O final do ano chegou e com ele as festas, Natal e Réveillon, e as aguardadas férias. Além de visitar os parentes, viajar e ficar à toa, uma das coisas que mais gosto de fazer nesse free time é ver e rever os muitos musicais que adoro. Foi pensando nisso que resolvi fazer um MixTape especial, trazendo algumas das músicas dos meus musicais preferidos.

Dos mais clássicos aos mais recentes, fazer essa lista não foi nada fácil. Amo musicais e se fosse colocar todas as minhas canções preferidas, daria para fazer inúmeros MixTapes especiais sobre o tema. Porém, para quem nos acompanha sabe que normalmente só escolhemos a média sete músicas para compor nossa coluna, então, sem mais delongas, vamos às escolhidas.

Começando com um dos clássicos mais famosos que não me canso: “Grease” ou “Nos Tempos da Brilhantina”, no Brasil. Lançado 1978, o longa é baseado em um musical homônimo, com participação do próprio John Travolta, de 1971. Dirigido por Randal Kleiser, o longa é um dos musicais que mais arrecadou em bilheteria, 394 milhões de dólares no mundo, e ele nunca nos deixa esquecer a canção “Summer Nights (Tell Me More)”.

Mantendo o clima ‘juvenil’, vamos para o apaixonante “Across The Universe”, lançado em 2007. A produção americana, composta exclusivamente com músicas dos Beatles, foi dirigida por Julie Taymor, de Frida, com Jim Sturgess, Evan Rachel Wood e Joe Anderson, além de ter participações especiais do Bono do U2, Joe Cocker e Salma Hayek. Com tantas cenas maravilhosas, escolher uma só para figurar aqui foi tenso, mas “Strawberry Fields Forever” é muito marcante pra mim.

Sendo bem transgressor, principalmente para a época em que foi lançado, temos um musical que é ame ou odeie, afinal é muito difícil conhecer alguém que tenha visto “The Rock Horror Picture Show” e tenha ficado ‘em cima do muro’. A produção lançada em 75, dirigida por Jim Sharman,  é uma homenagem parodiada de filmes B de ficção científica e horror da década de 1930 até o início dos anos 1970. Ainda que tenha sido muito criticada negativamente, o longa ganhou um status quo de cult e sua rica ironia é inesquecível. Então: “Let’s do the Time Warp again!”

Falando em clássicos, se você se diz cinéfilo e nunca parou três horas da sua vida para assistir “Cantando na Chuva”, acho que você precisa urgentemente rever seus conceitos sobre o que é ser um cinéfilo. A comédia musical, “Singin’ in the Rain”, dirigida e coreografada por Gene Kelly e Stanley Donen, foi estrelada por Kelly, Donald O’Connor e Debbie Reynolds. O filme, que hoje é considerado um dos maiores filmes de todos os tempos, se passa nos anos 20, em Hollywood, durante transição do cinema mudo para o cinema falado. E é claro que a cena mais marcante e que dá título ao filme de 1952 entra para o nosso MixTape.

Não sei se já repararam, mas minha alma é um pouco velha, e sim, eu tenho um despenque pelos musicais mais antigos. Por isso, não poderia deixar de fora “West Side Story” ou “Amor, Sublime Amor”, no Brasil. Com sequências musicais maravilhosas, de arrepiar até o cabelo do… Enfim. O filme, de 61, é a adaptação do bem sucedido musical da Broadway, de mesmo nome, lançado em 57, onde são uma adaptação livre, ambientada na década de 50, de “Romeu e Julieta”, de William Shakespeare. Entre tantas composições maravilhosas, escolhi a debochada “América”, mesmo que a sequência de “Mambo” e “Prólogo” sejam surrealmente incríveis.

Um dos últimos espetáculos premiados da Broadway que ganhou sua versão cinematográfica, foi “Os Miseráveis”, em 2012. “Les Misérables”, é baseado no musical de Alain Boublil, Claude-Michel Schönberg e Herbert Kretzmer, que, por sua vez, é baseado no romance francês de mesmo nome, de 1862, escrito por Victor Hugo. O filme, dirigido por Tom Hopper, foi uma comemoração aos 25 anos do musical, que rendeu 8 indicações ao Oscar 2013, ganhando em três categorias, incluindo de Melhor Atriz Coadjuvante para Anne Hathaway, que canta a poderosa “I Dreamed a Dream”, que me faz afogar em lágrimas todas as vezes.

Por último, mas não menos importante, eu jamais poderia fazer uma lista de músicas inesquecíveis de musicais sem citar o filme que mais vi na vida. Depois de ver “Moulin Rouge!” 43 vezes, ter o DVD especial de colecionador e os CDs da trilha sonora, eu sei as músicas, as falas e até as coreografias. Só me falta o dinheiro pra montar uma versão brasileira para os palcos. Com oito indicações ao Oscar 2002, e vencedor de duas categorias, esse foi o primeiro musical que assisti, por isso, tenho tanto apego enorme à ele afinal, eu só tinha 10 anos. Com muitas cenas emblemáticas, a que me marcou profundamente, quando a vi pela primeira vez, é a mesma que sou apaixonado até hoje: “El Tango de Roxanne”.

Depois de “Moulin Rouge!”, “West Side Story” é o segundo musical que mais vi e vou confessar que após fazer esse MixTape, a vontade de rever todas essas obras me veio subitamente. Como falei lá no início, muitas músicas ficaram de fora, e poderia ficar horas e horas escrevendo/falando sobre o tema, mas prometo que em breve faço uma “part. 2”. Eu fico por aqui, mas te deixo um desafio: Me indique um filme musical que nunca tenha visto! Aguardo as indicações. Beijos molhados, abraços apertados, um cheiro e até!