É comum ver no instagram e outras redes sociais a disseminação de receitas fit. Dentre os alimentos que ficaram mais famosos para quem pratica da musculação estão o frango grelhado, a batata doce e as claras de ovos cozidas.

Estudos comprovam há uma preocupação muito grande com proteínas e carboidratos e pouca preocupação com a ingestão de vitaminas e minerais que são também de grande importância na prática de esportes. A ingestão desses micronutrientes pode ser afetada pelas restrições alimentares na dieta e pode ocorrer aumento da perda pelo suor e a urina em atletas, podendo levar a deficiência destes no organismo.

Com a prática de exercício, ocorre um aumento de 10 a 20 vezes do consumo de oxigênio, podendo induzir o desequilíbrio entre a produção de radicais livres (sistema oxidante) e sua remoção por meio dos sistemas antioxidantes, de forma que pode predominar a produção dos agentes oxidantes (estresse oxidativo); essa produção está atrelada a intensidade do exercício. O consumo de vitaminas e minerais antioxidantes como as vitaminas C e E; e os minerais selênio, zinco, cobre podem prevenir o estresse oxidativo.

Vitaminas atuam como reguladoras das funções metabólicas e exercem papel fundamental no metabolismo energético para o desempenho físico, em especial as vitaminas do complexo B. Dietas muito restritas em gordura, por exemplo, pode acarretar deficiência das vitaminas lipossolúveis (Vitaminas A, D, E e K), em especial a vitamina E, que tem como fonte os óleos vegetais (soja, milho, algodão), grãos integrais, nozes, margarinas, carnes e etc. Dentre as vitaminas hidrossolúveis, há destaque para as vitaminas do complexo B pois estão ligadas a produção de energia; atuam no metabolismo de carboidratos, lipídios, proteínas e ácidos nucleicos; e a vitamina C devido a sua propriedade antioxidante.

Minerais são indispensáveis ao organismo, pois atuam na regulação do metabolismo corporal, incluindo processos-chave no aproveitamento de energia e no rendimento físico. Assim como para as vitaminas, dietas restritivas podem levar ao consumo insuficiente para a necessidade requerida.

Vale ressaltar que o consumo de suplementos vitamínicos deve ser feito com cautela, pois muitas vezes ultrapassam a necessidade diária, podendo causar danos ao organismo pela toxicidade e assim também prejudicar o desempenho no esporte. É importante que a suplementação seja feita por um profissional capacitado para que avalie a necessidade.

Sendo assim uma alimentação equilibrada é priorizada. O consumo de vegetais (sobretudo os de cor verde escuro, são eles: brócolis, espinafre, couve, agrião e etc), frutas variadas, carnes magras, ovos, laticíneos, cereais integrais, leguminosas, frutas oleaginosas (nozes, castanhas, amêndoas) e etc garantem uma boa fonte de vitaminas e minerais necessários.

Por Debora Baganha