Ao contrário do que muitas pessoas pensam, ser ator exige muito mais do que ter um rostinho bonito. Esse ofício pede anos e anos de estudo além de muita dedicação e persistência, principalmente quando se fala de fazer teatro no Brasil. A cultura em nosso país é prejudicialmente desvalorizada e isso faz com que, além das dificuldades cotidianas apresentadas durante o exercício da profissão, tenham que lidar com todo descaso e agravantes externos que atrasam consideravelmente os avanços do setor.

Mas, apesar de tudo, os artistas seguem na resistência e continuam a perpetuar essa arte potente e transformadora que já é realizada a milênios. Trabalhadores incansáveis, sabem que não podem parar nem um instante de buscar conhecimento e se desenvolver. Só quem é de teatro ou acompanha de perto essa galera, consegue entender quantas noites mal dormidas ou em claro podem acontecer durante o processo de construção de um espetáculo, comemorações de amigos e familiares são perdidas em prol de cumprimento de cronogramas de ensaios e apresentações e todo o esforço que é empregado para que, quando abrirem-se as cortinas, tudo esteja perfeito para ser apresentado aos espectadores.

Engana-se quem pensa que teatro é coisa de “gente que não quer nada com nada”, de “vagabundo”, que “qualquer um faz”, de “desocupados” e qualquer coisa do gênero. Para realizar uma montagem de qualidade, rala-se muito, lê-se demais, estuda-se, pesquisa-se incessantemente, até mesmo quando a peça já esta em cartaz continuam descobrindo e retroalimentando-a. Encenadores, dramaturgos, pensadores teatrais, pesquisas de campo e toda sorte de leituras e exercícios cênicos fazem parte do dia a dia desses profissionais e, pensando nisso, nós resolvemos dar aquela forcinha listando alguns livros importantes que contribuem e muito no processo de estudo e desenvolvimento dos atores.

Se você já é ator, estudante de teatro ou esta começando a descobrir-se nas artes cênicas, esse pode ser um bom caminho para acrescentar à seus estudos:

1- A Preparação do Ator – Constantin Stanislaviski

O livro difunde idéias que transcendem interesses meramente profissionais ou de estudiosos dos problemas do teatro. É, na verdade, o romance da fascinante aventura do homem em busca de um conhecimento maior de si mesmo e do seu semelhante.

2- A Construção da Personagem – Constantin Stanislaviski

Neste livro, a ênfase recai na atuação como arte e na arte como a expressão mais alta da natureza humana. Sua volta constante ao estudo da natureza humana é o que distingue aquilo que se tornou conhecido como o ‘Sistema Stanislavski’. É o alicerce de todas as suas teorias e a razão de estarem sempre sofrendo leves modificações – cada volta ao estudo dos seres humanos ensinava algo novo.

3- A Criação de um Papel – Constantin Stanislaviski

A criação de um papel é um livro para todos os profissionais e estudantes de teatro. Neste volume, Stanislavski trata do trabalho do ator no desenvolvimento de um papel e dos problemas que poderá enfrentar no palco. Faz avaliações de cenas, estuda as atitudes dos personagens em relação ao texto e ao contexto das obras etc.

4- Manual Mínimo do Ator – Dario Fo

O Manual aponta, de forma didática e divertida, como construir personagens, cenários e texto teatral. O autor acentua a importância do improviso e da mimica que marcam o seu estilo.

5- Improvisação para o Teatro – Viola Spolin 

Esta obra é uma espécie de bíblia dos educadores em jogos dramáticos e na arte do teatro. Trata-se de um manual útil para atores profissionais, amadores e crianças, para a escola e centros comunitários, pois oferece um detalhado programa de oficinas de trabalho.

6- O Teatro Brasileiro Moderno – Décio de Almeida Prado

Décio de Almeida Prado é um dos poucos homens de teatro que podem contar na primeira pessoa cinqüenta anos de teatro no Brasil. Primeiro, enquanto espectador assíduo, nos anos 30; e, a partir do pós-guerra, através de uma atividade crítica que é pedra fundamental do moderno teatro brasileiro. Décio dá aqui seu testemunho privilegiado na análise das principais realizações dramatúrgicas e cênicas de meio século decisivo no curso da arte dramática nacional. Assim, o acompanhamos desde o teatro de Procópio Ferreira, passando pela criação do TBC – que por sua vez originou o Arena e o Oficina -; para finalmente chegar na multiplicidade, algo diluidora do teatro atual. O Teatro Brasileiro Moderno, desta forma, é um painel vivo e profundo, chave para a compreensão de um espetáculo que ainda não terminou.

7- História Mundial do Teatro – Margot Berthold

Margot Berthold realizou um trabalho notável em sua História Mundial do Teatro, ao integrar de uma maneira que se poderia dizer primorosa a busca documental, o registro ocorrencial e o poder de síntese escritural. Daí resultou um livro de abrangência invulgar. Unindo história da dramaturgia e do espetáculo, análise estética e crítica das tendências e correntes artísticas vigentes dentro e fora do palco, as figuras e obras marcantes da criação cênica e suas inter-relações, enfeixa num só volume um repertório que será de utilidade indubitável para quem, especialista ou iniciante, buscar em suas páginas informações precisas e uma visão dos períodos mais representativos da história do teatro. Publicando-o, a editora Perspectiva não mediu esforços para vencer as dificuldades de tradução e edição de tão complexo acervo de textos e imagens, certa de estar trazendo para seu público leitor uma obra de grande relevância para a biblioteca teatral brasileira.

8- A Linguagem da Encenação Teatral – Jean-Jacques Roubine

Este estudo da evolução das artes cênicas oferece uma visão panorâmica do teatro moderno sem privilegiar escolas ou autores. O autor analisa a evolução do texto dramático, do espaço cênico, da ambientação visual e sonora e do conceito de ator.

9- Ator e Estranhamento: Brecht e Stanislavski, Segundo Kusnet – Eraldo Pera Rizzo

Eraldo Rizzo, discípulo do ator Eugênio Kusnet, apresenta seus ensinamentos na arte de interpretar, baseados nos métodos criados por Stanislavski e Brecht.

10- O Jogo Teatral no Livro do Diretor – Viola Spolin

Este livro é uma aplicação prática do famoso método pelo qual Viola Spolin foi chamada “a grã-sacerdotisa do teatro improvisacional”. A autora mostra, de forma lúdica, como suas técnicas podem ser utilizadas em larga variedade de situações, e também para o amadurecimento e a integração dos participantes do projeto teatral.

11- Dicionário de Teatro – Patrice Pavis

O Dicionário de Teatro, de Patrice Pavis, é uma obra conhecida internacionalmente, vem enriquecer enormemente a nossa bibliografia especializada, devendo constituir-se em valioso instrumento para o ensino e o conhecimento do teatro. Em seus 560 verbetes, traduzidos por professores e pesquisadores do campo, são sintetizadas e discutidas as grandes questões da dramaturgia, da encenação, da estética, da semiologia e da antropologia da arte dramática, o que constitui numa suma do saber sobre a história, a teoria e a prática da criação teatral.

Para que nossa matéria não ficasse tão extensa, resolvemos dividi-la em 2 partes. Continue nos acompanhando porque certamente vai gostar do que nós da Woo! Magazine preparamos para você.