Sim, você está lendo certo! O título de nossa matéria é o resumo do que verá por aqui, no nosso Literando da semana. Separamos 10 livros, ou melhor, separamos um pouco mais do que apenas 10 livros para indicá-los. Aqui são quase bíblias cinematográficas e, se contar certinho, vai perceber que são 12 indicações no total.

Dúvidas sobre a seleção?! Bom, não podemos negar que houveram e outros livros mereciam estar por aqui, mas quem sabe não acontece uma nova indicação em breve?! Por enquanto, vamos nos ater aos escolhidos, afinal, eles serão capazes de te fazer enxergar o cinema de uma outra maneira, sendo profissional, estudante de cinema ou só um(a) cinéfilo(a) assíduo(a).

Nossas três primeiras escolhas são teóricas e consistem em livros que explicam a história do cinema. Tudo Sobre Cinema e História do Cinema Mundial fazem um resumão, desde quando começou até há alguns anos, porque eles já foram lançados há um tempinho e não houve, até o momento, uma reedição atualizando-os. O primeiro é uma espécie de enciclopédia com figuras, etc. Já o segundo é uma organização da história, com uma escrita didática e de fácil entendimento. Já o terceiro, A Utopia No Cinema Brasileiro, fala sobre uma parte do recesso e a famosa “retomada” do cinema nacional até a contemporaneidade. Embora os acontecimentos históricos anteriores sejam riquíssimos, esse livro dá uma espécie de panorama sobre o que vemos do cinema brasileiro nos dias de hoje.

Os quatro livros a seguir são teóricos e práticos, isso porque eles não só explicam detalhes técnicos como ensinam a realizá-los. O Cinema e A Produção é indispensável, embora já seja um pouco antigo, já que ele também aborda revelações dos filmes e trabalhos com película. Junto a ele, o britânico On Camera fala sobre produção de televisão, mas ela, assim como o cinema, é uma estrutura de comunicação em massa, feita por imagens e sons, com inúmeras relações entre eles.

O modo de se fazer e a estrutura são muito parecidos. Depois, temos o Story, livro do famoso “Guru dos Roteiros Hollywoodianos” que ensina, nos mínimos detalhes, o processo de construção de uma excelente história ficcional. Por fim, nesse tópico de teóricos e práticos, vem o Lendo As Imagens Do Cinema, que auxiliará a enxergar a sétima arte de uma maneira prática e lúdica ao mesmo tempo.

Finalizando nossas escolhas, vamos para os biográficos – ou quase isso – de grande diretores. O espanhol Luis Buñuel, um dos maiores expoentes do cinema surrealista, traz em Meu Último Suspiro uma semi-biografia sobre seus trabalhos e a forma como os realizou. Depois, temos Hitchcock / Truffaut, trazendo a entrevista e comentários sobre o trabalho do mestre Alfred Hitchcock feita por François Truffaut, cineasta francês e um dos fundadores do movimento Nouvelle Vague.

Já para finalizar, ao invés de ser só um, colocamos três que possuem a mesma premissa: Conversas Com…. Com estilo bem próximo de nossa indicação anterior, esse livros são ótimos para conhecer o lado pessoal e profissional dos diretores Stanley Kubrick, Martin Scorsese e Woddy Allen.

Abaixo, você encontrará mais informações sobre nossa indicação de livros. Já vamos deixar claro que as descrições de cada um foram retiradas da divulgação da própria obra ou de trechos do mesmo. Eles podem ser encontrados em algumas livrarias físicas ou para compras online, mas boa parte deles precisa ser encomendando, devido – que infelicidade – à falta de demanda. Depois, é só partir para o abraço! Aproveite os livros, porque conhecimento nunca é demais, e boa leitura.

Livro 01: Tudo Sobre Cinema

Autores: Christopher Frayling e Philip Kemp

Editoras: Sextante / Gmt

Descrição: Se você ama cinema e deseja aprender mais sobre a sétima arte, este livro não pode faltar na sua biblioteca. Ele foi escrito por uma experiente equipe de críticos especializados, organizando-o cronologicamente, com os principais acontecimentos, que ajudarão a compreender o contexto sociocultural em que as obras foram produzidas. Este é um guia instigante sobre a história do cinema de maneira acessível, incrementado com análises aprofundadas das obras-primas, numa diagramação que facilita a leitura, contendo mais de 1.100 ilustrações de cenas inesquecíveis. Abrangendo todos os gêneros e movimentos cinematográficos, como clássicos do cinema mudo, épicos, filmes de gângster, musicais, a Nouvelle Vague e o cinema latino-americano ele também proporciona uma viagem ao mundo do cinema – o glamour, as frustrações, o sucesso, o fracasso e o dia a dia das grandes estrelas.

