Com as estreias de Transformers e Planeta dos Macacos, o universo das grandes produções cinematográficas de volta a mais um filme de franquias que não parece ter fim. Mas, isso não é novidade. De blockbuster as sagas renomadas, alguns filmes parecem persistir ao longo da história. Porém, por quê esse fenômeno ainda acontece? A resposta é simples: dinheiro.

Vamos a uma das franquias de maior sucesso, no quesito arrecadação e público, Velozes e Furiosos. Desde o lançamento do primeiro filme em 2001, a turma de Toretto e cia vem batendo recordes e mais recordes de bilheteria nos cinemas. Os rachas, as famosas corridas clandestinas de rua, não são mais o foco principal da trama. Ao longo de oito filmes, os rumos das equipes e da própria história mudou, e parece ter agradado ao público que acompanha a série. Os mercados do Brasil e da China têm ajudado a franquia a alavancar os números financeiros para cifras acima de 4 bilhões de dólares.

Algumas série de filmes, aclamadas pela crítica, também tiveram sequências, novas franquias ou readaptações. “Star Wars” é um exemplo. Depois da primeira trilogia que marcou os anos 70 e 80, no final dos anos 90, foi lançado mais um filme da saga. Aproveitando as lacunas que a primeira trilogia deixou, a nova de “Star Wars”, apesar de criticada por fãs e especialistas, rendeu bons lucros aos produtores. Depois da compra da LucasFilm pela Disney, mais uma trilogia foi lançada, dessa vez para contar o que acontece após a primeira trilogia. No total, o primeiro filme rendeu mais de 2 bilhões de dólares aos produtores. A saga, ao todo, já contabilizou mais de 6 bilhões de dólares em arrecadação.

Ainda falando de sagas conceituadas, não tem como não falar de 007. Com 25 filmes lançados, a franquia do espião inglês James Bond, que luta contra alguma ameaça global sempre acompanhado por uma mulher, já faturou mais de 2 bilhões de dólares desde o primeiro filme, de 1963.

“Star Trek” também é outra franquia que vem crescendo e faturando muito. No Brasil, chamada de “Jornada nas Estrelas“, os fãs da série aumentam. Em 1979, foi lançado o primeiro dos 13 filmes da franquia, que em 2009 ganhou o primeiro reboot dirigido por J.J. Abrams. Com oito filmes lançados em circuito mundial, “Star Trek” arrecadou US$ 1,7 bilhões. Segundo o site Omelete, em 2016, “Star Trek: Sem Fronteiras” fez mais de US$ 342 milhões mundialmente, atrás de “Star Trek” (2009) e “Além da Escuridão: Star Trek” (2013). Há planos para Star Trek 4, mas a continuação ainda não tem data para chegar aos cinemas.

E não poderíamos deixar de falar da maior franquia de todos os tempos, o Marvel Universe. Com 15 filmes em apenas 9 anos, a Marvel, comprada pela Disney, já criou um império no campo das franquias, que reflete no faturamento do estúdio. Os números da Casa das Ideias não impressionam apenas na quantidade de filmes, mas também na bilheteria. Ao todo, os 15 filmes totalizam mais de US$ 12 bilhões mundialmente, sendo “Os Vingadores” (2012) a maior bilheteria com mais de US$ 1,5 bilhão. Em poucas semanas em cartaz, “Doutor Estranho” superou a soma de mais de US$ 500 milhões, já superando a bilheteria mundial de “O Incrível Hulk” (2008), “Capitão América: O Primeiro Vingador” (2011) e “Thor” (2011). Já o último filme lançado pelo estúdio, “Guardiões da Galáxia – Volume 2” faturou mais de 800 milhões de dólares, sendo um dos maiores filmes da franquia.

Você deve estar se perguntando sobre as ausências de “Harry Potter” e “Senhor do Anéis“. Esses filmes faturaram muito dinheiro, é verdade. Mas, diferente dos outros, são filmes baseados em livros. Ou seja, se quisessem seguir a lógica correta, os filmes seriam produzidos, mesmo que o faturamento não fosse os maiores do cinema. Contudo, para a sorte dos produtores, os filmes arrecadaram muito. “Harry Potter” arrecadou mais de 7,7 bilhões de dólares. Já “Senhor dos Anéis” e “Hobbit” faturaram mais de 5,8 bilhões de dólares.

Agora, é aguardar os números oficiais de “Transformers: o Último cavaleiro” e “Planeta dos Macacos: a guerra” para saber se as franquias manterão o sucesso lucrativo de outras séries de filmes.