Bisbilhotando a Netflix, à procura de seriados diferentes para jovens, provavelmente você irá encontrar “Merlí”, uma série espanhola, especificamente da Catalunha, falada em catalão, dirigida por Eduard Cortés, um diretor de Barcelona, e que, com certeza, merece ser vista.

“Merlí” é uma comédia dramática de 2015 que conta a história de um professor de filosofia nada convencional e de alguns de seus alunos – entre eles, o filho do professor Merlí (Francesc Orella), Bruno (David Solans). Cada episódio leva o nome de algum filósofo ou grupo de pensadores que o professor ensina nas aulas do episódio – como os peripatéticos, Platão, Aristóteles, Nietzsche e Schopenhauer – e esse sempre tem alguma coisa a ver com as situações que acontecem durante os 50 minutos do capítulo.

No início da série, nós conhecemos Merlí e a sua situação complicada em casa: ele está sem dinheiro, sem emprego e sendo despejado de seu apartamento. Para completar, a mãe de Bruno pede para o professor cuidar do filho por um tempo, e assim Bruno vai morar com o pai, com quem ele não tem uma relação muito boa, afinal, Merlí nunca foi um pai muito presente. Assim, pai e filho vão morar junto a Carmina Calduch (Ana M. Barbany), mãe de Merlí e uma excêntrica atriz . Logo, o pai de Bruno é chamado para dar aula no instituto Angel Guimerà, local aonde seu filho estuda. Muito rapidamente Merlí é aceito pela maioria dos alunos, afinal, ele é um professor com métodos diferentes, que provoca a reflexão e muitos debates – além de ser muito provocador e divertido, de certa forma.

Alguns dos alunos de Merlí são personagens indispensáveis da série – muitas vezes construindo uma relação de amizade com professor –  como Pol Rubio (Carlos Cuevas), um menino que era odiado pelos professores, já havia repetido de série duas vezes e que logo se dá bem com Merlí; Bruno Bergeron, o filho de Merlí que se descobre gay e é o maior desafio do professor; Tània Illa (Elisabet Casanovas), a simpática e divertida melhor amiga de Bruno; Berta Prats Garcia (Candela Antón), menina de personalidade forte e namorada de Pol; Gerard Castells (Marcos Franz), um menino que se apaixona fácil e tem que lidar com as consequências disso; Ivan Blasco(Peru Posh), adolescente que sofre com agorafobia e que Merlí consegue fazer um contato e ajudá-lo; Mònica de Villamore (Julia Creus), a nova menina da sala e super adulta; O tímido, meigo e estudioso Joan Capdevila Bonet (Albert Baró); Oliver Grau (Inãki Mur), o divertido e sociável novo menino da turma; e Marc Vilaseca (Adrian Grösser), aluno simpático e prestativo.

Diferente da recepção dos alunos, Merlí de cara não gosta muito de Eugeni Bosch (Pere Ponce), professor de língua e literatura catalã, o qual ele considera um professor antiquado, grosseiro e que abusa do poder que tem. Mas nem tudo desagrada o professor no corpo docente… logo reparamos o interesse dele em Laia (Mar del Hoyo), a professora de inglês que namora o professor de educação física, Albert (Ruben de Eguía). Alguns outros personagens muito importantes são Gina Castells (Marta Marco), a mãe de Gerard, e Toni (Pau Durà), o diretor do instituto.

A língua catalã é ambígua. Por um lado, ela é bem diferente do português e do espanhol que estamos acostumados a ouvir nas clássicas novelas mexicanas e latino-americanas, o que causa uma estranheza, mas, por outro, o modo que algumas palavras são pronunciadas soam muito como no português, o que é intrigante e chama a atenção.

“Merlí” é uma série interessante e que aborda assuntos muito importantes, como homossexualidade, problemas psicológicos como a agorafobia, a forma de ensino tradicional e falha e o abuso de poder de professores, entre muitos outros.

Com uma recepção excelente do público, “Merlí” é uma produção do canal TV3 e foi exibida orginalmente pelo canal na Catalunha.  Com episódios de, em média, 50 minutos, a série teve três temporadas e a última foi finalizada dia 15 de janeiro de 2018. No Brasil, as duas primeiras temporadas estão disponíveis na plataforma de streaming Netflix e a terceira estreia agora no dia 15.

E aí, já conhecia “Merlí”? Ficou interessado? Conta para a gente nos comentários!

CLOSE
CLOSE