Sabe quando você lê uma HQ que te deixa inspirado a desenhar, a ouvir boas músicas e até a sair pelas ruas tocando um saxofone ou uma gaita, mesmo sem saber? Pois é, se não sabe, você precisa conhecer a HQ “Tudo o Que Eu Posso te Dizer Sobre o Meu Cabelo”, do artista Filipe Werner (Edição independente, encontra-se em lojas especializadas ou com o próprio autor).

Uma belíssima homenagem aos grandes nomes do Jazz e, principalmente, do Blues! John Mayall, Barry Goldberg, Johnny Winter e Sonny Boy Williamson são apenas alguns dos nomes presentes na obra. Além de homenagens e referências diretas à obras desses músicos (todas elas devidamente citadas, para que os leitores possam ir atrás de cada uma e conhecer melhor), o quadrinista também nos apresenta histórias bem originais inspiradas em canções, e nos convida a conhecer sua inspiração! Recomendo que seja feita uma leitura direta, sem ouvir as referências, e outra após conhecer! É uma experiência incrível, parece que temos duas histórias diferentes!

Como talentoso artista que é, Filipe usou várias técnicas da Arte Sequencial para encher nossos olhos. Cada página é uma obra de arte, com traços marcantes, cores em harmonia total com a narrativa, e muita sensibilidade. Ele consegue colocar no papel pequenos gestos do cotidiano de uma forma poética que nos encanta.

O título é uma referência às mudanças em nossa vida, tantas fases às quais vamos nos adaptando (precisamos, né?), e ele usa os diferentes tipos de cabelo que temos em diversos momentos para ilustrar tudo isso de maneira poética.

As HQ’s são histórias que poderiam acontecer na minha vida ou na sua, inclusive uma delas me levou às lágrimas de tanto que me identifiquei! Mas, o mais bacana, é que o autor faz algo muito distinto. Ao mesmo tempo que nos leva à identificação com as circunstâncias e personagens, quando você pensa que a intenção é somente retratar a realidade do modo mais fiel possível, ele usa do nonsense para quebrar isso nos momentos mais inusitados. É uma mistura de realidade, com sonhos, com ilusões, com subconsciente, com memórias… Uma mistura que, no final, vira uma coisa só: arte, no seu melhor estado!

Assim, a dica da semana é essa: reserve um tempinho para ler essa obra! Recomendada tanto para os que conhecem os grandes nomes do Jazz e do Blues, como para os que não conhecem! (Vai por mim, ao ler, você vai querer conhecê-los, como aconteceu comigo!)

CLOSE
CLOSE