Muita coisa aconteceu na indústria cinematográfica em 2017. Foi um ano marcado pela luta das mulheres contra o contínuo e antigo assédio que vem deteriorando há anos o mercado de trabalho, o que ocasionou nas descobertas de alguns esqueletos dentro do armário de muita gente renomada – como Harvey Winstean e Kevin Spacey. Luta essa que foi apoiada por muitos homens e que tomou de vez os palcos dos grandes prêmios, mostrando que nem mesmo o brilho e glamour de Hollywood poderá calar e esconder certas verdades.

E o “Oscar 2018” não ficará de fora do manifesto, o maior prêmio do cinema já vinha abraçando diferentes causas há algum tempo – como vimos com o #OscarsoWhite – provando que pode sim deixar de lado antigas ideologias e esse ano isso ficou ainda mais claro. Diferente de muitas outras premiações, ao anunciar os indicados desse ano a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood não deixou de fora nomes importantes que já vinham sendo cotados, como a diretora Greta Gerwig (“Lady Bird – A Hora de Voar”) e o diretor Jordan Peele (“Corra”). Gerwig é a primeira mulher a ser indicada ao prêmio de melhor direção desde 2009, quando Kathryn Bigelow foi selecionada e venceu o Oscar por “Guerra ao Terror”.

Além disso, o Oscar também se superou ao listar pela primeira vez uma mulher na categoria de Melhor Direção de Fotografia. Rachel Morrison é a responsável pela fotografia do elogiado “Mudbound: Lágrimas sobre o Mississippi” que compete com “Dunkirk”, “A Forma da Água”, “O Destino de uma Nação” e “Blade Runner 2049”.

Dentre algumas surpresas temos a presença do já aguardado “Me Chame Pelo Seu Nome” em importantes categorias, como Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Filme. O filme, dirigido pelo italiano Luca Guadagnino, é produzido pelo brasileiro Rodrigo Teixeira da RT Features. Também contamos com a entrada avassaladora da fábula de Guillermo Del Toro“A Forma da Água”, disputando em 13 categorias – quase se igualando a filmes como “Titanic” e “La La Land – Cantando Estações”

Os indicados foram anunciados na manhã dessa terça-feira pela atriz Tiffany Haddish, que deu um show de bom humor, e o ator Andy Serkis. Confira a lista completa que conta com nossas opiniões, e tire suas próprias conclusões.

Os Indicados

Melhor filme

A forma da água

Supresa: “O Destino de uma Nação”. Sem dúvida alguma é um bom filme, mas não para estar nessa lista. A produção contém diversos problemas e se segura mesmo pela atuação de Gary Oldman, espetacular como Winston Churchill.

Esnobados: Embora a Academia esteja aprendendo se abrir para uma nova era, ela ainda se prende a gêneros cinematográficos e, com isso, deixa de indicar filmes necessários como “Logan” e até mesmo o elogiado “Mulher-Maravilha”. Todavia, o grande esquecido nessa categoria foi o independente “Projeto Florida”, que cria uma das mais belas analogias dos últimos tempos no cinema.

Melhor diretor

Christopher Nolan (Dunkirk)

Surpresa: A grande surpresa aqui fica por conta de Jordan Peele. Embora ele faça um excelente trabalho em “Corra!”, tinham outros nomes que poderia ser cotados no seu lugar.

Esnobados: Podemos citar alguns, como: Steven Spielberg, que realiza um trabalho esplendoroso em “The Post – A Guerra Secreta” – reinventando o seu estilo com bastante sagacidade. Além dele temos Patty Jenkins (“Mulher Maravilha”), que proporcionou um dos melhores filmes baseado em super-heróis dos últimos anos e Martin McDonagh que aprofunda o seu trabalho no sensacional “Três Anúncios para um crime” – filme que vinha ganhando bastante coisa.

Melhor ator

Gary Oldman (O destino de uma nação)

Surpresa: Grande surpresa essa ano é a indicação de Denzel Washington por “Roman J. Israel, Esq.”. Mesmo ele tendo sido indicado a outros prêmios, muita gente esperava que ele não estivesse entre os selecionados aqui. A aparição de Daniel Kaluuya também surpreende muita gente, mas o ator realizou um trabalho competente em “Corra”. Pelo menos eles não colocaram o Tom Hanks de novo.

