A correria do dia a dia costuma ser bem intensa e muitas vezes esquecemos de parar por um segundo para descansar. Bem, é muito importante deixar a rotina de lado de vez em quando, fazer uma viagem simples e relaxar por algum tempinho. Foi exatamente isso que nós fizemos. O destino? Ribeirão Preto. Por quê? Bom é uma cidade de interior de São Paulo com jeitinho de cidade grande, possui bons pontos turísticos, tem preços bem acessíveis, é rodeada de cervejarias artesanais, tem um campus da USP e tem um belíssimo jardim japonês, um dos principais motivos da escolha do destino.

No mundo existem diversas colônias japonesas. É sempre possível encontrar um pedacinho da cultura oriental em todo lugar. No Brasil não seria diferente, afinal é o país com a maior população de imigrantes japoneses e o estado de São Paulo tem a maior concentração deles. Desde 1908, quando atracou no país uma embarcação com os primeiros orientais asiáticos para trabalharem em plantações de café, nossas terras possuem um pedacinho do Japão. Na capital paulista o bairro da Liberdade é completamente tomado pela cultura japonesa, e no interior do estado não seria diferente.

O Jardim Japonês de Ribeirão Preto foi inaugurado em 1969 pela Prefeitura e foi construído sob a supervisão do paisagista japonês Mitsutery Naganune e está localizado dentro do Bosque Municipal Fábio Barreto, onde se encontra também o Jardim Zoológico da cidade. O bosque é um lugar lindíssimo, cheio de vegetação, arborizado, um passeio perfeito para todas as idades e que esconde o melhor ponto da região, o já citado jardim. Se você, assim como nós, é fã da cultura japonesa, com certeza deve querer saber mais sobre esse lugar.

Logo na entrada do Jardim Japonês é possível sentir um pedacinho do Japão, existe uma grande construção típica da arquitetura japonesa e é possível ver lanternas por todos os caminhos do jardim e para a cultura asiática elas servem para iluminar a mente e clarear os caminhos. Ao longo do trajeto existem grandes pedras que remetem a paisagem do país asiático. O local possui um lago, que para os japoneses a água representa vida, paz e pureza, e possui carpas, um peixe que simboliza fertilidade e prosperidade. Em cima dos lagos existem pontes, que significam evolução e autoconhecimento. O cenário é perfeito para centenas de fotos, inclusive no dia em que o visitamos havia modelos fazendo uma sessão.

A vegetação também remete ao Japão. Existem muitos bambus no Jardim e em alguns deles são amarrados para que fiquem curvado em direção ao lago, com um sinal de reverência a quem aprecia o jardim, nestes bambus são colocados os sinos do vento e os macacos de cerâmica, que representam os sons da natureza e a felicidade. Já nesse Jardim Japonês existe uma tradição um pouco diferente. Muitos visitantes escrevem seus nomes e declarações de amor nos bambus, isso é bem comum principalmente entre jovens casais.

O ápice do Jardim é um pequeno casebre chamado de vista japonesa, que se localiza em cima do lago e proporciona uma vista de trezentos e sessenta graus do lugar. Inclusive é um ótimo ambiente para meditar, relaxar, observar as carpas nadando, tirar ótimas fotos e também conhecer uma engenhoca típica do Japão, a cascata, que para o seu povo representa o ciclo da vida e morte. O barulho da água caindo acalma e a cascata é algo que funciona através da força da água e foi criada há milhares de anos.

O Jardim Japonês está localizado próximo ao centro de Ribeirão Preto e possui também um espaço que permite ao visitante uma vista panorâmica da região. Apesar de estar em lugar perto de uma das principais avenidas da cidade, lá dentro pouco é possível escutar ou se atentar ao barulho dos carros. E se você quer viajar para um lugar diferente e sem gastar muito, esse interior de São Paulo é uma boa pedida. É muito bom sair do óbvio e ainda apreciar uma atração que remete a uma cultura milenar tão impressionante.