Em cartaz no teatro do Sesc Copacabana, Dorotéia, peça de Nelson Rodrigues, escrita  em 1949, reestreia com Rosamaria Murtinho e Letícia Spiller juntas em cena. O espetáculo é um dos trabalhos mais aclamados do teatro nacional, censurada na época, fechou um ciclo das obras do teatro chamado desagradável.

Com direção de Jorge Farjalla, Rosamaria interpreta a protagonista Dona Flávia, uma mulher feia e infeliz que procura fazer de tudo para destruir a beleza da prima Dorotéia (Letícia), uma ex- prostituta arrependida.

A peça narra a história da linda mulher, que após perder o filho, decide abandonar a vida da prostituição e ir morar na casa das três primas viúvas, puritanas e feias que não dormem para não sonhar e vivem uma vida casta e cheia de privações. Dorotéia,  amorosa, nega o destino e entrega-se aos prazeres sexuais. Este é seu crime, e por ele pagará com a vida do filho buscando a sua remissão. Dorotéia, em troca de abrigo, aceita se tornar tão feia e puritana como querem as primas. Na história desta família de mulheres, o drama se inicia com o pecado da avó, que amou um homem e casou-se com outro. É neste momento que recai sobre todas as gerações de mulheres da família a “maldição do amor”.

Por Bruna Tinoco

Agenda

CLOSE
CLOSE