Com o objetivo de apresentar e qualificar a produção audiovisual infanto-juvenil do Brasil e do mundo, o Festival Internacional Pequeno Cineasta (FIPC) prorroga inscrições para a sua sétima edição, que será realizada em outubro no Rio de Janeiro (sessões e locais serão divulgados posteriormente). Até o dia 30 de julho, crianças entre 8 e 17 anos do Brasil e do mundo podem se inscrever gratuitamente no site, no qual também está disponível o regulamento completo.

Criado em 2010, pela atriz e produtora Daniela Gracindo, o FIPC promove um grande debate sobre o universo infantil, discutindo os conceitos educacionais atuais e os valores dentro da diversidade cultural. Em suas seis edições anteriores, o festival exibiu mais de 900 filmes de 28 países, atingindo um público de cerca de sete mil pessoas. Todas as edições contam ainda com oficinas, debates e mesas redondas com a presença de renomados profissionais brasileiros e estrangeiros, possibilitando o intercâmbio de novos saberes e processos de realização.

“Abrimos espaço para a infância e juventude de maneira universal para que haja uma apropriação da linguagem audiovisual por essa faixa etária”, explica Daniela Gracindo, que também ministra a Oficina Pequeno Cineasta em outros períodos do ano para qualificar os alunos na área cinematográfica.

“Conseguimos perceber um olhar sagaz e criativo nos participantes e queremos dar a eles ferramentas para expressarem suas visões de mundo, alegrias e angústias.  Acreditamos que, assim, contribuímos para a formação de indivíduos conscientes, com autoestima fortalecida, e estimulados para uma atitude ativa na formação de uma sociedade saudável”.

Como concorrer 

Para concorrer, os pequenos cineastas têm que ter entre 8 e 17 anos e produzir um curta de 1 a 10 minutos de duração, de qualquer gênero: ficção, documentário, experimental e animação. A temática também é livre. O elenco não precisa ser obrigatoriamente formado por crianças ou jovens, mas as obras devem refletir as opiniões e pensamentos das crianças e jovens envolvidos na sua criação. A categoria na qual o filme concorrerá será definida pela idade do participante mais velho.

Educadores, professores e instrutores podem orientar os jovens em assuntos relacionados a suporte técnico, como edição, operação de equipamentos, produção, etc., sem que haja, no entanto, interferência no processo criativo. A seleção levará em conta, nesta ordem, criatividade, uso da linguagem audiovisual na obra apresentada e representatividade local.

O candidato deverá preencher uma ficha de inscrição online e enviar por e-mail o link para download do curta-metragem com fotos de divulgação e do making of em alta resolução. A Comissão Organizadora do Festival poderá negar inscrição de obras que contenham mensagens violadoras dos direitos humanos ou dos valores constitucionais democráticos.

Os curtas em competição serão avaliados por um júri composto por dez crianças e jovens com idade entre 8 e 17 anos, que já tenham a experiência na realização de obras audiovisuais. O público também elege o seu preferido nas competitivas nacional e internacional. São quatro categorias no total, todas com dois vencedores cada (um selecionado pelo júri oficial e outra pelo júri popular): Competitiva Nacional – categoria filmes feitos por crianças (8 a 12 anos); Competitiva Nacional – categoria filmes feitos por jovens (13 a 17 anos); Competitiva Internacional – categoria filmes feitos por crianças (8 a 12 anos); e Competitiva Internacional – categoria filmes feitos por jovens (13 a 17 anos).

Os prêmios para os vencedores incluem o Troféu Pequeno Cineasta e claquetes profissionais Kodak.

Mostras não competitivas 

A programação do Festival Internacional Pequeno Cineasta inclui ainda outras três mostras fora da competição. A “Mostra Oficina Pequeno Cineasta” apresenta ao grande público os trabalhos realizados por alunos da oficina homônima que Daniela ministra desde 2010. Foi por conta do sucesso das aulas que a produtora resolveu criar o festival com o objetivo de não só criar um intercâmbio entre as culturas, mas como também de dar visibilidade aos projetos finais criados por seus alunos.

Outra mostra promovida é a “Sustente Sua História”, composta por uma seleção de filmes que falam sobre sustentabilidade e meio ambiente, criada em parceria com o Museu do Meio Ambiente do Jardim Botânico do Rio. A Mostra de Filmes Europeus, cuja seleção que é feita em parcerias com centros europeus, completa a programação.

Sobre Daniela Gracindo

Atriz e produtora, Daniela Gracindo é formada em cinema pela UNESA e se especializou como produtora executiva fazendo MBA pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) – RJ. Viveu na Austrália, onde concluiu o curso de “Film Making From Start to Finish”, na Worker’s Educational Association de Sidney.

Entre vários trabalhos que realizou, destacam-se o documentário de longa-metragem que produziu, em homenagem ao ator Paulo Gracindo, seu avô paterno, intitulado “Paulo Gracindo – O Bem Amado” e o musical “Léo e Bia” de Oswaldo Montenegro, que levou para as telas de cinema. Em 2009, criou o projeto Pequeno Cineasta, pensado e desenvolvido com foco nas crianças e jovens de 8 a 17 anos, procurando estimulá-las a um futuro participativo revelando a experiência vivida por crianças do mundo inteiro de contar histórias através da linguagem audiovisual. O projeto compõe diversas ações, destacando-se a Oficina Pequeno Cineasta e o Festival Internacional Pequeno Cineasta. Em parceria com o Canal Brasil, lançou o Programa Pequeno Cineasta, dirigido por Walter Lima Jr.  Em 2016, foi convidada pela escola de cinema Station Next a levar dois pequenos cineastas brasileiros para fazer intercâmbio em um workshop internacional na Dinamarca. No mesmo ano, realizou a 6ª edição do FIPC e formou a 29ª turma da Oficina Pequeno Cineasta.