• Exposição: até 6 de maio de 2017
  • Local: Galeria Marcelo Guarnieri, Rio de Janeiro
  • Endereço: Rua Teixeira de Melo, 31 – lojas C/D
  • Cidade: Rio de Janeiro – RJ – Brasil
Sobre o Artista

Marcus Vinicius (São Paulo, 1967. Vive e trabalha em Osasco) é formado em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo. No ano que vem, completa 20 anos de trajetória, que será comemorada com uma exposição retrospectiva que começará no Instituto Figueiredo Ferraz, em Ribeirão Preto, e irá itinerar por outras cidades.

Dentre suas principais exposições individuais estão “Constructos” (2014), no Centro Cultural UFMG, em Belo Horizonte; “Listrados” (2004) no Centro Cultural Maria Antônia, em São Paulo; “Sperandios” (2000), no SESC Paulista, em São Paulo e a mostra no Centro Cultural São Paulo, em 1999. Realizou, ainda, três exposições individuais na Galeria Marcelo Guarnieri, sendo duas em Ribeirão Preto: “Agrupamentos horizontais e Acidados” (2015) e “Quadriculados e Pontilhados” (2010) e uma em São Paulo: “Estrutura quadro: revisão e desdobramento” (2014).

Dentre suas principais exposições coletivas estão: “Momento Contemporâneo” (2014), “Além da forma – plano, matéria, espaço e tempo” (2012) e “O colecionador de sonhos – Coleção Dulce e João Carlos de Figueiredo Ferraz” (2011), ambas no Instituto Figueiredo Ferraz, em Ribeirão Preto; “Volpi e as Heranças Contemporâneas” (2006), no MAC/USC, em São Paulo; “Marcus Vinicius e Wagner Malta Tavares” (2006), no Museu de Arte de Ribeirão Preto; “30 anos de Arte Brasileira na Coleção SESC” (2005), no SESC Interlagos, em São Paulo; “Uma viagem de 450 anos” (2004), no SEC Pompéia, em São Paulo; “Heterodoxia Natal” (2004), no Espaço Cultural Casa da Ribeira, em Natal; “40 anos, 40 artistas” (2003), no MAC/USP, em São Paulo; “Genius Loci, o Espírito do Lugar” (2002), no Centro Universitário Maria Antônia, em São Paulo; “Conduta de Imagem (2001), no Museu Metropolitano, em Curitiba; “Se Pudesse ser Puro” (2001), no Museu de Arte de Santa Catarina, em Florianópolis; “Iniciativas” (2000), no Centro Cultural São Paulo; “Heranças Contemporâneas 3” (1999), no MAC/USP, em São Paulo; “Vazio, Profundidade e Linha” (1999), Centro Cultural Correios, no Rio de Janeiro, entre outras.

Sobre a Galeria

Marcelo Guarnieri iniciou as atividades como galerista nos anos 1980, em Ribeirão Preto, e se tornou uma importante referência para as artes visuais na cidade, exibindo artistas como Amilcar de Castro, Carmela Gross, Iberê Camargo, Lívio Abramo, Marcello Grassmann, Piza, Tomie Ohtake, Volpi e diversos outros.

Atualmente com três espaços expositivos – São Paulo, Rio de Janeiro e Ribeirão Preto – a galeria permanece focada em um diálogo contínuo entre a arte moderna e contemporânea, exibindo e representando artistas de diferentes gerações e contextos – nacionais e internacionais, estabelecidos e emergentes – que trabalham com diversos meios e pesquisas.