É uma obra infantojuvenil que conta a história da adolescente Isabel, que é a protagonista. Livro lançado pela Editora Moderna. Uma jovem apaixonada por outro adolescente, e este se apaixona por sua melhor amiga. E se isso não fosse suficiente para atormentar a vida da nossa querida e sofredora Isabel, ela também será convidada a escrever poemas para ajudar no romance dos “pombinhos”, visto que ela é uma ótima escritora. Prepare-se para fortes emoções!

A jovem Isabel não é nada feliz com sua aparência, muito pelo contrário, ela é muito triste, sofre bastante por isso, e exatamente por essa razão, tem como seu maior inimigo o espelho, porque ali ela enxerga seu maior pesadelo, ela enxerga o que ela não gostaria de ver. No espelho, ela tem sua imagem refletida, ali, ela vê o que tanto a faz sofrer, seus defeitos, mas a jovem, assim como todos os mortais, só enxerga os defeitos, o que ela tem de melhor, o espelho não consegue refletir, seu talento, sua personalidade.

A adolescente é convidada para a festa do seu primo, Cristiano, ela não o via há muito tempo e resolve convidar sua melhor amiga, Rosana, que é muito bonita, chama bastante atenção, para ir também.

Na festa, tanto Cristiano, quanto Rosana se interessam um pelo outro, deixando Isabel muito triste, mas como uma boa amiga que sempre foi, ela acaba ajudando-os. E adivinha como? Ela escreve cartas com poemas para os dois. Escreve para Rosana e assina como Cristiano e vice-versa. Isso porque eles pediram e a bondosa menina não conseguiu dizer não. Claro que isso segue e a menina vai se ferindo cada vez mais, só que agora ela não pode mais desistir, está mergulhada de cabeça nisso.

Ainda no dia da festa, a menina conhece um outro garoto, o Fernando, ele se interessa por ela, mas, para ela não faz diferença, é bem assim mesmo quando se tem uma paixão não correspondida. Os olhos ficam cegos.

Eles se beijam, mas ela acha que beijou o primo, pois estava escuro e ela havia bebido um pouquinho, mas isso será revelado depois.

Num dia qualquer, na escola, sofrendo por amor, a menina se esconde numa sala para chorar e acaba virando testemunha de um assassinato e esse episódio mudará todo o rumo da história.

Mas até aqui o que aprendemos com o romance de Pedro Bandeira é o seguinte, nunca estamos satisfeitos com nada mesmo. Isabel não se sentia bonita, não era amada, tinha uma relação conflitante com sua mãe, seu pai não morava em casa, acabara de conhecer seu primo e este logo se apaixona por sua melhor amiga, paixão esta que é correspondida. Porém, Isabel esquece de tudo de positivo que tem, que possui. Ela é jovem, tem toda a vida pela frente, é saudável, inteligente, só tira notas boas, escreve muito bem, é um boa amiga, na verdade, uma excelente amiga, tanto que abre mão da sua paixão por sua amizade, só sendo uma leal amiga para fazer isso. E desperta nas outras pessoas sentimentos bons, isso é espetacular, mas a menina não consegue se dar conta disso, pois está trancada no mundo obscuro da amargura e insatisfação, buscando só reclamar das imperfeições e das coisas que não têm, assim como todos nós.

É uma ótima leitura, é um aprendizado para avaliarmos o que realmente importa. Será que estamos cuidando do que temos? Ou só tentando incansavelmente ter o que queremos que nem percebemos que já possuímos tantas coisas boas?

Não adianta travarmos um duelo com a vida, porque ela sempre ganhará, então melhor jogar do seu lado e retirar dela tudo de positivo e o que não for, será sempre aproveitado.

Vale a reflexão!


Por Bruh Mendes

Resenha: A Marca de Uma Lágrima, de Pedro Bandeira
8.5Pontuação geral
Votação do leitor 0 Votos
0.0
CLOSE
CLOSE