A coluna Bookland traz hoje uma lista com 10 nomes de escritoras brasileiras que não podem faltar na estante. Em tempos de empoderamento feminino, é motivo de orgulho e de grande alegria podermos registrar a importância de ter mulheres inteligentes, fortes e lindas fazendo parte da história da nossa literatura.

Então, anotem as dicas e separem um lugarzinho especial nas prateleiras para essas preciosidades. E fiquem atentos que na semana que vem tem a segunda parte!

Clarice Lispector

(10 de dezembro de 1920, na Ucrânia – 09 de dezembro de 1977)

Nascida na Ucrânia, mas naturalizada brasileira; declarava ser pernambucana. Escritora e jornalista, autora de romances contos e ensaios. Foi considerada uma das escritoras brasileiras mais importantes do século XX, sendo a maior escritora judia desde Franz Kafka. Sua obra está cheia de cenas cotidianas e tramas psicológicas.

Principais obras: A hora da Estrela, Laços de família e A paixão segundo G.H.

Cecília Meirelles

(07 de novembro de 1901 – 09 de novembro de 1964)

Jornalista, pintora, poetisa e professora. Foi a primeira mulher de grande expressão na literatura brasileira. Teve sua estreia na literatura aos 18 anos, com o livro “Espectros”. Participou do grupo literário da Revista Festa, grupo católico conservador e anti-modernista. A partir daí, começou a se encaminhar para uma tendência espiritualista, presente em seus trabalhos com frequência. Uma das marcas do lirismo de Cecília Meireles é a musicalidade de seus versos. Tem mais de 50 obras publicadas.

Principais obras: Espectro, Ou Isto ou Aquilo e Escolha o seu sonho – Crônicas.

Rachel de Queiroz

(17 de novembro de 1910 – 04 de novembro de 2003)

Tradutora, romancista, jornalista, escritora, cronista e importante dramaturga brasileira. Autora de destaque na ficção social nordestina, foi a primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras.

Principais obras: O Quinze, As três Marias e Memorial de Maria Moura.

Hilda Hilst

(21 de abril de 1930 – 04 De fevereiro de 2004)

Poeta, ficcionista, cronista e dramaturga. Considerada pela crítica especializada como uma das maiores escritoras em língua portuguesa do século XX pela crítica especializada.

Principais obras: Presságio, com meus olhos de cão e outras novelas, A obscena Sra D.

Lygia Fagundes Telles 

(19 de abril de 1923. Hoje está com 94 anos)

Escritora, romancista e contista, com grande representação no movimento pós-modernismo. Suas obras tratam de temas universais como a morte, o amor, o medo e a loucura. Foi considerada por críticos, acadêmicos e leitores uma das maiores escritoras da história da literatura brasileira.

Principais obras: Ciranda de Pedra, As meninas, Porão e sobrado.

Cora Coralina 

(20 de agosto de 1889 – 10 de abril de 1985)

Poetisa e contista. Mulher simples, doceira de profissão, viveu afastada dos grandes centros urbanos. Sua primeira publicação – Poemas dos becos de Goiás e estórias mais – em junho de 1965, quando já tinha quase 76 anos.

Principais obras: Poemas dos Becos do Goiás e estórias mais, Estórias da casa Velha da Ponte

Adélia Prado 

(13 de dezembro de 1935. Hoje está com 82 anos)

Poetisa, filósofa, professora e contista. Seus textos são ligados ao modernismo e por isso falam do cotidiano com um certo encanto. Seu aspecto lúdico, norteado por sua fé cristã, é uma das características de seu estilo, que é único.

Principais obras: O homem da mão seca, o coração disparado, Terra de Santa Cruz

Lya Luft 

(15 de setembro de 1938. Hoje está com 79 anos)

Escritora, tradutora, colunista mensal da revista Veja e professora aposentada da UFRGS. No total, são 23 livros publicados, entre romances, coletâneas de poemas, crônicas, ensaios e livros infantis.

Principais obras: Canções de Limiar, Flauta Doce, Perdas e Ganhos

Ana Mariana Machado 

(24 de dezembro de 1941. Hoje está com 76 anos)

Jornalista, professora, pintora e escritora. Formada em Letras, lecionou na UFRJ e na PUC-RJ. Como jornalista, trabalhou por mais de dez anos na Radio Jornal do Brasil. Em 1980, foi uma das fundadoras da primeira livraria infantil no Brasil, a Malasartes, que existe até hoje no Rio de Janeiro. Tem mais de 100 livros publicados.

Principais obras: Bisa Bia, Bisa Bel, Menina bonita do laço de fita, A audácia dessa mulher

Heloisa Seixas 

(26 de julho de 1952. Hoje está com 65 anos)

Escritora e tradutora. Formada em jornalismo, pela UFF – Universidade Federal Fluminense. Trabalhou como jornalista no Jornal O Globo, na agência de notícias UPI e na Assessoria de Imprensa da ONU. Durante sete anos, escreveu a coluna Contos mínimos no Jornal do Brasil. Estreou como escritora em 1995, já depois dos 40 anos, lançando o livro de contos Pente de Vénus: histórias do amor assombrado. A partir daí, além de romances, contos e novelas, Heloísa também escreveu peças e roteiros para musicais. Tem mais de 20 livros publicados.

Principais obras: O lugar escuro, O oitavo selo: Quase romance, Contos mínimos