A Inverno Produções e o humorista Fabio Porchat lançaram neste ano de 2017 a iniciativa do Prêmio do Humor para reconhecer os talentos da comédia brasileira no teatro, comumente deixados de lado em premiações em detrimento dos atores e tramas dramáticas. Como alegado no site dedicado à premiação, os filmes de maior bilheteria e as peças mais lotadas de espectadores são as comédias e, no entanto, nossos maiores artistas do gênero não costumam ser reconhecidos através de premiações. Se a arte de fazer rir pode ser considerada tão ou mais difícil que a de fazer chorar, a criação do prêmio vem para reconhecer o talento dos nossos artistas do gênero, incentivar as produções e a constante qualificação desses profissionais, além de resgatar a memória dos atores e atrizes comediantes que fizeram história nas artes cênicas brasileiras.

A primeira edição do prêmio aconteceu em março deste ano no Teatro Rival e contemplou as produções teatrais de 2016. Entre os destaques das cinco categorias (“espetáculo”, “texto”, “diretor”, “performance”, substituindo o prêmio de melhor ator ou atriz, e homenagem “especial”) estiveram “5x Comédia” (texto e performance) e o monólogo “O Escândalo Philippe Dussaert” (melhor espetáculo), além da honraria em categoria “especial” ao ator Lúcio Mauro, nos seus recém completos 90 anos.

O Escândalo Philippe Dussaert

Esta semana foram revelados os indicados à edição 2018 do prêmio. Entre eles destacam-se “Pagliacci” da Cia. La Mínima do ator Domingos Montagner (o primeiro espetáculo deles sem o ator), o “Off-Broadway” adaptado à cena do teatro musical brasileiro “[nome do espetáculo]” e a sequência do sucesso “Os Homens São de Marte… E É Pra Lá Que Eu Vou” de Mônica Martelli. Todos os espetáculos indicados deveriam cumprir os seguintes critérios de seleção: serem inéditos na cidade do Rio de Janeiro com temporada de pelo menos 12 apresentações entre 01 de janeiro à 31 de dezembro do ano corrido e terem sido avaliados por pelo menos 02 dos 05 jurados que compõem a comissão julgadora; na impossibilidade dos jurados assistirem a todos os espetáculos, teriam autonomia para definir critérios para avaliar o maior número possível de produções.

Os escolhidos de 2017 foram: na categoria “Melhor Texto” Jefferson Schroeder, por “A Produtora e a Gaivota”, Mônica Martelli, por “Minha Vida em Marte” e Luís Alberto de Abreu, por “Pagliacci”; na categoria “Melhor Direção” Susana Garcia, por “Minha Vida em Marte”, Tauã Delmiro, por “[nome do espetáculo]” e Chico Pelúcio, por “Pagliacci”; na categoria “Melhor Peça” estão “A Produtora e a Gaivota”, “Karaokê – O Monólogo”, “Sterblitch Não Tem um Talk Show”, “Minha Vida em Marte”, “[nome do espetáculo]” e “Pagliacci”; “Melhor Performance” entre Evelyn Castro, por “Karaokê – O Monólogo”, Mônica Martelli, por “Minha Vida em Marte”, Eduardo Sterblitch, por “Sterblitch Não Tem um Talk Show”, Jefferson Schroeder, por “A Produtora e a Gaivota”, Fernando Sampaio, por “Pagliacci”, Carla Candiotto, por “Pagliacci”, Ingrid Klug, por “[nome do espetáculo]” e Alexandre Lino, por “O Porteiro” e, finalmente, na “Categoria Especial”, concorrem Caio Scot, Junio Duarte, Carol Berres, Luísa Vianna e Tauã Delmiro, pela versão brasileira do texto e das canções de “[nome do espetáculo]”; Fernando Sampaio e Domingos Montagner pela transposição de uma obra clássica de Ruggero Leoncavallo para um espetáculo circense com “Pagliacci” e Rodrigo Geribello, pela sonoplastia vocal em “A Morte Acidental de um Anarquista”.

[nome do espetáculo]

São cinco os jurados do prêmio este ano divulgados pelo site oficial da premiação: Antonio Tabet (do site Kibe Loko e do humorístico “Porta dos Fundos”), Aloisio de Abreu (ator, autor e diretor de teatro e televisão), o ator Bemvindo Sequeira, a atriz, produtora, diretora e escritora Sura Berditchevsky e o repórter e crítico de teatro Rafael Teixeira. Eles assistiram montagens, espetáculos de improviso, esquetes, stand ups, monólogos e peças de humor em outros estilos que tiveram temporada em 2017 na cidade do Rio de Janeiro.

A cerimônia acontece no início do próximo ano com atores convidados, e deverá ter transmissão ao vivo pela Internet. O homenageado deste ano será o ator Agildo Ribeiro, primeiro intérprete de “João Grilo” de “O Auto da Compadecida” de Ariano Suassuna, estrelou diversos programas de humor ao lado de Chacrinha, Jô Soares, Paulo Silvino entre tantos sucessos na televisão como “Planeta dos Homens”, “Agildo no País das Maravilhas”, “Escolinha do Professor Raimundo”, “Zorra Total”, “Sítio do Pica-Pau Amarelo” e “Casseta e Planeta, Urgente!”.