Há duas semanas atrás tivemos aqui na Woo! um texto mostrando dicas de como começar a ler quadrinhos da Marvel, agora chegou a vez da DC. Vamos acompanhar diversos pontos de entrada para você, iniciante, que quer começar a ler DC Comics.

E antes que alguém que já leia quadrinhos venha reclamar, não citaremos aqui os quadrinhos da Vertigo, estes ficarão para outra parte.

Dito isto, vamos para nosso primeiro ponto de entrada. E não se preocupe, aqui você não vai ver ninguém resolvendo os problemas berrando “Martha”.

Crise nas Infinitas Terras

Diferentemente da Marvel, a DC não teve um “momento marcante onde a editora mudou de nome”, então acaba ficando ainda mais inviável começar do início de tudo. Mas apesar de tudo, há um ponto de mudança que serve como bom ponto de entrada para a leitura, a mega-saga “Crise nas Infinitas Terras”.

A DC, até a década de 80, vinha comprando muitas outras editoras menores e incorporando-as na forma de universos paralelos. Porém, essa prática levou a um estado em que ela tinha universos paralelos demais e estava perdendo o controle editorial. Para resolver essa bagunça, eles resolveram criar essa mega-saga onde um vilão novo ameaçava todo o multiverso e personagens de todos os universos precisaram se juntar para detê-lo.

Essa saga é considerada até hoje a maior saga da história da editora e influenciou muito do que veio depois. Também é uma excelente maneira de conhecer diversos personagens menores e menos conhecidos do público geral que dão as caras por aqui também. Outro ponto importante é que essa saga realiza o encontro entre as versões originais dos heróis (da década de 30/40), que aqui são atribuídos à Terra-2, e as versões mais atuais dos heróis, atribuídos à Terra-1.

Anos 90/2000

Quadrinhos em geral tem uma história cíclica e, no caso de Marvel e DC esses ciclos estão intrinsecamente ligados, então assim como a Marvel teve uma transformação na década de 90 que levou a todo uma nova fase de histórias na década de 2000, o mesmo aconteceu com a DC. Durante essa década, muitos dos heróis tiverem uma morte ou evento traumático que os mudou completamente e foi no início de 2000 que tudo isso repercutiu, levando a novas fases dos heróis e, novamente, um ótimo ponto de início para leitura.

Mas nem tudo são flores e há alguns poréns. Na década de 2000 tiveram duas mega-sagas chamadas “Crise Infinita” e “Crise Final” que são ótimas, mas necessitam que você tenha lido “Crise nas Infinitas Terras”. Uma boa abordagem seria ler este último primeiro e depois e seguir adiante com as histórias acima citadas.

Dicas de leitura:

“A Queda do Morcego” – Começando em Batman #491Detective Comics #659, porém a ordem dessa história acaba sendo um pouco confusa e aqui você tem uma descrição detalhada dessa ordem. Este é o famoso arco em que o Bane acaba com o Batman tanto física quanto mentalmente e serve como um ponto de partida para o personagem. Recomendamos também pular o segundo ato, chamado Knightquest, pois é focado no personagem Azrael e foi bastante criticado.

“A Morte do Superman” – Começando nas revistas Superman: Man of Steel #17, Superman Vol. 2 #73, Adventures of Superman #496Action Comics #683, mas assim como “A Queda do Morcego” é melhor acompanhar a ordem de leitura aqui ou ler os encadernados lançados pela Panini em dois volumes. Assim como com o Batman, este arco serve como um bom ponto de partida para o personagem.

“LJA (Liga da Justiça da América)” – Começando em JLA #1

“Lanterna Verde” – Começando em Green Lantern: Rebirth #1 a #6, publicado pela Panini em um volume encadernado, e seguindo para Green Lantern Vol. 4 #1.

“Flash” – Começando em The Flash Vol. 2 #62. Recomendamos o início no número 62 porque é quando Mark Waid assume os roteiros, recontando a origem de Wally West, o novo Flash.

Flashpoint/Novos 52

Como dito na primeira parte, em 2011 a DC  fez um reboot de seu universo chamado Novos 52. Este reboot veio como consequência de uma saga chamada Flashpoint (Ponto de Ignição no Brasil), onde o Flash faz uma besteira e o mundo inteiro muda, o Batman não é mais Bruce Wayne e Atlântida e Themyscira estão em guerra.

Apesar de muito controverso, polarizando bastante as opiniões, é uma fase excelente para novos leitores. Muitas das críticas feitas aos Novos 52 são na verdade de antigos leitores que não se acostumaram com a mudança.

Outro ponto que vale a pena citar é que nem tudo sofreu um reboot completo. As histórias do Batman por exemplo mantiveram muitos dos acontecimentos e o Lanterna Verde sequer sofreu qualquer mudança, seguindo exatamente de onde a fase anterior estava. Sim, isso significa que se você for um fã de Lanterna Verde, este aqui não é o ponto de entrada ideal para você.

Dicas de leitura:

Flashpoint – A saga que dá início a este universo, começando em Flashpoint #1.

Batman – Começando em Batman Vol. 2 #1Detective Comics Vol. 2 #1.

Flash – Começando em The Flash Vol. 4 #1.

Mulher Maravilha – Começando em Wonder Woman Vol. 4 #1, é uma das melhores fases da personagem, altamente recomendado.

