‘Les Misérables’ livremente traduzido para o português como ‘Os Miseráveis’ é uma das principais obras do escritor Victor Hugo e foi publicada no ano de 1862. É uma obra feita pela burguesia falando sobre a miséria humana em que se encontra a sociedade francesa e já ganhou versões para o cinema em 1998 e 2013, além de versões também em Teatro Musical na Broadway e no restante do mundo.

A trama original gira em torno do personagem Jean Valjean que é preso por roubar um pão e após cumprir uma longa pena de 19 anos de prisão, tem sua vida transformada após testemunhar um ato de bondade e acaba por se tornar prefeito de uma cidade na França. Um policial de nome Javert, que foi guarda na prisão à época em que Jean Valjean esteve preso, traz consigo uma sede de vingança e, ao descobrir de quem se trata o novo prefeito, tenta incessantemente denunciar o rival como criminoso, mesmo sem provas concretas sobre o crime cometido. A história de rivalidade entre os dois atravessa décadas e tem como cenário a sociedade pré-revolução francesa. De grande complexidade, o texto traz uma mistura de realismo e romantismo em uma poderosa “arma” de denúncia de vários tipos de injustiças que o ser humano é capaz de submeter o próximo.

Provocados por este contexto, embalados pelas músicas do musical ‘Os Miseráveis’ e diante da situação em que nossa sociedade se encontra em pleno 2017 com crise política, financeira e social, que surge a necessidade de montar uma releitura associando esses contextos. A classe teatral de Niterói se juntou para a realização d’Onde estão os miseráveis‘, com dramaturgia assinada por Andrea Terra em parceria com Rafael Ferreira e Pedro Lopes, e direção de Jean Bodin, que culminou na realização da leitura-concerto que acontecerá no Teatro Municipal de Niterói dia 25 de Julho às 19 horas com entrada franca. As senhas serão distribuídas na própria bilheteria do teatro.

“De todas as peças que a gente poderia fazer no mundo, porque escolher ‘Os Miseráveis’, mais de 150 anos depois de Victor Hugo ter escrito isso? Então, é uma obra feita pela burguesia, para atender a uma demanda da burguesia, falando sobre a miséria humana, sobre a miséria social e 150 anos depois é um livro super vendido, é um filme super vendido, é um musical, é um filme do musical, é um filme do musical, é um musical que vira franquia, que vira camiseta, que vira ecobag, que vira DVD, que vira livrinho de partitura… A miséria social vende! Então, acho que é mais que oportuno lançar um olhar sobre isso. Sobre esse fenômeno.” relata a dramaturga Andrea Terra.

Unindo em um mesmo projeto um time de peso de atores Niteroienses, o espetáculo vai contar ainda com nomes importantes como na direção musical que é assinada por Dani Calazans e Silas Mendes, no coach vocal realizado por Victor Salzeda, como pianista terá Ariel Donato. Assinando a produção, temos o Coletivo Bichos de Teatro e a Associação dos Trabalhadores em Artes Cênicas de Niterói. Mas como a situação das políticas culturais no estado não está das melhores, essa galera está fazendo uma arrecadação online para cobrir os gastos já realizados. Se você quiser ajudar basta clicar aqui.

“As canções e os personagens que você ama. Como você nunca viu!” reforça o Coletivo Bichos de Teatro

O Coletivo Bichos de Teatro é um centro de pesquisa em Artes Cênicas sediado no município de Niteroi, que já atua há quatro anos e é formada por atores, produtores e pesquisadores, que primam por fomentar a cultura e desenvolver ações sustentáveis em arte. Os artistas que compõem essa “sociedade” artística tem enorme engajamento em causas sociais e também são debatedores de questões urgentes à nossa sociedade: direitos civis, questões relativas a gênero, discriminações a todos os tipos de minorias, a militância negra, a violência contra a mulher e outros.

O “Ciclo de Leituras Dramatizadas’, que é realizado desde 2009, é promovido atualmente pela ATACEN – Associação dos Trabalhadores em Artes Cênicas de Niterói – e objetiva proporcionar à cidade de Niterói e arredores o contato e acesso a textos importantes de grandes autores do teatro brasileiro e mundial.

A leitura-concerto fará parte do IX Ciclo de Leituras Dramatizadas e promete um dia de muita arte, música e militância político-sócio-cultural. Essa parceria esta dando tão certo que além dessa apresentação, o coletivo informou que já tem como meta a continuação do trabalho que se tornará um musical com estreia prevista para o ano de 2018.