Sempre adorei livros que falam um pouco da história do mundo. Seja sobre guerra, seja sobre um país ou uma situação que aconteceu. E com a narrativa desse livro não foi diferente, uma história sensacional e envolvente.

O livro “Toda luz que não podemos ver” de Anthony Doerr conta a história de duas pessoas que vivem em lugares completamente diferentes. Um está na Alemanha vivendo a realidade que o seu líder impõe, a outra está na França vivendo uma vida pacata. Porém, por causa de toda dor da guerra e em busca de liberdade, esses dois personagens a todo momento irão se encontrar, mesmo que não fisicamente.

Esse é o segundo romance de Antony Doerr, lançado em 2014. Com esse livro, o autor foi finalista do National Book Awards em 2014 em que na história temos três personagens principais: Marie-Laurie, Werner e a Segunda Guerra Mundial.

Enquanto Marie-Laurie, uma menina que perde a visão muito jovem, vive com seu pai próximo ao Museu de História Natural de Paris. Lugar onde o seu pai é chaveiro e responsável por cuidar de todas as fechaduras do museu.

Para ajudar a sua filha, o pai de Marie-Laurie cria uma maquete da cidade para ela, dessa forma a menina tem tudo o que precisa para se locomover sem precisar de ajuda.

Quando Marie-Laurie completa 12 anos, a cidade é tomada pelos nazistas. Com isso, pai e filha vão viver em Saint-Malo com o tio avô de Marie-Laurie, acabando com tudo o que Marie-Laurie conhecia. O tio avó de Marie-Laurie é um homem bastante diferente de todos os outros, que não gosta de socializar, mas uma amizade entre sobrinha-neta e tio avô nasce de forma inesperada.

Do outro lado, na Alemanha, vive Werner com sua irmã. Ele é um jovem órfão muito inteligente que cresce encantado com o rádio que ele e sua irmã encontraram no lixo. A partir daí é uma verdadeira aventura, uma vez que eles ouvem várias histórias através de um canal francês do rádio sobre ciência e aprendem muita coisa.

Com o tempo Werner ganha prática de consertar rádios, fazendo com que ele seja aceito na escola nazista e, mais tarde, acaba tendo uma missão especial: descobrir a fonte das transmissões de rádios responsáveis pela chegada dos Aliados a Normandia. Assim, Werner chega a Saint-Malo, fazendo com que finalmente o seu destino se cruze efetivamente com o de Marie-Laurie.

Pode ter certeza de que é uma história muito envolvente, com um final inesperado e um percurso muito interessante. A todo momento, mesmo sem querer, os dois personagens principais acabam se ajudando. Tudo isso ocorre por causa de pequenas decisões que os personagens tomam, é quando vemos que até a menor das decisões faz toda a diferença.

Uma história de amor e bondade no meio do caos que foi a Segunda Guerra Mundial em um livro dividido em três partes, com capítulos curtos que são alternados entre Marie-Laurie e Werner. A narrativa requer bastante atenção na sua leitura, pois mesmo não tendo palavras rebuscadas, os capítulos passeiam entre o passado e o presente com muitas informações importantes e detalhes que fazem toda a diferença.

“Toda luz que não podemos ver”

Autor: Anthony Doerr

Tradução: Maria Carmelita Dias

526 páginas

Editora: Intrínseca