A nova produção da Paramount, promete divertir crianças e jovens com uma aventura que envolve seres submarinos e carros realmente incríveis!

O longa “Monster Truck” conta história de uma amizade muito incomum entre um jovem da high school e um animal simpático vindo de lençóis subterrâneos profundos. Um acidente decorrente da negligência na perfuração de um poço de exploração de petróleo trouxe a superfície três exemplares de uma espécie nunca antes vista. Para não atrapalhar os planos de exploração, a empresa responsável decide abafar o caso, não permitindo a devolução dos animais aos seu habitat (uma vez que a existência de vida naquela região poderia dificultar os seus negócios). Contudo, um dos animais consegue escapar e, por se alimentar de derivados de petróleo, se esconde em um ferro velho, onde se encontra com Tripp (Lucas Till).
Tripp é um rapaz de classe média que sonha em ter um carro potente para não sofrer mais bullyng. Trabalhando no ferro velho da pequena cidade, o rapaz começa a montar seu Truck, até que em uma noite se depara com uma criatura gigante e cheia de tentáculos. Daí por diante começam a desenvolver uma parceria impar: O animal se abriga na caminhonete passando a ser o seu (super potente) motor. Juntos, e com a ajuda de Meredith (Jane Levy) e de Jim Down (Thomas Lennon), travam uma fuga radical para devolver seus novos amigos ao seu local de origem.

O filme carrega uma mensagem sempre interessante de ser reforçada às gerações mais jovens: a importância do respeito ao meio ambiente, à ética e a força de amizades sinceras. Entretanto, o longa dirigido por Chris Wedge (A Era do gelo), poderia dar maior destaque a esses laços e valores. A proposta, por vezes, acaba sendo ofuscada por relações mais materiais, e em certos pontos a relação entre os dois amigos parece ser de exploração e não de parceria. Neste ponto, o roteiro de Derek Connolly também deixa a desejar: Mesmo para o público ao qual se destina, os diálogos são rasos e clichês, mais atentos às maravilhas que o animal pode fazer com o carro do que com o propósito real da fuga.

O trabalho desenvolvido pelos atores não tem grandes destaques. Os vilões da trama apresentam atuações um pouco “escrachadas”, o que não soa honesto, mas funciona para este tipo de proposta. E, por outro lado, os mocinhos desempenham seus papéis no melhor estilo “mais do mesmo” (adolescentes sendo adolescentes, e por aí vai). No contexto, contudo, acredita-se que isso se relaciona muito mais ao roteiro e proposta do que a capacidade dos atores em si.

A locação merece um destaque especial. Rodado na linda província de British Columbia (Canadá), o filme presenteia os expectadores com belas locações. Ainda que não receba tanto destaque, a fotografia acaba sendo um grande diferencial no filme.

“Monster Truck” pode até não ser um filme de grandes pretensões mas, sem dúvida alguma, é uma opção bastante divertida para toda a família.

Crítica: Monster Trucks
6Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos
0.0