Humor Fashion e Britânico 

16-absolutely-fabulous-the-movie-7-0Mesmo sendo exibida no Brasil, o grande público, provavelmente, nunca deve ter visto a série britânica “Ab Fab” (para os íntimos). O grande sucesso iniciado no começo dos anos 90, em 92 para sermos mais específicos, “Absolutely Fabulous”, criado por Jennifer Saunders, vencedora de 14 prêmios internacionais, 2 Emmy e 3 BAFTA, estreou sua versão cinematográfica, no início do ano em Londres, sendo um dos filmes mais rentáveis do ano.

A versão da série para a telona segue acompanhando a vida das melhores amigas Eddy (Jennifer Saunders) e Patsy (Joanna Lumley), que continuam curtindo o life style que levam, cheias de dinheiro, glamour e amores. Entretanto, Eddy descobre que sua fortuna acabou e que nenhum artista quer que ela seja sua agente de relações públicas. Quando descobre que Kate Moss está sem uma agente, ela arma todo um esquema para conquistar a Top Model, porém, seus planos vão por água a baixo quando, no meio da confusão, Kate cai no mar e fica desaparecida. Assim, elas se veem no meio de uma tempestade de críticas na mídia e terão de se acostumar ao desprezo da sociedade ou dar a volta por cima com muito carão.

Saunders se mantem como a roteirista do longa e abusa do humor carregado de críticas sociais e consumistas como a série já apresentava. Nesse reviavl, ela conseguiu resgatar todos os seus personagens e ainda fazer com que eles evoluam à sua maneira, mantendo as características mais fortes e acrescentando novidades para o amadurecimento de cada um, vistos pela última na Tv vez em 2012.

Para manter o clima, Mandie Fletcher, que dirigiu três episódios da série, assina a direção e conseguiu captar em sua narrativa visual a essência glamourizada e extremamente cômica da história. Embora temos uma percepção muito televisiva em sua direção, esse não é exatamente um problema enfrentado pela produção. Contudo, se houvesse uma seleção melhor nos enquadramentos, poderíamos visualizar de forma mais cinematográfica o resultado.

Por se tratar de um universo absolutamente fabuloso, que é o universo da moda, mas com uma grande força crítica, o trabalho de Rebecca Hale, como figurinista, foi excepcional. Ela vislumbrou a excentricidade da cada personagens e inseriu uma diversidade de cores que casa com cada personalidade. Ainda dando gás a parte estética, Harry Banks (Design de Produção), Margaret Spohrer e Mikki Startup (Direção de Arte), junto com Laura Richardson (Decoração de Set) dão “a cara” elitizada da produção.

Absolutely Fabulous – O Filme

O elenco traz muitos nomes famosos como Emma Bunton (ex-Spice), Gwendolin Christie (Game of Thrones), Stella McCartney (Estilista), Lara Stone (Top Model), Jon Hamm (Mad Men), Kate Moss (Top Model) e muitos outros fazendo eles mesmos. Enquanto isso retoma a presença de Julia Sawalha como a filha de Eddy, Saffron, que tem a melhor cena quando precisa cantar num karaokê de drags para conseguir a atenção delas e pedir uma informação.

Jane Horrocks vem como a estranha e conectada Bubble, que serve como um ícone crítico de incompetência profissional e falta de atenção das novas gerações que querem apenas aparecer nas redes sociais. Chris Colfer, mais uma vez vem às telas fazendo um gay, com uma versão mais feminina e ousada do que o Kurt do Glee, mas nada de novo ou memorável. Já Celia Imrie, faz uma passagem rápida e marcante como a agente rival de Eddy, propulsora do escândalo sobre a morte de Kate Moss.

As protagonistas, Jennifer Saunders e Joanna Lumley, são um banho de ousadia na casa dos 70. Saunders, por ser a roteirista, conhece muito bem as nuances de sua personagem e as transpões na tela, enquanto Lumley, com sua alcoólatra e “drogadita” Patsy, tem as melhores piadas e deixas para fazer qualquer um morrer de ir.

Com uma trilha pop e bem atual, “Absolutely Fabulous – O Filme” é um exemplar engraçado e divertido. Nas reviravoltas do longa, temos muitos personagens inseridos que se perdem contextualmente, tanto pela força narrativa quanto pelo real significado da presença. Não é um filme que vamos nos lembrar para o resto da vida, mas é digno de sua mensagem: entreter de forma crítica o universo superestimado da moda e do dinheiro.

*O longa não possui trailer com legendas em português nem data de estreia no Brasil. Assistido durante o Festival do Rio 2016.

Crítica: Absolutely Fabulous – O Filme
7Valor Total
Votação do Leitor 2 Votos
6.7