“Poker Face”, “Paparazzi”,”Born This Way” ou “Perfect Illusion”,  são alguns dos nomes de músicas bem conhecidos, e também sucessos emplacados de Lady Gaga. A artista norte-americana é reconhecida por todos os cantos do globo e acabou tornando-se um ícone para o gênero pop de música, principalmente. Engajada em diversos movimentos, como em defesa da comunidade LGBT e igualdade de direitos políticos, Gaga é uma referência e inspiração de vida para diversos fãs.

Por outro lado, atrás de toda a rebuscada produção dos shows, clipes e roupas, há uma mulher comum, o famoso “gente como a gente”. É isso que podemos acompanhar na história do documentário “Gaga: Five Foot Two”. Somos presos a atenção para saber um pouco (e muito) mais sobre essa figura internacional e rodeada pela fama. Se você está procurando um bom filme para ver no tempo livre, pode já ir colocando esse documentário no topo da sua listinha de prioridade.

Pode ser fã fanático ou não, a famosa Gaga é reconhecida em qualquer parte e sempre assistimos a ela nos palcos, com suas performances viciantes e figurinos incríveis (e também polêmicos: nunca esqueceremos a roupa de carne). No entanto, agora a artista se expõe diante da câmera, e para todos, o lado por trás de sua imagem midiática icônica. O mais novo documentário sobre a cantora, “Gaga: Five Foot Two”, já está disponível na plataforma Netflix, lançado em 22 de setembro e já é um sucesso de avaliação, comentários e repercussão.

O espectador pode acompanhar a cantora em diversos altos e baixos de sua vida pessoal, passando desde os problemas sérios de saúde, quando descobriu o diagnóstico, até separar-se da posição de estrela da música pop e ela mesma, como é. O projeto é produzido pela própria Lady Gaga ao lado de Heather Parry, famosa produtora norte-americana de programas de TV e filmes. Além disso, esse documentário é mais um investimento da Netflix, que também está sendo a detentora da distribuição do conteúdo (você já pode dar um play em casa).

No filme, nós, como público, já somos apresentados a Stefani Joanne Angelina Germanotta, o verdadeiro nome da cantora. Recentemente, Gaga teve sua carreira marcada pelo cancelamento de algumas turnês, inclusive o seu esperado show no Palco Mundo do Rock in Rio. Em meio a isso tudo, a artista revelou sobre sua doença. O documentário retrata a vida dessa mulher em um momento de fragilidade após ter conhecimento que sofre de fibromialgia. Com todo o estilos de suas apresentações, o problema não é algo perceptível para o público, que nunca poderia ver durante as performances. No entanto, as intensas dores estavam impedindo Gaga de continuar.

Durante a gravação, acompanhamos a diva preparando-se em frente às câmeras para uma operação. Além disso, também é possível ver cenas difíceis e reais de momentos de solidão. Por meio de alguns registros pessoais misturado a filmagens de sua carreira, o longa metragem trilha o caminho desde a gravação do álbum “Joanne” em 2015 até o marcante show de apresentação durante o Super Bowl em 2017.

Com um foco maior sobre o assunto de sua carreira musical, hoje Lady Gaga é um dos nomes referências do mundo pop e artístico. Para completar seu currículo, a famosa já embarcou na aventura da atuação, com seus papéis sensacionais das personagens Elizabeth e Scáthach, na série norte-americana American Horror Story, de Ryan Murphy, que a rendeu alguns importante prêmios e nomeações em premiações. Porém, nessa produção somos levados na viagem de conhecer a verdadeira Gaga.

Para completar, é possível ter conhecimento sobre todas essas outras camadas, pertencentes a essa mesma pessoa, por trás de todas as maquiagens e figurinos. Pode ser considerado como arriscado e até corajoso, principalmente por desconstruir toda uma imagem em que os fãs baseiam essa ídola em suas mentes. Uma característica marcante no filme é levar o espectador para uma trajetória inversa, diferente do usual esperado, em que possibilita a reflexão sobre o amadurecimento da cantora em lidar com sua fama e a vida, tentando para que tudo siga no controle.