Esnobados: Com certeza James Franco! O ator, simplesmente, desenvolve uma fantástica construção da persona de Tommy Wiseau e foi esquecido. Todavia, como o mesmo foi acusado de assédio logo depois de ter faturado o Globo de Ouro 2018, já era de se esperar que a Academia fosse se afastar dele. – Sem falar que foi uma pena Hugh Jackman não ter sido lembrado pelo belíssimo trabalho em “Logan” e James McAvoy não ter sido nem citado pelo ótimo desempenho em “Fragmentado”.

Melhor atriz

Meryl Streep (The Post – A Guerra Secreta)

Surpresa: Uma merecida surpresa foi a entrada de Margot Robbie nessa categoria. A atriz está maravilhosa na na pele da ex-patinadora no gelo Tonya Harding. Já a indicação de Meryl Streep foi desnecessária, uma vez que tínhamos nomes que mereciam mais a oportunidade.

Esnobados: Diane Kruger por “Em Pedaços” e Daniela Vega por “Uma mulher fantástica”. As duas atrizes estrangeiras foram deixadas de fora injustamente. Pelo menos uma delas deveria estar nessa lista. Além delas, não podemos esquecer também do trabalho desenvolvido por Kate Winslet em “Roda Gigante”. Mesmo que esse não seja o melhor filme de Woody Allen, ela rouba todas as cenas e carrega a produção nas costas.

Melhor ator coadjuvante

Willem Dafoe (Projeto Flórida)

Surpresa: Outra surpresa positiva é a entrada de Willen Dafoe por “Projeto Flórida”. O ator merecia inclusive ganhar nessa categoria. Woody Harrelson também nos surpreende fazendo parte dessa lista. Será que foi a escolha certa?  – E com certeza Christopher Plummer não ficaria de fora. Não depois de tudo que aconteceu e resultou na saída de Kevin Spacey de “Todo Dinheiro do Mundo”.

Esnobados: Talvez uma indicação aqui para Armie Hammer por “Me Chame pelo Seu Nome” faria mais sentido do que a presença de Harrelson.

Melhor atriz coadjuvante

Mary J. Blige (Mudbound – Lágrimas do Mississipi)

Supresas: Com certeza ninguém esperava a indicação de Lesley Manville por “Trama Fantasma”. A veterana e talentosa atriz britânica vem sendo elogiada, mas não estava nem perto dos cotados de muitos outros prêmios.

Esnobadas: Hong Chau viu sua grande chance de competir por “Pequena Grande Vida” ir por água abaixo. Além dela, a carismática Holly Hunter também não foi lembrada pelo bonitinho “Doentes de Amor”.

Melhor roteiro original

Corra! (Jordan Peele)

Surpresa: Nenhum.

Esnobado: Nenhum.

Melhor roteiro adaptado

Me chame pelo seu nome (James Ivory)

Surpresa: O trabalho ficou maravilhoso, mas não deixa de ser uma surpresa ver essa indicação para “Logan”, uma vez que o esqueceram em outras categorias. Mas, tudo bem, vamos de doses homeopáticas, não é Academia?

Esnobado: Nenhum.

Melhor fotografia

Blade Runner 2049 (Roger Deakins)

Surpresa: A entrada de Rachel Morrison é uma grata surpresa. A diretora de fotografia já vinha fazendo excelentes trabalhos, como “Fruitvale Station – A última parada” e nunca era cotada. Agora, entra para história como a primeira mulher a surgir nessa categoria no Oscar.

Esnobado: Nenhum.

Melhor animação

O Touro Ferdinando (Carlos Saldanha)

Surpresa:“O Poderoso Chefinho” é um bonito filme e uma linda referência a um dos grandes filmes de todos os tempos, mas estar nessa categoria nos surpreende uma vez que tínhamos um forte nome que poderia aderir essa posição.

Esnobado: E esse nome é “Lego Batman”. Filme muito bem realizado e com uma excelente sátira aos famigerados super-heróis que – atualmente – vem tomando espaço nas bilheterias mundiais.

Melhor filme em língua estrangeira

The Square: A arte da discórdia (Suécia)

  • Uma Mulher Fantástica (Chile)
  • O Insulto (Líbano)
  • Desamor (Rússia)
  • Corpo e Alma (Hungria)
  • The Square: A arte da discórdia (Suécia)

Supresa: Nenhuma.

Esnobados: Com certeza os brasileiros sentiram muito com a falta de “Bingo – O Rei das Manhãs” nessa lista. Uma pena, pois o filme está lindo. Todavia, o grande esnobado aqui é o espetacular “Em Pedaços”.

Melhor documentário

Visages villages (Agnès Varda, Rosalie Varda, JR)

Supresa: Nenhuma.