Nº de Páginas: 576

 

Livro 02: História do Cinema Mundial

Autor: Fernando Mascarello

Editora: Papirus

Descrição: O livro concretiza uma proposta inédita no cenário brasileiro: apresentar um panorama horizontal da produção internacional dessa forma narrativa que chamamos cinema. A aposta na dimensão diacrônica tem seus predicados. Percorrer esse livro é deparar-se constantemente com a efervescência das tradições que reivindicaram para si o estatuto de cinematográficas. O cinema das origens, o cinema clássico, o diálogo criativo do cinema com o construtivismo, o expressionismo, o surrealismo, as particularidades da vanguarda cinematográfica chamada impressionista, o cinema realista e seu coroamento no neo-realismo, a chegada da modernidade com a Nouvelle Vague, os novos cinemas, o retorno de Hollywood, os grandes autores e as grandes personalidades da história do cinema, o pós-modernismo e o cinema documentário: o cinema no século XX é o universo que esse livro se propõe a discutir de partida, um desafio elevado. (Texto baseado na Apresentação de Fernão Pessoa Ramos)

Nº de Páginas: 432

 

Livro 03: A Utopia No Cinema Brasileiro

Autora: Lucia Nagib

Editora: Cosac Naify

Descrição: Neste livro, a renomada pesquisadora e professora Lúcia Nagib lança seu olhar crítico sobre o cinema brasileiro da década de 90, enfocando a continuidade e as transformações das visões utópicas num período que se caracterizou pelo anúncio do fim das utopias. Num momento em que a atenção da crítica está voltada para a produção de documentários, a autora se debruça sobre os filmes de ficção e propõe a discussão sobre as possibilidades do cinema ficcional como revelador do processo histórico do país, analisando filmes de diretores como Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos, Walter Salles, Toni Venturi, Beto Brant, Rosemberg Cariry, Bia Lessa e Fernando Meirelles, entre outros. Nagib ilumina seu percurso reflexivo recorrendo a pensamentos de filósofos e teóricos do cinema e também resgata os mitos fundadores do país.

Nº de Páginas: 216

 

Livro 04: O Cinema e A Produção

Autor: Chris Rodrigues

Editora: Lamparina

Descrição: A preocupação didática do professor Chris Rodrigues induziu o produtor Chris Rodrigues a contar tudo o que sabe – e como sabe! – de sua vastíssima experiência em organizar produções cinematográficas de todos os gêneros. Trata-se de um conjunto de revelações sobre a feitura de um filme, desde a formatação do roteiro, passando pela análise técnica, composição de elenco e equipe, escolha de locações, e por aí vai, sem esquecer os modelos de cartas de produção, mais procedimentos legais, mais… Bem, vocês encontrarão aquilo de que precisam, não se inquietem, pois Chris foi à frente e lhes dá com precisão a dica de que estão necessitando neste momento para realizar o seu projeto fílmico, esteja onde estiver. (Trecho do texto de Nelson Pereira dos Santos presente na orelha do livro)

Nº de Páginas: 260

 

Livro 05: On Camera 

Autor: Harris Watts

Editora: Summus

Descrição: Se você já fez qualquer curso abordando televisão e vídeo, agora é a hora de esquecer tudo o que você já sabe ou estudou. Pois aqui está um livro mais importante do que qualquer curso, originário de uma emissora que mantém programas regulares de formação profissional: a BBC de Londres. Bem humorado, dinâmico e preciso – qualidades que também fazem parte do dia a dia dos produtores -, esse livro, parte integrante do curso de vídeo da BBC, abre as portas para a criatividade e para o aperfeiçoamento sempre indispensável dos profissionais. É nosso desejo que não haja mais desculpas para as produções chatas, ruins e dispensáveis – ou como diz o autor, Harris Watts: “Adeus, TV Cambalacho!” (Prefácio da Edição Brasileira, feita por Mário Afonso Kempenich e Jairo Tadeu Longhi)

Nº de Páginas: 260

 

 

Livro 06: Story

Autor: Robert McKee

Editora: Arte e Letra

Descrição: Diferente de outros livros sobre escrita de roteiros, Story é sobre forma, não formula. Empregando exemplos de mais de cem filmes, McKee usa uma filosofia que vai além das rígidas regras para identificar os elementos mais elucidativos que distinguem histórias de qualidade das outras. Começando por definições básicas (O que é um beat? Uma cena? Uma sequência? O clímax do ato? O clímax do filme?). McKee não apenas desvenda brilhantemente os mistérios da estrutura padrão de três atos, mas também desmistifica estruturas incomuns como a de dois atos, sete atos e oito atos. Expõe as limitações de cada gênero, ressaltando a importância do tema, ambiente e atmosfera; e enfatiza a importância do personagem versus criação. Este prático livro se tornou indispensável para escritores de roteiro de qualquer lugar.

