Tem festival de cinema, sim senhor! Muitos projetos acontecem diariamente nos estados do Brasil e, muitas vezes, não têm visibilidade suficiente para alcançarem o grande público. Porém, é de extrema importância divulgarmos esse tipo de evento, pois são eles que abastecem a cultura do país e trazem novos olhares sobre a sétima arte.

Penedo, cidadezinha turística do estado de Alagoas, é muito conhecida por estar a beira do Rio São Francisco e por suas igrejas e patrimônios históricos. No entanto, para quem não sabe, Penedo também é palco do Circuito Penedo de Cinema, que acontece desde o dia 6 de novembro e tem como intuito exibir filmes de produção independente. Os curta-metragens são separados e apresentados por meio do 10º Festival do Cinema Brasileiro, 7º Festival de Cinema Universitário de Alagoas, 4ª Mostra Velho Chico de Cinema Ambiental e 7º Encontro de Cinema Alagoano. Esse é um projeto criado por uma parceria da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) com a Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult) e o Instituto de Estudos Culturais, Políticos e Sociais do Homem Contemporâneo (IECPS). Além disso, eles recebem patrocínio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) e da Prefeitura de Penedo. O evento ocorre até o dia 11 de novembro.

Enquanto isso, na Bahia, o cinema Glauber Rocha deu início no dia 8 de novembro o Festival conhecido como Panorama Coisas do Cinema. Já é a 13ª edição do projeto e, dessa vez, eles começam com a exibição do filme “As Boas Maneiras“, que tem a atriz Marjorie Estiano no elenco. A sessão foi seguida por um debate com os diretores e ocorreu de forma gratuita. O Panorama tem um formato bem interessante, com mostras de clássicos, mostras competitivas, sessões de homenagens e até oficinas. As oficinas desse ano já estão esgotadas, uma de Escrita Crítica, ministrada pelo jornalista e crítico de cinema André Dib e outra com a temática sobre direção de arte, cuja a professora é Carol Tanajura.

Na Paraíba, a representatividade LGBT é tema da mostra paraibana LGBT em Cena. O evento ocorreu no Cine Banguê, em João Pessoa, nos dias de exibição foram 8 e 9 de novembro, com toda a programação gratuita. Realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, o projeto contou com apoio da Funesc, Tin Tin Cineclube, Ministério Público Federal, Sin e Expresse. Na mostra paraibana foram exibidos filmes inéditos produzidos por diretores paraibanos que buscaram atingir principalmente o público LGBT, como por exemplo, “Argentina” do diretor R.B. Lima, “Hosana nas Alturas“, dirigido por Eduardo Varandas e Stanley, com direção de Paulo Roberto. Todas as sessões foram seguidas por debates com a equipe das produções e a mediação de Gilberta Soares, secretária da Mulher e da Diversidade Humana.

Já em São Paulo, é a vez da maior tela de cinema dominar o Jockey Club. A partir do dia 9 de novembro, o Shell Open Air dá início ao cinema ao ar livre, mesmo evento que ocorreu no Rio de Janeiro há alguns meses. Serão exibidos ao todo 21 filmes, entre eles “Kill Bill”, do aclamado diretor Quentin Tarantino, “Titanic“, clássico do romance de James Cameron, “Dunkirk“, filme mais recente de Cristopher Nolan, além de exibir filmes nacionais, como “Bingo: Rei das Manhãs” do diretor Daniel Rezende. O espaço conta com diversas opções gastronômicas e terá atrações musicais como a banda Cachorro Grande e o cantor Samuel Rosa, da banda Skank. O evento acontece até o dia 26 de novembro.

No Rio de Janeiro, a Caixa Cultural exibe a segunda edição da mostra Histórias extraordinárias: Cinema Argentino, que teve início dia 7 de novembro. As sessões vão até o dia 19 de novembro e o projeto tem como intuito apresentar filmes que foram premiados em festivais e que obtiveram sucesso nos lugares em que foram exibidos. Um dos principais nomes esperados é o filme “Zama” da diretora Lucrecia Martel. As sessões acontecem de terça a domingo e o valor do ingresso é de R$4 a inteira e R$2 a meia.