As histórias de terror tiveram início na literatura, mas podemos relembrar os primeiros produtos que surgiram no cinema. “O castelo do demônio” do francês George Melies, junto com “Gabinete do Dr Caligari” dirigido por Robert Wienne e “Nosferatu” de W. Murnau, formam os principais pioneiros do gênero. Essas produções influenciaram na estética, na fotografia, maquiagem e direção de tantos outros filmes nos anos seguintes.

Inicialmente, as produções cinematográficas eram principalmente baseadas em contos e retratavam história de vampiros, aristocratas malucos e cientistas. Como prova disso, é só lembrarmos dos clássicos “Drácula”, “Frankenstein” e “O Retrato de Dorian Gray”. O sucesso que os filmes tiveram nos anos de 1930 decaíram durante a Segunda Guerra Mundial pois a sociedade não queria ver cenas horripilantes no cinema com tantas barbaridades acontecendo no dia a dia. Só a partir da década de 50 que o cinema de terror voltou às telas.

Contudo, foi entre a década de 60 e 80 que os grandes clássicos e memoráveis filmes ganharam vida. Nos anos de 1960, Alfred Hitchcock criou o temido Norman Bates, em Piscose, George Romero rodou “A Noite dos Mortos-Vivos”, Roman Polanski dirigiu o assustador “Bebê de Rosemary” e, no Brasil, José Mojica Marins criou o icônico personagem Zé do Caixão. Na década de 70, o terror foi ganhando muitos subgêneros. Steven Spielberg ganhou fama com o filme “Tubarão”, que tratava de um medo de algo real, mas foi nessa época também que houve o boom de filmes sobre possessão, como por exemplo: “O Exorcista”, “Terror em Amityville”, “A Profecia” e “Carrie – A Estranha”. Além disso, ocorreu a produção e o sucesso de filmes independentes como “O Massacre da Serra Elétrica” e “Halloween”, dos respectivos diretores Tobe Hoope e John Carpenter.

Os anos 80 foi uma década em que os cineastas retratavam muitos jovens nos filmes de terror , como em “A Hora do Pesadelo” que deu vida ao famoso Freddy Krueger, e em “A Morte do Demônio”. E claro que não podíamos esquecer do surgimento dos aliens como em “Alien- O Oitavo Passageiro” e de outros filmes clássicos como “O Iluminado”.

A partir dos anos 90, os filmes de terror começaram a decair, com poucas exceções como “A Bruxa de Blair” que deu início ao formato de falso documentário no cinema.  A questão é que o gênero começou a ter menos produções e menos sucesso nas que eram lançadas. Mas tudo indica que esse hiato acabou. Filmes como “Sobrenatural” e as franquias de “Invocação do Mal” fizeram com que o terror voltasse com força para o gosto do público.

Atualmente, a programação do cinema está repleta de estreias que envolvem o gênero. O segundo filme da boneca Annabelle, denominado “Annabelle 2 – A Criação do Mal”. teve bastante sucesso de bilheteria. Outro longa que lidera as vendas de ingressos nos cinemas é o filme “It: A Coisa” inspirado na minissérie de TV nos anos 1990 e baseado no livro de Stephen King. Outros longas exibidos há pouco tempo foram “Corra!”, “Fragmentado”, “Raw”, “Alien: Covenant”, “It Comes At Night“, “Vida”, “A Autópsia”.

E a lista só aumenta, para os próximos meses a previsão é para estreia de longas como “Mãe”, que sai ainda nesse mês, dia 21 de setembro. O filme conta a história de um casal que tem seu relacionamento posto em prova quando pessoas entram em sua casa e acabam com a tranquilidade que antes predominava na casa. “Amityville – O despertar” é outro nome que vai estrear em breve, outra franquia do clássico Amityville , em que uma jornalista vai pesquisar todos os acontecimentos desde Amityville de 1976 até hoje para fazer uma matéria e os acontecimentos vão voltar a acontecer.

E por último, em 19 de outubro vai lançar “Além da Morte”, filme que conta a história de jovens estudantes de medicina que tentam fazer descobertas vivendo experiências quase morte.

Se você é um amante dos filmes de terror, fique ligado nos novos filmes do gênero.