Pais, crianças e frequentadores do elevado Presidente João Goulart acompanharam no último domingo de março a estreia da peça: “Minhoca na Cabeça”, dirigida por Rani Guerra. O enredo narra a história da personagem, menina, vinda de uma cidade pequena e que passa a morar na capital. Ao longo da trama são abordados o medo da cidade grande, ocupação e especulação imobiliária. É a segunda obra feita com exclusividade para o local. O objetivo do projeto é transformar um espaço público em convívio de distribuição da arte.

O espetáculo é parte das ações do projeto NAVEGAR, contemplado na 29ª edição do edital de Fomento ao Teatro, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

A menina

Foto: Sissy Eiko

Ela saiu de uma cidade pequena, com muito espaço, e chegou numa cidade gigantesca, onde não cabe quase nada. Nos bairros não cabem praças, nas praças não cabem árvores, nas árvores não cabem crianças. O único lugar em que parece caber algo, é na sua própria cabeça. Cabem suas brincadeiras, suas invenções, suas birras e seus sonhos. Tem até um espaço para o medo da cidade. E foi nesse espacinho que uma minhoca veio fazer morada.
Não demorou e a minhoca folgada começou a ocupar muito espaço. Mas, para a sorte da Menina, seus atrapalhados amigos Haroldo e Heraldo aparecerão para ensinar novas formas fantásticas de ver e navegar por essa cidade maluca. Para acompanhá-los a Menina terá de enfrentar seus medos e decidir o que fará com a minhoca na sua cabeça.

Esparrama

Foto: Sissy Eiko

O grupo surgiu em 27 de novembro de 2013 . O primeiro espetáculo, “Dois por Quatro” em parceria com a maestrina Ester Freire, conta a história de dois palhaços competindo por um quarteto de cordas. A ideia era explorar a propriedade de som com a criança e aproximar a música clássica. Depois disso a família aumentou, tornaram-se cinco: Kleber Brianez, Rani Guerra, Iarlei Rangel, Luciana Gandelini e Ligia Campos. Para esse espetáculo os organizadores idealizaram um projeto maior que ocupasse de fato o Minhocão. Para isso foram convidados três atores da Trupe DuNavô: Gabi Zanola, Renato Ribeiro e o Vinícius Ramos, que vieram como participação especial.

Prêmios

Foto: Sissy Eiko

Com o projeto ainda sendo realizado de forma independente, foi contemplado com importantes prêmios do teatro: Prêmio FEMSA de Teatro Infantil e Jovem (Categoria Revelação – pela direção – e Prêmio Crystal Eco de Sustentabilidade) e o Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro, na categoria Melhor Ocupação de Espaço.

Para mais informações, acesse nossa agenda cultural:

Agenda

Por Mari Manetta