Escolher o próximo destino de viagem pode muitas vezes ser uma tarefa difícil. Olha o tamanho desse mundo, o que não falta é opção. Por isso, diversas pessoas recorrem ao nosso grande ajudante Google, ou ao antigo método do boca a boca.

Além disso, toda a parte de planejamento é uma das melhores etapas. A curiosidade aumenta a cada informações sobre o lugar, e a ansiedade de seguir viagem também.

Nos últimos anos, diversos locais conhecidos no senso comum como “diferentes” entraram para a lista de muitas pessoas. O Sudeste Asiático foi um dos que ganharam esse destaque, além de países africanos. No entanto, outros que conseguiram seu espaço estão aqui nas Américas. Um desses foi Cuba. Sim, aquela ilha que durante muito tempo foi “excluída” dos roteiros de viagem.

Conhecida como Cuba, e oficialmente como República de Cuba, está localizada na América Central, no mar do Caribe. É um país caracterizado como insular, ou seja, é independente cujo território é uma ilha ou um conjunto delas. O caso cubano é o de um arquipélago, composto pela Ilha Principal de Cuba, a Ilha da Juventude e de diversas outras menores.

O país tem sido foco de notícias devido seus últimos acontecimentos, e, principalmente por isso, tem atraído muitos turistas. Um grande marco foram os primeiros passos para o fim do embargo comercial imposto pelos Estados Unidos. E também, a abertura do litoral para navios de cruzeiros, o que aumentou o número de viajantes. Além da novidade político-econômica, figuras importantes fizeram uma visitinha até lá, como o Papa Francisco, Barack Obama, a banda Rolling Stones, com um show épico (quase histórico), e o desfile de moda da marca Chanel.

Diferente do que muitos pensam, a capital do país não é Havana, e sim Santiago de Cuba, a segunda maior cidade. Cuba possui mais de 11 milhões de pessoas, sendo a nação-ilha mais populosa do Caribe. No quesito político, é ainda o único país da América com uma República Socialista, um regime com um único partido. Vale ressaltar que  é a única nação que recebeu da WWF a definição de desenvolvimento sustentável.

Após esse pequeno resumo e matador de algumas pequenas curiosidades, aqui vai uma seleção de pontos importantes para saber:

  • Hospedagem

Sim, em Cuba existem hotéis. Porém, se você está buscando uma viagem original, vale optar pela  hospedagem característica do país: as casas. É a forma de estalagem mais típica do lugar, diversas casas particulares abrem suas portas para os turistas. Além disso, é muito interessante ficar tão pertinho do modo de vida cubano. Uma curiosidade é que não é qualquer um que pode receber estrangeiros. O esquema de hospedagem consiste através de uma licença do governo para que a casa funcione desse jeito, além de pagarem um imposto mensal. É interessante, pois muitas delas possuem uma estrutura como uma pousada, com serviços avaliados como superiores a de muitos hotéis.

  • Moeda

Para começar, uma informação básica: CADECA são as casas de câmbio. Coloque-a na lista de palavras-chave para se virar em Cuba.

Existem duas moedas, o Peso Cubano (moeda nacional) e o Peso Convertibles, conhecido como “divisa”. Uma dica é optar pela pelos pesos cubanos. Por serem a moeda nacional, em diversos locais o preço desses é muito mais baratos comparado aos da “divisa”, porém possuem uma qualidade inferior.

  • Visto

A entrada de brasileiros no país só é possível com o visto cubano. O passaporte e o comprovante de seguro de saúde devem ter validade mínima de seis meses para que possa entrar. Uma maneira de conseguir o visto é por meio da internet, diversos sites de viagem oferecem.

É feito rapidamente e entregue via correio no endereço cadastrado. O preço fica em torno de R$ 109,00, com entrega até 30 dias. Para casos de maior urgência, entregando em até 15 dias, é cobrado aproximadamente R$ 218,00.

  • Novidade

Em fevereiro deste ano, se tornou obrigatório a vacina contra febre amarela para ter acesso à ilha. Não esqueça de tomá-la antes da viagem e levar o certificado.

  • Urgentes na mala

Algumas coisas consideradas parte da rotina para nós, é muito diferente para os cubanos. Principalmente, devido o antigo embargo econômico com os EUA, diversos itens eram muito caros ou não existiam mais na ilha. Por isso, é importante que leve alguns deles com você na mala: desodorante, repelente, pasta de dente, sabonete, protetor solar e papel higiênico. Dê uma atenção especial ao último item, é muito raro encontrar eles nos banheiros, seja de restaurantes, bares ou museus.

Anotou tudo? Ficou animado? Aposto que Cuba é uma ótima opção a ser considerada para entrar no seu roteiro de viagens. Aproveite as dicas e embarque nessa!