Conta a lenda que há muito tempo, na época do Egito antigo, os deuses e irmãos Osíris e Ísis abençoaram a humanidade com seus poderes e por muitas eras houve muita paz. Mas um belo dia, o deus Seth, cheio de ciúmes, traiu o casal oferecendo algo muito maior pra quem lhe entregasse a fonte de poder de Ísis. A humanidade ficou cega pela ganância e levou todo povo a cair em desgraça. Fome, doença e morte estavam por todos os lados. Osíris e Ísis, furiosos com a traição, puniram a humanidade e enfrentaram Seth, banindo-o da Terra. Porém, o objeto de Ísis, fonte de poder da deusa, foi perdido entre as areias durante a batalha. E é aqui que começa a história dos nossos heróis Ahlam e Faris.

Ahlam é uma princesa, filha mais velha do sultão Abbas Mohamed Fadil, do reino de Nifah. Logo ela completa 18 anos e por isso é forçada por seu pai a se casar com o príncipe Marzuq, herdeiro de Badhi. Esse casamento arranjado seria para selar um acordo de paz entre os 2 reinos que são inimigos há anos.

No dia das bodas, o sultão presenteia a princesa com um lindo colar, diferente de tudo que ela já tinha visto. É o medalhão de Ísis, mas nem ela nem o pai sabem. A união, porém, não chega a acontecer, pois o palácio é invadido por guerreiros de Hasfah, em busca do artefato mágico. Logo depois de destruírem tudo, levam a princesa como prisioneira e a colocam no meio dos escravos. Afastada de sua família, Ahlam é obrigada a conviver com o guerreiro Faris Zahin, o mais famoso soldado do rei Lahssam e muito reconhecido por suas glórias em Hasfah.

Por ter crescido dentro de um palácio, Ahlam é muito imatura e não sabe nada da vida e nem do que acontece fora dos muros do castelo. Mas tem uma personalidade bem forte. Já o belo guerreiro Faris faz o estilo bruto. Era de família humilde e seus pais serviam ao palácio. Ele também é duro na queda, mas esconde um homem carinhoso e de coração sensível. E no meio dos 2, tem ainda Samir, o gênio djinn, um personagem engraçado e também bastante atormentado por seu passado e em busca de redenção.

Os três se unem e partem para a jornada de levar o medalhão de Ísis de volta ao Egito. Durante a aventura, eles passam por muitas provas e sacrifícios que, se falharem, podem trazer de volta o cruel deus Seth e com isso a Terra se transformará num completo caos.

O texto da autora Carol Camargo é bem leve e muito sedutor. Suas palavras nos levam para lugares e sensações deliciosas. É possível sentir a brisa, o calor e o deserto. Os diálogos são claros e envolventes e contém costumes e falas próprias da região. As descrições trazem a mesma leveza que todos os outros elementos do livro. Por se passar na Arábia e no Egito, a história aborda o preconceito que as mulheres sofriam e ainda sofrem naquele local. Ahlam ter sido escolhida para essa missão, confronta bem com a mentalidade machista.

O Medalhão de Ísis é o primeiro livro de uma trilogia que foi todo ambientado no Oriente Médio do século IV e narra a disputa de 3 reinos da Arábia pelo artefato divino que traz como presente a vida eterna. O leitor é convidado a embarcar nessa aventura que mistura fantasia, mitologia, história e romance e que com certeza será uma leitura nacional inesquecível. Já estamos contando os dias para o lançamento do segundo volume. E você, está pronto pra se aventurar?