos festejos. Juntando no espaço da Casa Tuxi artistas, brechó, sarau, e é claro: Muito poder e “divosidade”. E, como moda também é (e muito) resistência, não poderíamos ficar de fora desse projeto lindo! Então fomos prestigiar o evento e trazer para vocês um pouco do que rolou e do que ainda está por vir.

A festa começou cedo com as musas super bem montadas “dando o nome”. Logo no comecinho rolou aquele PhotoShoot (mais do que necessário) feito por Danillo Sabino e pela lindona Gabriela Isaías (lembram dela? Dá uma olhada nessa linda aqui!). Os looks, repletos de brilho e atitude, deram aquelas boas-vindas ao carnaval em alto estilo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não demorou muito para os primeiros corpos adentrarem a piscina (até porque o calor estava bem típico do verão carioca). Com uma atmosfera leve e divertida, a festa correu com muitos papos empoderadores (tudo bem, está repetitivo, mas nesse caso não tem outra palavra que defina!). Conversar com as meninas e rapazes presentes mostrou o quanto estar próximo de pessoas que lutam por causas tão nobres é algo transformador em muitos níveis. Na rotina nem sempre se percebe as pequenas opressões (pois sim: nem sempre estamos falando só de cantadas baixas na rua).

Este contato próximo começa a mostrar que certas situações não podem e nem devem ser naturalizadas, que padrões se transformam e que, é nosso papel (aqui e agora) fazer a diferença. Meninas fora dos padrões estéticos eurocêntricos, meninas dentro desses mesmos padrões: TODAS! Todas sofrem uma grande pressão social em busca de uma perfeição irreal e desrespeitosa. Nesta festa conhecemos meninas com bagagens muito diferentes e que, pela oportunidade desse contato, passaram a perceber a força que possuem, e o poder transformador individual e coletivo. E alí, naquele ambiente tão descontraído, todo esse universo que teima em ditar regras perdeu a força, o sentido, o poder. Alí era o lugar da plenitude. Alí se reforçava a ideia de que esse sentimento merece ser degustado por toda e qualquer mulher (lésbicas,  gays, trans…) desse mundão. Nestes ambientes é fácil perceber que uma sociedade diferente é possível. Mas essa mensagem precisa ir além da “bolha artística” ou espacialmente segregada. E é por isso, mas não somente, que esse evento se fez tão especial no carnaval 2017.

Como já foi dito, o trabalho dessas minas vem sendo feito de forma independente e corajosa. E para possibilitar a realização do projeto, as meninas fizeram um Catarse (financiamento colaborativo) para quem se animar em ajudar com o que puder. Mas não para por aí não!! Para os apoiadores terão recompensas realmente maravilhosas (que vão de bottons e ingressos a aulas de dança, canto… além de acessórios.. Enfim, vale dar aquela conferida). E para acessar, clique aqui! E seja feliz apoiando esse trabalho tão bacana.

Para saber mais sobre as apresentações de “Eu (Quase) Morri Afogada Várias Vezes”, confira nossa agenda.

Agenda

CLOSE
CLOSE