Existem muitos fãs de rock no Brasil, e boa parte deles são fãs da banda Nirvana, que era liderada por Kurt Cobain até sua precoce morte em 1994. O Nirvana é uma das bandas que mudou o cenário do rock com o surgimento do movimento grunge, uma mistura de metal, punk e hard rock durante a década de 1990, era um som agressivo que agradou muito aqueles que viveram naquela época. Essa inovação foi essencial para que a banda entrasse para a história do rock, ainda mais pelo fato de que em poucos anos ela atingiu fãs por todo o mundo, vendeu milhões de discos e chegou a fazer um show no Brasil, em 1993, um ano antes do fim da banda.

A história da banda começou em Seattle, nos EUA, e até hoje milhares de fãs visitam a cidade para refazer os passos da banda – o que é uma ótima pedida, diga-se de passagem -, passando desde locais onde eles tocaram até monumentos onde seus seguidores homenagearam Cobain após seu falecimento.

Como forma de lembrar a trajetória do Nirvana, o curador Jacob McMurray teve a ideia de montar uma exposição com objetos e registros da banda, e muitos itens foram emprestados por colecionadores e fãs que possuem seu próprio acervo em casa. A exposição Nirvana: Taking Punk to the Masses ficou no Museu de Cultura Pop em Seattle durante 6 anos e além de conhecer a cidade da banda, os fãs também puderam conhecer a história de Cobain, Krist Novoselic e Dave Grhol no museu.

Mas e os fãs que não tem grana para ir até os EUA? Como fazer parar curtir um pouquinho da banda? Muito simples. “Se Maomé não vai a montanha, a montanha vai a Maomé.” Pela primeira vez fora de Seattle, a exposição aterrissou no Rio de Janeiro, no Museu Histórico Nacional no dia 22 de junho. Desde então, foram milhares de visitantes. O acervo tem cerca de 200 itens e entre eles estão instrumentos, fotos, vídeos, depoimentos, álbuns, itens pessoais dos integrantes, cartazes, entre outras peças, que vão desde a origem do grupo, em Aberdeen, às grandes turnês internacionais. Um dos itens que os fãs mais lembram é o cardigan amarelo que Cobain usava constantemente e inclusive vestia ele na gravação do Acústico MTV, mas infelizmente essa relíquia que esteve exposta em Seattle não veio para o Brasil, justamente porque o dono não autorizou a viagem da peça, muitos outros itens também não foram liberados para virem. Entretanto, registros inéditos dos shows da banda no país foram acrescentados na exposição.

E depois de quase 2 meses recebendo visitantes cariocas, a exposição chega ao fim no dia 22 de agosto. Se você ainda não foi e mora no Rio de Janeiro, aproveite os últimos dias, afinal não é todo dia que é possível conhecer uma exposição internacional tão renomada e que não visitou nenhum outro país a não ser o de origem. Melhor ainda é conhecer profundamente a história do Nirvana, uma banda que possui admiradores ao redor do mundo e mesmo após 20 anos do seu término tem cerca de 75 milhões de cópias de discos vendidas. É uma legião de fãs que vivenciou o período em que a banda esteve na ativa ou que conheceu depois, pelo simples fato de o som deles agradar e muito. E os fãs brasileiros são privilegiados por terem essa oportunidade. O projeto compõe as atividades do calendário 2017 do Samsung Conecta, que oferece experiências únicas, na música e no esporte, para os consumidores brasileiros. Além dos últimos meses no Rio de Janeiro, no próximo mês a exposição estará em São Paulo, no Ibirapuera, e os ingressos já estão à venda.

Para os fãs de rock em geral é uma oportunidade ímpar, até porque não é muito comum uma exposição dedicada a uma banda de rock. Diariamente, os museus recebem atrações voltadas para artes plásticas, tecnologia, fotografias, entre outros. Quando recebemos uma visita tão ilustre como essa exposição, não se pode deixar a oportunidade passar. Então, aproveite os últimos dias no Rio para visitar a exposição e dê um passeio pelo centro da cidade ou garanta seu ingresso em São Paulo, aproveitando para visitar os diferentes pontos turísticos e museus da cidade.

Afinal, essa exposição é uma ótima oportunidade para conhecer novos lugares. Que tal aproveitar um fim de semana em São Paulo?