Esnobados:“Jane” e “City of Ghosts”, dois dos mais badalados e comentados documentários do ano. Com a falta desses o caminho fica um pouco mais tranquilo para o ótimo “Visages Villages”.

Melhor edição

Eu, Tonya (Tatiana S. Riegel)

Surpresa: Nenhuma.

Esnobado: Nenhum

Melhor design de produção

A bela e a fera (Sarah Greenwood, Katie Spencer)

Surpresa: Nenhuma.

Esnobado: Nenhum

Melhor cabelo a maquiagem

“Extraordinário” (Arjen Tuiten)

Surpresa: Nenhuma.

Esnobado: “Eu, Tonya” poderia facilmente compor essa categoria, afinal eles teriam mais dois lugares aqui. E esse outro lugar deveria ficar com “A Forma da Água” que apresenta um trabalho fabuloso.

Melhor figurino

Trama Fantasma (Mark Bridges)

Surpresa: Nenhuma.

Esnobado: Nenhum

Melhores efeitos visuais

Planeta dos Macacos: A guerra (Joe Letteri, Daniel Barrett, Dan Lemmon, Joel Whist)

Surpresa: Uma grande porém merecida surpresa é ver “Kong – A Ilha da caveira” nesta lista. Mesmo sendo uma categoria técnica, muita gente ignorou o filme.

Esnobado: Os trabalhos realizados em “Thor – Ragnarok” e “Mulher Maravilha” passaram despercebidos, pelo visto.

Melhor canção original

“This is me” – O Rei do Show (Benj Pasek, Justin Paul)

Surpresa: A entrada de “Stand up for Something” de “Marshall”. Mesmo sendo uma linda canção entoada por Andra Ray feat. Common.

Esnobado: Sentimos e sentimos muito a falta de canções, como: “Evermore” e “How Does a Moment Last Forever” do filme “A Bela e a Fera”. Além da linda “Never Enough” do “O Rei do Show”. Contudo, entendemos todos os selecionados nessa categoria.

Melhor trilha sonora

Star Wars: Os últimos Jedi (John Williams)

Surpresa: Nenhuma.

Esnobado: Nenhum

Melhor edição de som

Em ritmo de fuga (Julian Slater)

Surpresa: Nenhuma.

Esnobado: Podemos destacar “Planeta dos Macacos – A Guerra”.

Melhor mixagem de som

Dunkirk (Gregg Landaker, Gary Rizzo, Mark Weingarten)

Surpresa: Nenhuma.

Esnobado: como segue o mesmo padrão de avaliação da anterior, podemos também lembrar de  “Planeta dos Macacos – A Guerra”.

Melhor curta-metragem

Dekalb Elementary (Reed Van Dyk)

Surpresa: Nenhuma.

Esnobado: Nenhum.

Melhor curta-metragem de animação

Lou (Dave Mullins, Dana Murray)

Surpresa: Nenhuma.

Esnobado: Nenhum.

Melhor documentário em curta-metragem

Edith+Eddie (Laura Checkoway, Thomas Lee Wright)

Surpresa: Nenhuma.

Esnobado: Nenhum.


Essa é a nossa visão sobre os indicados ao “Oscar 2018”. Até a noite do prêmio teremos ainda 41 dias para refletir mais sobre o mesmo e durante esse tempo iremos falar muito da grande noite do cinema por aqui. A premiação acontece no dia 04 de março e, pela segunda vez, será apresentada por Jimmy Kimmel.

Em terras tupiniquins, o único canal a transmitir na íntegra o evento é a TNT. Mas, você vai poder nos acompanhar também em tempo real pelas redes sociais. Estaremos divulgando todos os vencedores pelo nossos perfis no Facebook, Instagram e Twitter. Se ainda não conhece, clica aí e nos siga.

E para deixar tudo ainda mais divertido, nós vamos realizar a “2ª Edição do Bolão #OscarnaWoo”. Não perca a oportunidade de participar, basta clicar nesse link e dar os seus palpites para o Oscar. Quem acertar mais vezes na premiação, vai ganhar uma Woo! Black Boxx. Uma caixa secreta com diferentes prêmios, incluindo DVDs, Livros, Camisa e muito mais. São mais de 30 prêmios diferentes. Vai querer ficar de fora? Participe logo!

Mas, atenção, é necessário que leia todo o regulamento antes de participar. Você tem até o dia 03 de março às 12h para preencher o formulário da “2ª Edição do Bolão #OscarnaWoo”.

CLOSE
CLOSE