Aquaman – Começando em Aquaman Vol. 7 #1. Recomendo a leitura apenas até a edição #25, após essa edição a qualidade cai drasticamente.

Liga da Justiça – Começando em Justice League Vol. 2 #1.

Arqueiro Verde – Começando em Green Arrow Vol. 5 #1, mas recomendo a leitura apenas da edição #17 a #34. Apesar de apenas essa parte ser realmente boa, ela é considerada por muitos a melhor história dos Novos 52 (ao lado do último arco de Liga da Justiça).

Rebirth

Como os Novos 52 polarizou as opiniões, a DC resolveu dar um passo atrás. Mas foi um passo atrás para dar muitos a frente. Ela terminou os Novos 52 na edição #52 de suas principais revistas e lançou um one-shot chamado DC Universe Rebirth, prometendo trazer de volta a qualidade e o sentimento heroico em suas histórias. E a editora cumpriu com a palavra publicando um one-shot quase unanimemente excelente. Após este,  os quadrinhos comuns receberam cada um, um one-shot com o subtítulo Rebirth, seguidos de suas edições comuns.

Em sua maioria, as revistas dessa nova fase foram muito elogiadas, recebendo a aprovação tanto de fãs antigos como de novos. Essa fase chegou a pouco tempo no Brasil, então é bem fácil começar a acompanhá-la.

Dicas de leitura:

DC Universe Rebirth – One-shot que dá início a essa nova fase.

Batman – Começando em Batman: Rebirth #1 e seguindo para Batman Vol. 3 #1.

Detective Comics – Começando em Detective Comics #934.

Hal Jordan e a Tropa dos Lanternas Verdes – Começando em Hal Jordan and the Green Lantern Corps: Rebirth #1 e seguindo para Hal Jordan and the Green Lantern Corps #1

Superman – Começando em Superman Rebirth #1 e seguindo para Superman Vol. 4 #1.

Action Comics – Começando em Action Comics #957.

Mulher Maravilha – Começando em Wonder Woman: Rebirth #1 e seguindo para Wonder Woman Vol. 5 #1.

Clássicos, Mega-sagas, Coleções e Elseworlds

Por fim, temos também diversos clássicos que servem como pontos de partida. Muitos deles até já citados como “A Morte do Superman”, “A Queda do Morcego” ou “Crise nas Infinitas Terras”, bem como diversas coleções em publicação, ótimas para iniciar sua leitura. Além destes, existem também os Elseworlds, universos paralelos onde pode acontecer de tudo e, por serem histórias fechadas, não necessitam de nenhum conhecimento prévio para a leitura.

Dicas de coleções:

DC Comics Coleção de Graphic Novels – Coleção publicada pela editora Eaglemoss contendo grandes clássicos da DC.

DC Deluxe – Coleção publicada pela Panini contendo grandes clássicos em formato de luxo

Novos 52 – Coleção publicada pela Panini contendo os melhores quadrinhos dos Novos 52

Dicas de clássicos:

Crise de Identidade – Minissérie em 7 edições com uma das melhores histórias da editora, infelizmente não podemos falar muito dela sem dar spoilers, mas recomendamos muitíssimo a leitura.

A Guerra dos Anéis – Arco do Lanterna Verde retratando a origem da Tropa Sinestro e a guerra com os Lanternas Verdes, compilado em dois volumes pela editora Panini.

Arqueiro Verde: Caçadores – Minissérie do Arqueiro Verde que retrata todas as principais informações sobre o personagem, quase um apanhado de tudo que é preciso saber sobre o Arqueiro, compilado em um volume pela editora Eaglemoss e em três volumes pela editora Panini.

A Piada Mortal – Uma das histórias mais clássicas do Batman, retratando a origem do Coringa, compilado em um volume pela editora Panini.

LJA: A Torre de Babel – Uma história da Liga da Justiça onde os planos de contenção do Batman para cada membro da Liga vão parar nas mãos de super vilões, compilado em um volume pela editora Eaglemoss e em um filme de animação pela DC Comics.

Dicas de Elseworlds:

Batman: O Cavaleiro das Trevas – Considerada por muitos a melhor história do Batman, essa história trata de um Batman velho e aposentado que resolve voltar a ativa devido ao aumento exponencial da criminalidade, compilado em um volume pela editora Panini contendo também a sequência altamente criticada.

Superman: Entre a Foice e o Martelo – Minissérie contando o que aconteceria se o Superman tivesse caído em plena União Soviética. História extremamente interessante, principalmente por não polarizar capitalismo e socialismo como exclusivamente bom ou ruim. Compilado em um volume pela editora Panini.

Injustiça: Deuses Entre Nós – Série de quadrinhos inspirada no jogo homônimo, contando o universo em que o Coringa sucedeu em um plano para fazer o Superman acidentalmente matar Lois Lane, o que leva o herói a beira da insanidade, tornando-se um ditador mundial. A série ainda está sendo publicada pela Panini e conta com dois encadernados de capa dura compilando os dois primeiros anos e oito encadernados de capa cartão compilando os quatro primeiros anos.

Reino do Amanhã – Minissérie mostrando um possível futuro para o universo DC onde os novos super heróis começam a tomar atitudes egoístas e os heróis antigos precisam voltar a ativa para consertar tudo. Compilado em um volume pela editora Panini.