A coluna Bookland recebeu uma missão quase impossível para essa semana: Listar os piores livros de 2017.

Sabe quando pedem pra você citar 3 defeitos seus e você simplesmente não consegue? Difícil, né?! Muito mais fácil falar de qualidades. Pois é… A mesma coisa acontece na linha “melhores e piores” relacionados a livros. Em todo lugar você lê ou ouve dizer sobre os melhores do ano, os mais vendidos, coisas do tipo. Agora, sobre os piores… muito complicado.

Então, pra cumprir a tarefa, fizemos um apanhado entre algumas editoras grandes e em alguns sites de literatura e chegamos a alguns nomes. E segue a lista dos menos votados até chegar no 1° lugar, o mais votado como pior livro.

7° lugar – Cinquenta tons de cinza, de E.L. James

Anastásia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey e descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ana, com toda sua inocência e ingenuidade, se surpreende ao perceber que está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja – mas em seus próprios termos. Ficou em 7° lugar, com 5 mil e 200 pessoas que não chegaram ao final.

6° lugar – O morro dos ventos uivantes, de Emily Brontë

Uma paixão avassaladora acontece entre Heathcliff e Catherine, amigos de infância que foram separamos pelo destino. Tudo acontece na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes e o amor do casal é mais forte que qualquer tormenta. Um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança. Esse é o único romance escrito por Emily Brontë. É um clássico da literatura inglesa. Mas apesar disso, entrou pra essa lista com cerca de 5 mil e 900 desistentes da leitura.

5° lugar – As Crônicas de Nárnia, de C.S. Lewis

Uma série de sete romances de fantasia. É a obra mais conhecida do autor Irlandês C.S. Lewis. Considerado um clássico da literatura, a série usa elementos da mitologia grega e nórdica, como nos tradicionais contos de fadas. Foi adaptado para cinema e teatro. Pelas pesquisas, cerca de 6 mil pessoas abandonaram o livro pela metade.

4° lugar – A hospedeira, de Stephenie Meyer

A Terra foi colonizada por uma raça alienígena que controla a mente dos humanos e usa seus corpos como hospedeiros. A maioria da humanidade foi erradicada, mas quando Melanie se recusa a aceitar sua nova alma, uma caçada se inicia. Mais de 7 mil desistiram da leitura.

3° lugar – O mundo de Sofia, de Jostein Gaader

Um romance escrito por Jostein Gaarder. Foi escrito originalmente em norueguês, mas foi traduzido para outras línguas. Sua primeira edição em português foi em 1995 e em 2012 teve uma nova edição brasileira. Apesar do grande número de exemplares vendidos, quase 10 mil pessoas não terminaram a leitura.

2° lugar – A Cabana, de William P. Young

Após a morte da filha mais nova, um homem vive atormentado tentando descobrir a verdade. Ele encontra sinais que ela teria sido assassinada em uma cabana nas montanhas. Anos depois ele recebe uma mensagem em um bilhete misterioso pedindo pra que ele retorno ao local do crime. E ali ele vai receber uma grande lição de vida. Cerca de 13 mil pessoas abandonaram a leitura.

1° lugar – A menina que roubava livros, de Markus Zusak

Durante a Segunda Guerra Mundial, a jovem Liesel Meminger sobrevive fora de Munique através dos livros que ela rouba. Ela aprende a ler e partilhar livros com seus amigos com a ajuda de seu pai adotivo. Um homem judeu vive clandestinamente no porão de sua casa e se torna seu amigo e ela o ajuda a fugir dos alemães. Mais de 15 mil pessoas não concluíram.

Pode ser que você não concorde com a lista, mas fique tranquilo porque é totalmente compreensível. Impossível todos gostarem ou não dos mesmos livros, não é?! E isso vale até como um debate saudável. Deixe seu comentário dizendo se concorda ou não com os eleitos desta lista, ok?!