Conforme os anos vão passando, os biotipos que descrevem uma pessoa bela vão mudando. Se nos anos 50 e 60 as Pin-Ups eram as mulheres ideais de beleza, que faziam todas as outras seguirem seu estilo, a partir da década de 80 a geração das mulheres magras entrou em destaque.

Não é incomum ver garotas cada vez mais finas nas telas, vivendo todo tipo de personagens. E mais gravemente, não é raro elas serem muito elogiadas quando todos os ossos estão a mostra. Sim, algumas garotas são geneticamente magras, mas algumas não são. E Hollywood e as pessoas que trabalham lá têm obsessão pelo esqueleto humano.

Às vezes, a magreza choca quem está de fora. Muito se comentou sobre o corpo bem delgado de Angelina Jolie há alguns anos. Ela, que sempre pertenceu ao time de mulheres que tem todas as curvas no lugar, apareceu como se estivesse abaixo de seu peso normal. Ainda que muita gente tenha se espantado com seus braços e pernas finos, outros elogiaram o que seria a melhor forma de Jolie até aquele momento, segundo eles, mesmo depois de ter passado por 2 gravidez, ela conseguia manter seu corpo seco.

A questão que muitas pessoas fizeram foi: que corpo seco? A famosa atriz parecia mais estar com algum tipo de distúrbio alimentar do que com uma aparência saudável. Após muitos comentários que isso gerou, Angelina apareceu em eventos mostrando que na verdade estava bem e tudo não passou de alarme falso. De fato, alguém pegou fotos de um ensaio da atriz e usou o photoshop para afiná-la, dando um ar meio cadavérico a ela. Seja lá qual foi a intenção, agradou algumas pessoas do mundo do cinema, mostrando claramente que muita gente acha ossos aparecendo por baixo da pele é algo interessante.

Outras atrizes também podem ser citadas. A sueca Alicia Vinkander, que ganhou o mundo por personagens em produções como “A Garota Dinamarquesa” e “Ex-Machina”, está de férias, seu filme Tomb Raider, que anteriormente foi feito com Jolie vivendo a protagonista, segue em pós-produção, e ela curte um merecido descanso na Espanha. Ao ser fotografada por paparazzis, Vinkander mostrou uma figura completamente e absurdamente magra. Ela, que se acredita ser naturalmente e geneticamente mais fina mesmo, está realmente “um palito” como dizem algumas pessoas.

E ainda que cause estranheza, boa parte da imprensa mundial não fez mais que elogiar sua “bonita figura”. Mesmo que seus braços, pernas, cintura, estejam todos realmente finos, o fato dela estar “sequinha” agradou e é capaz de que algum diretor ou produtor importante diga o quanto ela está linda. Infelizmente, Vinkander está, provavelmente, apenas seguindo os padrões do local onde trabalha. Apesar de ter uma carreira em franca ascensão, ela ainda não é uma atriz totalmente consolidada, e se encaixar deve ser algo recorrente em seu mundo.

Um fato que aconteceu recentemente escancarou a visão firme – e machista – de um (pseudo)jornalista. A cantora, e agora atriz em percurso com um filme para estrear, Rihanna foi fotografada por paparazzis em um dia normal. Com uma aparência totalmente saudável e radiante, ela estava saindo de uma loja. E o fato de não ter ossos se destacando fez com quem um blogueiro fizesse uma nota dizendo que homens não iriam mais se apaixonar por ela porque ela estava gordinha.No texto que se seguiu, ele diz ainda que era um desperdício que Rihanna estivesse acima do peso, porque agora garotos não iriam ter ela como uma referência sexy feminina, e que se ela, que era o modelo de um corpo sexy, estava gorda, quem mais seria a esperança para alguém tentadora? A cantora, que não é conhecida por ter uma paciência absurda, respondeu com um divertido e irônico meme, mostrando que realmente não se importa e está acima de qualquer opinião machista.

Um outro caso é o da atriz Lily Collins. Lily emagreceu bastante para viver uma adolescente anoréxica na produção da Netflix, “To The Bone”. Distúrbios alimentares causam uma distorção na imagem que cada pessoa tem de seu corpo, fazendo-as acreditar que estão gordas, e querendo a todo custo emagrecer podendo cair na anorexia, quando a pessoa para de comer ou se alimenta apenas com o mínimo possível, e/ou na Bulimia, quando a pessoa come, mas força o vômito logo em seguida. Collins, que já passou por isso, precisou emagrecer, dessa vez sob acompanhamento médico, para gravar o filme.Há alguns dias, ela contou que ao sair da casa dos pais, encontrou uma conhecida da mãe, que queria falar com ela sobre seu corpo. Ao tentar explicar que sua magreza era devido ao filme, a atriz foi interrompida pela mulher que disse que gostaria da dieta que Collins estava fazendo, porque seu corpo magro e com aparência pouco saudável parecia muito bom. Irritada, a atriz teria criticado a vizinha para a mãe e expôs essa conversa assustadora em suas entrevistas de divulgação. Provavelmente, a atriz ainda não viu, mas sua figura atual está sendo elogiada em alguns jornais.

O culto e a obsessão pelo esqueleto humano parece ser o vício de Hollywood. Atrizes como Gabourey Sidibe (de “Preciosa”), Melissa McCarthy (“A Espiã que Sabia de Menos”), Rebel Wilson (“Quatro Amigas e Um Casamento”), entre outras já deram diversas entrevistas sobre como ouvem, frequentemente, que deveriam ser magras ou buscar emagrecer, ou coisas do tipo.

A verdade é que, aos poucos e com certa dificuldade, pessoas têm cada vez mais tentado quebrar esses padrões de Hollywood. E parece que esta é a época correta para se fazer isso, já que grandes mudanças estão sendo feitas.