Nº de Páginas: 432

 

Livro 07: Lendo As Imagens Do Cinema

Autor: Laurent Jullier e Michel Marie

Editora: Senac São Paulo

Descrição: ‘Ler’ cinema não é fácil! Então, quais são as ferramentas necessárias ao nosso conhecimento para decifrar um filme? Lendo as imagens do cinema deixa de lado a crítica cinematográfica comum e, ao apresentar as ferramentas de interpretação do plano, da sequência e do filme, nos ensina a olhar imagens do cinema e a escutar filmes, utilizando a metodologia da análise fílmica baseada na história do cinema. Enfim, um livro que explora os diversos frutos e vertentes produzidos pela sétima arte.

Nº de Páginas: 288

 

 

Livro 08: Meu Último Suspiro

Autor: Luis Buñuel

Editora: Cosac Naify

Descrição: Luis Buñuel definiu “Meu Último Suspiro” como um livro “semibiográfico”. Por não se considerar um “homem da escrita”, chamou seu constante colaborador em filmes, Jean-Claude Carrière, para auxiliá-lo neste grande roteiro que retrata a origem, os erros e acertos, as dúvidas e certezas do cineasta que levou o surrealismo ao cinema, em parceria com nomes como Salvador Dalí e Garcia Lorca. Escrito no início da década de 1980, o livro logo se destacou pela irreverência e diferente narrativa, segundo o autor, “uma narrativa inesperada, um retrato meu, com minhas afirmações, hesitações, repetições e brancos, com minhas verdades e minhas mentiras; para resumir: minha memória”. Esta nova edição, traduzida por André Telles diretamente do original francês, tem como grande novidade a inserção de imagens inéditas do acervo pessoal do cineasta, com seleção feita pelos próprios Buñuel e Carrière, cedidas por seu filho Juan Luis Buñuel.

Nº de Páginas: 363

 

Livro 09: Hitchcock / Truffaut

Autor: François Truffaut

Editora: Companhia das Letras

Descrição: “A obra de Alfred Hitchcock é hoje admirada no mundo todo e os jovens que atualmente descobrem, graças às reprises “Janela Indiscreta”, “Um Corpo que Cai”, “Intriga Internacional” provavelmente pensam que sempre foi assim. Não foi, nem de longe. […] Em 1962, estamos em Nova York para apresentar Jules e Jim, percebi que todo jornalista me fazia a mesma pergunta: “Por que os críticos dos Cahiers du Cinéma levam Hitchcock a sério? Ele é rico, faz sucesso, mas seus filmes não têm substância“. […]

Para quem assistia a seus filmes era evidente que esse homem tinha refletido sobre todos os meios de sua arte, mais que qualquer de seus colegas, e se aceitasse, pela primeira vez, responder a um questionário sistemático, daí poderia resultar um livro capaz de modificar a opinião dos críticos americanos. É a história deste livro. Pacientemente elaborado com a ajuda de Helen Scott, cuja experiência editorial foi decisiva, nosso livro, creio poder afirmar, atingiu seu objetivo. No entanto, quando foi publicado, um jovem americano, professor de cinema, me previu: “Esse livro será mais nocivo à sua reputação nos Estados Unidos do que o seu próprio filme“. […]

Na verdade, os críticos americanos tornaram-se de 1968, mais atento aos trabalhos de Hitchcock – hoje consideram “Psicose” um filme clássico – e os cinéfilos mais moços adotaram definitivamente Hitchcock sem condená-lo por seu sucesso, sua riqueza e sua celebridade.” – Trechos do Livro.

Nº de Páginas: 365

 

Livro 10: Conversas Com…

  • Kubrick

Autor: Michel Ciment

Editora: Cosac Naify

Descrição: Este livro reúne as famosas entrevistas de Kubrick realizadas por Michel Ciment, informações sobre os profissionais que trabalharam com o diretor, como roteiristas, diretores de arte, montadores, etc., além de making of, fotos de cena e filmografia completa. Com prefácio do cineasta Martin Scorsese, trata-se de uma leitura obrigatória para cinéfilos e amantes da obra desse artista genial.

Nº de Páginas: 382

  • Scorsese

Autor: Richard Schickel

Editora: Cosac Naify

Descrição: Em “Conversas com Scorsese”, um dos grandes nomes do cinema norte-americano do século XX fala sobre sucessos como “Taxi Driver”, “Touro indomável”, “Os infiltrados” e “Ilha do medo”, sobre narrativa, filmagem e direção, atores, música e montagem. Mas não só: os longos anos de amizade com o autor Richard Schickel, importante crítico de cinema da atualidade, fazem com que surja das conversas um homem brilhante, profundo conhecedor da história do cinema, capaz de refletir sobre seus medos, obsessões e fracassos.

Nº de Páginas: 528

  • Woody Allen

Autor: Eric Lax

Editora: Relógio D’Água

Descrição: “Um livro delicioso […] Conhecer Woody Allen está entre as melhores coisas que a vida oferece. Conversas Com Woody Allen possibilita a rara oportunidade de mergulhar na mente de um artista.” – Declaração do Autor.

Nº de Páginas: 456