Faça cara daquilo que você não sente

Ontem foi: 12 de março de 2010

 

Tempo decorrido não vai para o plural.

 

Em atraso.

 

Só se pede desculpa, quando se tem culpa de algo. Então faz um favor? Cala a boca!

Não quero ouvir.

Situação-estranha-sem-motivo-aparente.

Não reconheceu-se, nem depois do banho.

Mudou os móveis de lugar, mas de lugar, queria era mudar a vida.

Não sei, não é não vou. Não espero que entenda.

Fica a surpresa pra mais tarde, mas quero ao menos um sorriso de reconhecimento.

O mundo anda um tanto quanto mau-educado.

Leitura corrida.

Acho que estou estafando minhas inspirações poéticas.

Tem gente que escreve melhor do que eu.

Histórias entrelaçadas.

Já percebeu, não é?!

Acho que fiz a cara errada, era pra ser cara de raiva, fiz cara de triste.

Ai, não sei. Hoje estou meio pra dentro.

Na verdade ontem.

A frase foi escrita depois de alguns daqueles suspiros.

Já te disse que um dia você foi meu herói?

Lamentável terminarmos assim.

Esses gestos autistas-pretenciosos-egoístas.

Agora eu só quero ficar de coleguismo.

Perdemos a vida. Não dá pra voltar atrás. É pra frente que se anda.

Deveria então inverter a situação.

Inverter, não subverter.

Quem eu sou: Um errante.

[Ponto]

Acho que vou fazer um programa cinéfilo-literário-solitário.

Senhor semeador de discórdia.

Deveria envergonhar-se.

Você sabe quando não quer algo.

Hoje estou ácida.

Me tornei uma lágrima fácil.

Isso porque sou sincera e realista.

E hoje em particular, acho que minha “grossidão” é uma virtude.

A ignorância é mais feliz, tenho medo das resposta.

“Moleque” vc já num tinha virado “garoto”???

Pois então; não faça cara daquilo que você não sente.

Quer saber… se a vida não tivesse salientado, eu nem ia reparar!