Courtney é uma das melhores alunas da classe de uma renomada faculdade de medicina nos Estados Unidos e, em busca de entender como o cérebro humano se comporta no limiar entre a vida e a morte, decide realizar uma experiência arriscada e visionária: ela decide matar a si mesma para poder observar os efeitos da morte no cérebro humano. Para realizar essa experiência a qual será a própria cobaia, ela recruta um grupo de competentes colegas de classe para trazê-la de volta a vida em um movimento cirúrgico delicado. Após o sucesso da experiência com Courtney, um a um, seus colegas começam a se voluntariar como cobaias do mesmo experimento, buscando acessar locais do cérebro nunca antes acessados, possibilitando o desenvolvimento de habilidades novas ou adormecidas. Porém, o experimento sai de controle quando traz à tona coisas além do limite da compreensão dos vivos, que começa a perseguir os personagens, obrigando-os a lidar com suas próprias angústias e medos.

O “Além da Morte” é dirigido pelo dinamarquês Niels Arden Oplev, que ficou famoso pela adaptação, para os cinemas de “Os Homens que Não Amavam as Mulheres” (2009), do romance homônimo de Stieg Larson que foi recorde de bilheteria na Europa. O diretor constrói um filme de terror que não deve em qualidade das atuações e, para isso, conta com a ajuda de um elenco escolhido a dedo, com Nina Dobrev (“The Vampire Diaries”), Diego Luna (“Star Wars: Rogue One”) e a sempre incrível Ellen Paige (“Juno”), que nos agracia com seu talento excepcional, dando vida à protagonista Courtney.

Além da Morte mescla um drama médico com um terror paranoico sem tentar se prender a nenhum dos dois para construir sua proposta, podendo não agradar o assíduo público de filmes do gênero, que não vai encontrar tantos sustos quanto o de costume, mas será presenteado com boas atuações, diálogos inteligentes e algumas surpresas no enredo mescladas com algumas dúzias de quebras de expectativas que ditam o ritmo do filme, escrito por Ben Ripley.

Cabe ressaltar ainda que durante os momentos de plano astral da trama, a personagem de Ellen Paige nos recorda muito a protagonista do jogo “Beyond: Two Souls”, que também é interpretado pela atriz e lida com uma entidade extra-material que a acompanha na trama, sendo uma ligação da personagem com o mundo espiritual. O jogo é um interactive movie, um gênero de vídeo-game que se assemelha a assistir um filme no cinema, mas podendo tomar todas as decisões dos personagens principais.

A trama de Oplev é um remake de “Linha Mortal” (1990) de Joel Schumacher, que estrelava Julia Roberts como a protagonista Courtney, Kevin Beacon, William Baldwin, Oliver Patt e Kiefer Sutherland, que atua novamente na releitura contemporânea do filme. O original pegou carona com o sucesso da estrela Julia Roberts, que vivia a protagonista hoje vivida por Ellen Paige, que no mesmo ano concorreu ao Oscar de melhor atriz coadjuvante por “Flores de Aço”.

A estreia de “Além da Morte” está marcada para os cinemas brasileiros para o dia 19 de Outubro.

O filme é indicado para todos aqueles que buscam um drama de terror inteligente, bem dirigido e que aborda questões extra-terrenas da ligação da mente com o sobrenatural na vida após a morte. Uma releitura do gênero no início dos anos 1990, onde o que hoje é tratado como uma questão mais íntima da relação do ser humano com seu cérebro e seu consciente era tratado naquela época com uma pegada mais sobrenatural e mística, fazendo com que o filme original de inspiração deste seja outra ótima pedida para os fãs do gênero.

Crítica: Além da Morte
7.1Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos
0.0