Concorrendo ao Troféu Mucuripe, o longa brasileiro Malasartes e o Duelo com a Morte”, de Paulo Morelli, faz sua Première Mundial no festival. O filme foi apresentado neste domingo (06) no Cineteatro São Luiz.  A produção da O2 Filmes orçada em R$9,5 milhões, com 50% das cenas geradas por computação, traz a história do personagem folclórico Pedro Malasartes e o mundo mágico da Morte. O diretor Paulo Morelli e o ator Jesuíta Barbosa estavam presentes na sessão.

Na noite de domingo também houve uma homenagem especial a um dos principais fotógrafos e diretores da cinematografia brasileira contemporânea: Walter Carvalho. Entre os mais de 50 prêmios que já recebeu, destacam-se os troféus em festivais internacionais voltados para fotografia, como o GoldenFrog, no Festival Camerimage, na Polônia, por Central do Brasil (1997); Câmera de Prata, do Festival de Macedônia, por Terra estrangeira (1996) e duas Câmeras de Ouro, por Central do Brasil (1997) e Lavoura arcaica (2001).

Os curtas que abriram a programação da noite foram Vando Vulgo Vedita, de Andréia Pires e Leonardo Mouramateus; “Vênus – Filó a Fadinha Lésbica”, de Sávio Leite, exibido na mostra Panorama do Festival de Berlim, na Alemanha; “Fogo Selvagem”, de Diogo Hayashi e Mehr Licht!”, de Mariana Kaufman, curta que foi exibido no Festival de Edimburgo, na Escócia, como parte da Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem.

No Cinema do Dragão, houve uma sessão especial do longa “Corpo Elétrico”, de Marcelo Caetano, com bate-papo com do diretor em seguida.

Na manhã de domingo aconteceu também o debate com os realizadores e as equipes do longa e do curta exibidos na abertura – “Uma mulher fantástica” e “A luz da Mata” no Hotel Oásis Atlântico.