No ano de 2017 grandes sucessos da sétima arte comemoram vinte anos de estreia. Entre eles estão “Titanic”, “MIB – Homens de Preto”, “A vida é bela”, “O casamento do meu melhor amigo”, “007 – O amanhã nunca morre”, entre outros. Mas teve um em especial que marcou toda uma geração, encantou e foi uma animação muito aclamada e que não pertencia aos estúdios Disney. Em 2017, o filme “Anastasia” comemora 20 anos, nada mais justo do que relembrar a história da princesa perdida da Rússia que foi a primeira animação da Fox.

A trama conta uma história digna de conto de fadas. Anastasia é filha do czar Nicolau II e vive no palácio com sua família. Durante a Revolução Russa ela é obrigada a fugir com sua avó, no entanto acaba se perdendo dela e sofre um pequeno acidente no qual perde a memória. Toda a sua família foi assassinada, mas a população acredita que a jovem princesa ainda está viva.

Após 10 anos, sem família e sem memória, Anastasia, agora se chama Anya, quer ir em busca de sua família. Ela conhece Dimitri e Vladimir que estão em busca de uma moça para se passar por Anastasia e assim conseguirem receber uma recompensa que sua avó, que vive em Paris, está oferecendo para quem encontrar sua neta. Mas nada será tão simples assim, afinal Anya não se lembra de nada e o bruxo Rasputin fará de tudo para que a última sobrevivente da família real russa não se junte aos demais parentes.

A animação não encanta apenas pela história diferente e pelo fato de ter tido seu pontapé inicial a partir de uma história real em meio a belos cenários da Rússia e da França, mas também por ser um lindo musical. Em 1956, o enredo já tinha sido retratado no cinema, e rendeu o Oscar de melhor atriz para Ingrid Bergman, que viveu a jovem Anastasia. Isso mostra que desde muito tempo a história é muito bem recebida pelos críticos especializados. Mas a animação da Fox possui um diferencial em relação ao longa da década de 50.

O filme é repleto de canções que casam perfeitamente com o enredo, além das coreografias feitas pelas personagens que fluem pela imaginação e vão além do esperado de uma animação voltada para o público infantil. Não é à toa que o filme foi indicado ao Oscar por “Melhor Trilha Sonora – Comédia e Musical” e  “Melhor Canção Original” com “Journey To The Past” (De volta ao Passado). Foi um fórmula única que envolve os gêneros musical, romance, comédia e infantil, e que colocou a Fox num respeitado patamar de estúdios de animação. Foi o primeiro longa de animação da Fox e essencial para que o estúdio produzisse outros longas de sucesso voltados para o público infantil. Na época foi uma febre entre as meninas, até houve o lançamento de uma boneca inspirada na grã-duquesa de belos cabelos ruivos.

Com um enredo tão bom e reconhecido pelo Oscar como um dos melhores musicais daquele ano, a história de Anastasia foi além do cinema. Desde 2015, a trama era cotada para se tornar um musical digno de Broadway e aconteceu. Em março desse ano, mais especificamente no dia 24 de março de 2017, o musical teatral teve sua grande estreia e desde então tem sido muito assistido pelos fãs da história da grã-duquesa e pelos amantes dos musicais da Broadway. Foram cerca de 2 anos preparando o espetáculo, então percebe-se que o mesmo foi montado com muito cuidado e carinho, para justamente atingir a expectativa em cima dessa história. Tentando resgatar um pouco do filme produzido pela Fox, a trilha sonora do musical conta com “Journey To The Past” (De volta ao Passado), a canção que foi indicada ao Oscar.

 

Muitas animações fizeram sucesso na Broadway. Outras tiveram versões live-action. E não poderia ser diferente para o clássico “Anastasia”. A história está em cartaz no teatro, mas também já é cotada para ganhar uma versão real para o cinema, assim como aconteceu nos últimos anos com “Alice no país das maravilhas”, “Cinderella”, “Mogli” e “A Bela e a Fera”.

Segundo notícias recentes, os direitos autorais da animação da Fox foram vendidos para os estúdios da Disney. Sendo assim, a história da princesa perdida russa estaria na lista para ganhar uma versão live-action. Nada mais justo, afinal mesmo após 20 anos a animação ainda é lembrada com muito carinho pelas crianças de 1997 e por isso é nítido que uma nova versão do filme levaria um grande público aos cinemas. Vamos torcer para que isso aconteça!