Dando continuidade a nossa matéria da semana passada Dica para Atores: Como decorar um texto? Parte I, nós da Woo! Magazine trouxemos mais uma sequência de dicas coletadas com atores, estudantes de teatro, diretores, produtores entre outros e esperamos que te auxiliem na descoberta da sua própria maneira de estudar e assimilar um texto.

1- “Decoro e ensino por assimilação de imagens concatenadas e simultaneamente. É uma adaptação dos métodos da Odin theater, companhia do Barba.” (Gabriel Barros)

2- “Eu tenho memória fotográfica, às vezes reescrevo meu texto num caderno. Daí o processo da escrita já me faz absorver.” (Dandara Costa)

3- “Eu decoro reescrevendo o texto. Geralmente falo alto o texto, e uso a visão, a escuta e o cheiro para decorar, acendendo um incenso. E este papel eu levo para onde for. E sempre antes de dormir, leio o texto e coloco debaixo do travesseiro. Ao acordar a primeira coisa que faço é reler o texto. Nunca mais esqueço rs Mas também tenho memória fotográfica boa. Lembro aonde está a posição do texto naquele papel e sobre qual assunto se trata. Isso tudo foi um mix que aprendi com uma atriz e fui selecionando o que funciona comigo.” (Vitor Martinez)

4- “Acho que não tenho método… Porque dependendo do processo eu uso coisas diferentes…decoro ensaiando, decoro escrevendo em papel, decoro lendo várias vezes… Muitas vezes o que determina o método é a dinâmica do texto… Por exemplo: Shakespeare só consigo decorar no ensaio…. Nelson consigo decorar lendo… Já literatura adaptada para teatro normalmente escrevendo vária vezes…isso não é uma regra posso cruzar os método também.” (Rodrigo Reinoso)

5- “Além de tudo o que já falaram, estudar o texto, o dissecar ele já me faz ir decorando antes mesmo de ensaiar. Acho que pela repetição da leitura, mas porque também as falas fazem cada vez mais sentido naturalmente pela compreensão do texto.” (Lea Nogueira)

6- “Eu divido o texto em trechos, decoro o trecho, e a medida que decoro o próximo, falo o primeiro, depois o segundo, daí decoro mais um, aí falo o primeiro, o segundo, o terceiro … e assim sucessivamente.” (Cleverson Soares)

7- “Minha tática é decorar em voz alta e caminhando, seja na sala de aula, da minha casa ou na calçada.” (Walace Pinheiro)

8- “Eu entendo a cena, tento criar imagens para cada coisa que tenho que dizer. Aí fico improvisando a partir das imagens e sequências de acontecimentos, depois o que era improviso vou aos poucos substituindo naturalmente pelo texto.” (Luis Lobo)

9- “Ler muitas vezes antes de dormir. Mas tipo, antes de dormir mesmo, já caindo de sono, dormir com o texto na cara. Aí acordo com ele super decorado.” (Victor Vaz)

10- “Eu transformo em música e depois coloco algumas partituras corporais fáceis de limpar. Depois vou tirando a música” (Raphael Perrone)

11- “Leio a peça toda primeiro. Depois leio as minhas cenas varias vezes. Depois tapo o texto e vou dando as minhas falas. Tipo, falo as minhas e penso “aí fulano fala alguma coisa”. Pra não ficar forçado, na hora da cena eu prefiro não fazer com o texto na mão, porque se eu não der a fala certa eu vou improvisar algo que tenha a ver com a cena” (Rafael Ferreira)

12- “Quando trabalho com texto em diálogos, costumo fazer gravações das falas dos outros personagens para que eu não precise dizer as minhas e a das outras pessoas (isso quando estou decorando sozinha um texto em diálogos)” (Barbara Cristina)

13- “Eu gravo a minha fala com um ritmo e vou ouvindo no telefone como uma playlist. Isso funciona bem pra mim também” (Jhonny Silva)

14- Na escolinha aprendi a decorar as aulas de história sem deixar uma vírgula de fora (rs). Pegava cada frase do jeito que tava escrita e repetia milhões de vezes quando grudava na cabeça juntava a próxima. Depois escrevia numa folha. Fiz isso pra todas as matérias até o vestibular. Com o tempo foi ficando mais rápido. Ganhei agilidade e memória visual. Hoje o processo é bem mais rápido. pra decorar dramaturgia, faço primeiro a análise de interpretação, marco os verbos, sujeito etc. Leio algumas vezes fotografando mentalmente o que vejo no papel e depois vou repetindo repetindo criando uma imagem na minha cabeça do que aquilo representa. Sempre fazendo isso com a última frase do coleguinha de cena também. Nisso 2 coisas solidificam o que “decorei”em forma de texto. Me ouvir no ensaio e a movimentação em cena. Resumindo memorizo as formas no papel e nas imagens com repetição.” (Vanessa Meyer)

Finalizamos aqui nossa matéria agradecendo muito a todos os artistas que dispuseram de um tempo para nos enviar essas dicas preciosas. Esperamos que você tenha curtido bastante e que possa usufruir de alguma delas ou de várias para se encontrar em sua pesquisa. Como já falamos anteriormente, não trata-se de uma fórmula mágica e existem ainda inúmeras outras formas de se chegar ao objetivo final dessa dica, mas aqui fizemos um recorte que pode ser utilizado como facilitador nos seus processos de montagem. Se você tem mais dicas como essas, compartilhe a nossa matéria e adicione o seu método também para aumentar ainda mais essa rede de crescimento artístico.