“As mulheres se arrumam para outras mulheres.” Essa é uma frase que estamos cansadas de ouvir. Que nos arrumamos para competir umas com as outras. Enquanto isso, os homens preferem a nossa beleza natural, “não precisa se pintar tanto”. Sim, como já disseram em uma das redes sociais, “natural se estiver no padrão”. Se tiver tudo no lugar, a cor e o tipo de cabelo que lhe atrai, o corpo que lhe agrada, aquela musa de capa de revista. E se nos deixarmos levar, acabamos por cair nessa balela toda e tentamos arrumar um jeito de alcançar o tal padrão de forma que pareça natural, para agradar ao boy e, ao mesmo tempo, causar inveja nas inimigas.

Felizmente estamos nos reencontrando e fazendo as pazes com nossos rostos, cabelos e corpos. Muitas de nós já percebemos como somos belas, não importa o que ache a mídia e a sociedade digam. É claro que não vamos gostar da nossa aparência o tempo todo. Em alguns dias, amaremos nossos cabelos e odiaremos nosso rosto, ou amar o rosto e achar que o cabelo é um desastre da natureza, vamos ter uma relação de amor e ódio com o nosso corpo. No entanto, não devemos deixar de nos amar. Só que muitas de nós ainda não enxergamos a beleza que possuímos. Muita gente ainda não entendeu que não existe um único tipo de beleza.

Então, como fazer para se sentir bonita? A resposta é: Antes de nos sentir bem com nossa aparência, devemos nos sentir bem com quem somos. Quando somos capazes de nos redescobrir, reinventar, e nos sentimos realizadas, aí é que encontramos beleza de verdade. Quando estamos bem, felizes e repletas de confiança em nós mesmas, conseguimos nos sentir bonitas. É claro que nem todos os dias estaremos bem, isso é normal. Mas passa. E você se levanta outra vez. Aí, ninguém te segura.

Podemos nos sentir um lixo dentro de roupas estilosas e cabelo de salão, e nos achar maravilhosas quando estamos descabeladas dentro de trapos que chamamos carinhosamente de roupas. Vai tudo depender de como você está por dentro. Quando estamos felizes, realizadas, ficamos animadas para cuidar do cabelo, caprichar na make escolher aquela roupa que nos deixa divas, saindo de casa ou não. E tudo bem, se não fizer nada disso, vai estar maravilhosa do mesmo jeito.

O importante é ter a liberdade de usar aquilo que te faz bem. Não se obrigue a vestir nada que não goste, ou a usar a maquiagem mais falada do momento se você fica desconfortável. E se você gosta de estar na moda e/ou fazer aquela make poderosa, então faça, você não é fútil por isso, não deixe que te diminuam com ofensas.

A gente, quando se sente bem, pinta o cabelo, corta ou deixa crescer, escolhe uma roupa nova, morre de amores por um sapato, monta um look sensacional, tira mil fotos, tudo porque estamos animadas e cheias de disposição. Quando estamos nos sentindo assim, nos sentimos mais bonitas mesmo e as outras pessoas enxergam isso. Elas começam a nos achar mais bonitas, porque realmente somos. O brilho vem para fora e não tem como passar despercebido.

A melhor coisa é quando a gente aprende a se amar. E cuidar da aparência, do visual, faz parte disso. A gente se arruma sim. Para outra mulher? Só se for aquela mulher que a gente vê do outro lado do espelho.