Escrito e encenado pelo jovem ator e dramaturgo Tauã Delmiro, “O Edredom”, monólogo voltado para crianças e jovens, reestreia dia 15 de outubro no Espaço Furnas Cultural.

Adaptada de um conto homônimo, a peça se constrói à partir de uma pesquisa em teatro físico, desenvolvida pelo “Coletivo Macacos Alados” (grupo de teatro carioca integrado por Tauã Delmiro e Manuela Hashimoto), que tem por foco o corpo do ator e a palavra a serviço da narrativa cênica.

Encenado sobre um edredom, o espetáculo apresenta uma personagem que, por não saber se é menina ou moleque, decide virar peixe tornando acessível a discussão da temática da identidade de gênero para todos os públicos. Com sessões aos sábados e domingos, 17h, “O Edredom” cumpre temporada até dia 23 de outubro.

image001-1

Foto: Aloysio Araripe

Junto com sua equipe criativa, Tauã Delmiro iniciou a adaptação do conto para dramaturgia cênica, experimentando a estética a ser desenvolvida no espetáculo com a construção de uma cena curta (Esquete), a qual foi vencedora do “VII Festival Niterói em Cena” na mostra infanto-juvenil nas categorias “Melhor texto” e “Melhor ator”. Venceu também o “III Festival Ziembinski de Esquetes” nas categorias “Melhor cena pelo Júri Popular”, “Melhor texto” e “2º Melhor cena do festival” (Mesmo não estando inserida numa categoria voltada para o público infanto-juvenil). Também foi vencedor na categoria “Ator” no Festival de Esquetes de Fortaleza. A versão estendida da cena curta transformou-se no espetáculo que estreou no dia 18 de julho de 2015, no Castelinho do Flamengo, e recebeu indicações nas categorias “Melhor Ator” e “Melhor Texto” no “Prêmio CBTIJ de Teatro para Crianças 2015”.

SOBRE A TEMÁTICA DA IDENTIDADE DE GÊNERO PARA CRIANÇAS

O Coletivo Macacos Alados acredita que o teatro é um espaço muito potente para gerar reflexões das relações sociais e para diluir tensões pré-formatadas no meio o qual seu público alvo está inserido. Introduzir as crianças e jovens na discussão sobre temas tabus da sociedade, como a identidade de gênero, é também garantir seus direitos enquanto cidadão e com isso atuar no engajamento dessas na luta contra o preconceito, a discriminação e as diversas formas de opressão.

Para mais informações consulte nossa agenda:

Agenda