Sabe quando em sua cidade acontecem coisas incríveis, de graça, e você não está sabendo? Pois então! Chame todos seus amigos porque irá acontecer em alguns dias – para a felicidade dos maiores apreciadores da sétima arte – o Festival de Cinema Latino-Americano, que nesta edição reúne 18 países e mais de 90 títulos.

Nesta 12º edição, um cineasta paulista está sendo homenageado. Sim, Beto Brant. Diretor de “Os Matadores”, “Crime Delicado”, “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios” e outros que renderam muitos prêmios internacionais. Além de tudo isso, ele aproveitou este evento para a pré-estreia de “Zólaco” e “Ili Obá de Min”, uma homenagem a Elza Soares que promete encantar até os mais duros críticos de cinema.

Tudo isso acontece em vários espaços culturais. Como o Memorial da América Latina, CineSesc, Centro Cultural São Paulo e as unidades do CEU, entre os dias 26 de julho a 2 de agosto. Todos estes têm entrada franca. O evento no Facebook está detalhando todos os locais e filmes exibidos dos países Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, Guatemala, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

Essa é uma chance incrível de se inspirar na vida, virar um cult nato, e ainda levar o(a) crush para assistirem os filmes mais bem trabalhados possíveis. Vai preparando a agenda e organize seus horários, pois o que vai rolar é isso:

Na Praça Cívica

26 de julho, quarta-feira, 20h30

  • Cerimônia de abertura
  • Corpo Elétrico – Marcelo Caetano | Brasil | 2017 | DCP | 94’ 16 anos

28 de julho, sexta-feira, 20h30

  • Cubajazz – Max Alvim e Mauro Di Deus | Brasil / Cuba | DCP | legendado | 2017 | 85’ | livre
  • Ilú Oba de Min – Homenagem à Elza Soares, a Pérola Negra – Beto Brant | Brasil, 2017 | arquivo digital | 39’ | livre

2 de agosto, quarta-feira, 20h30

  • Cerimônia de encerramento
  • No Vazio da Noite – Cristiano Burlan | Brasil |2017 | DCP | 80’ | 16 anos

No Espaço Encontros

27 de julho, quinta-feira, 11h

  • Mesa Corpo Elétrico com Marcelo Caetano (Brasil) e convidados

29 de julho, sábado,16h

  • 16h – Mesa Homenagem Beto Brant com Beto Brant (Brasil), Marçal Aquino (Brasil) e Renato Ciasca (Brasil)

Na Biblioteca Latino-Americana

29 de julho, sábado, 11h

  • 11h – Castelo Rá-Tim-Bum, o Filme – CaoHamburger | Brasil | 1999 | DVD | 101’ | livre
  • 13h – Cantando de Galo – Gabriel Riva, Palacio Alatristee, Rodolfo Riva e Palacio Alatriste | México | DVD | 2015 | 98’ | livre
  • 15h – Para ter Onde Ir – Jorane Castro | Brasil | 2017 | DCP | 100’ | 14 anos
  • 17h – Pitanga – Beto Brant e Camila Pitanga | Brasil | 2016 | DCP | 110’ | 12 anos

30 de julho, domingo, 11h

  • 11h – Castelo Rá-Tim-Bum, o Filme – CaoHamburger | Brasil | 1999 | DVD | 101’ | livre
  • 13h – Cantando de Galo – Gabriel Riva, Palacio Alatristee, Rodolfo Riva e Palacio Alatriste | México | DVD | 2015 | 98’ | livre
  • 15h – Para ter Onde Ir – Jorane Castro | Brasil | 2017 | DCP | 100’ | 14 anos
  • 17h – Pitanga – Beto Brant e Camila Pitanga | Brasil | 2016 | DCP | 110’ | 12 anos

Valorizar o nosso cinema independente é sempre bom e gostosinho né? Com roteiros muito bem trabalhados, fotografia sensacional e com o brinde de exercitar seu espanhol, não tem mais o que pedir. O Festival tem uma história linda de edições homenageando vários lugares pela América Latina, e agora é a vez de Sampa para prestigiar toda essa nossa arte.

Além de tudo isso, é super fácil de chegar por metrô. Todo o custo que você vai ter é de 8 reais no máximo, e seu coração vai estar cheio ao sair de cada filme. Toda criança é bem-vinda, e só não tem espaço para quem não quiser curtir!

E, ah! Fique ligado nos destaques desse ano: “Jesus”, dirigido por Fernando Guzzoni; “Vida em Família”, que tem roteiro assinado pelo escritor Alejandro Zambra e direção de Cristián Jiménezi e Alicia Schersoni, e “Más Companhias”, de Claudia Huaiquimilla. Além do “Corpo Elétrico” de Marcelo Caetano, que tem a honra de abrir o festival no dia 26 de Julho, que conta uma história de amor entre uma mulher dona de uma confecção de roupas femininas e um imigrante.