“Reign” é uma série norte americana de ficção histórica criada por Laurie McCarthy e Stephanie SenGupta. Transmitida pelo canal americano “The CW”, assim como inúmeras séries para adolescentes/jovens adultos, como “Gossip Girl“, “One Tree Hill”, “The Vampire Diaries” e “Riverdale”, “Reign” conta a história da vida da rainha Mary da Escócia durante o período em que ela viveu na França junto ao príncipe Francis e o seu caminho ao poder.

O seriado é baseado na história verídica de Maria da Escócia, que reinou de 15 de dezembro de 1542 a 24 de julho 1576, e tem episódios de, em média 47 minutos. Com inúmeras características de séries juvenis, “Reign” junta fatos históricos a aquilo que os jovens adoram e é um típico elemento das séries passadas na “The CW” – amor, segredos, intrigas, paixões avassaladoras, estratégias, planos e vilões interessantes.

O seriado começa quando a jovem rainha Mary Stuart (Adelaide Kane), que cresceu em um convento, chega à França junto as suas damas de companhia para encontrar seu noivo, o príncipe Francis (Toby Regbo), e viver no castelo junto a ele. Durante a primeira temporada nós conhecemos diversos personagens e suas histórias, como a meticulosa Rainha Catherine de Medici (Megan Follows) e autoritário Rei Henry II (Alan Van Sprang), os pais de Francis, Sebastian “Bash” (Torrance Coombs), o filho bastardo do Rei Henry II,  o vidente Nostradamus (Rossif Sutherland), e o assistente de cozinha Leith (Jonathan Keltz), além das quatro damas de companhia da Rainha Mary, Lola (Anna Popplewell) , Kenna (Caitlin Stasey), Greer (Celina Sinden) e Aylee (Jenessa Grant).

A série é um romance dramático e muitas vezes também esbarra no suspense e no terror, como quando nós conhecemos Clarissa (Katie Boland), mulher que se esconde nas sombras e que também é conhecida como o fantasma do castelo. As religiões da época também fazem parte do enredo de “Reign” e, na série, conhecemos um pouco sobre o paganismo e a forma que ele era visto por aqueles que não eram pagãos – os católicos, como a maioria dos personagens. Durante as quatro temporadas que a série teve diversas reviravoltas e momentos marcantes ocorrem. Gravidez, filhos bastardos, novos amores, propostas tentadoras, assassinatos, enlouquecimentos, traições e muito sofrimento são algumas coisas que fazem parte do enredo e marcam a obra.

Como de esperado, diversas passagens históricas estão presentes no seriado. Momentos muito conhecidos e falados nas escolas, como a Peste Negra fazem, parte do enredo e figuras muito importantes para a história mundial são citadas (além dos já esperados protagonistas), como a Rainha Elizabeth I.

Sem dúvidas, “Reign” é uma série que vale a pena ser vista. O figurino é incrível, o enredo é interessante, a rainha Mary uma protagonista forte e com muita personalidade e a forma com que a realidade histórica se mistura com a ficção é curiosa e cativante. A impressão que passa ao assistirmos a série é que não estamos somente vendo um seriado e, sim, aprendendo coisas sobre a história sobre nações muito importantes na história mundial – tudo isso com aquele gostinho de série jovem que muitos adoram. Apesar disso, obviamente, nem tudo em “Reign” é fiel a história original – por exemplo, a realidade Mary não cresceu em um convento e sim no castelo onde Francis vivia. Algumas mudanças foram feitas, afinal “Reign” é uma obra de ficção.

“Reign” teve quatro temporadas e foi finalizada em 16 de junho do ano passado. No Brasil, as quatro temporadas estão disponíveis na plataforma de streaming Netflix por tempo indefinido e podem ser vistas a qualquer momento.

E aí, já assistiu “Reign”? Se não, ficou com vontade? Se ficou, corre para ver porque vale a pena! Conta para a gente a sua opinião sobre a série nos comentários!

CLOSE
CLOSE