Antes de começar a ler já tinha ouvido falar muito desse livro, mas nunca soube qual era a história. Sabia apenas que era bom e que era pura fantasia, perfeito para quem gosta de histórias de aventuras. Enfim, fui à loja e comprei o livro. Mesmo achando a capa um pouco bizarra, levei para casa.

Algumas fotos de início eu não gostei, pois elas me deram uma sensação estranha, mas essa sensação parou por aí!

Assim que comecei a ler o livro, fiquei completamente viciada na leitura. Acredite, a história é viciante! Li capítulo atrás de capítulo sem nenhuma pausa. A história é muito bem estruturada, rica em detalhes, trazendo questões interessantes à tona, ligando a todo momento o passado e o presente, além de prender a sua atenção a todo instante. Ou seja, a leitura realmente vale a pena.

Para quem não sabe, o livro vem recheado de fotos de crianças e de alguns adultos, todas antigas, sendo todas essas fotos reais, vindas de arquivos de diferentes colecionadores. Foi a partir de todas essas fotos que o escritor e autor Ransom Riggs usou a sua imaginação, criatividade e talento, criando uma história emocionante e cativante, fazendo uma mistura perfeita de ficção e fotografia.

Ransom Riggs além de escrever incríveis histórias, também realizou alguns curtas-metragens premiados, é blogueiro nas horas vagas e repórter especializado em viagens. Talvez, por isso, O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares  é recheado com tantos detalhes dos lugares em que os personagens transitam.

A narrativa em si se inicia com uma tragédia familiar, fazendo com que Jacob, um adolescente de 16 anos – personagem principal e crucial para toda a história –,  embarque em uma jornada até a ilha remota na costa do País de Gales, lugar em que descobre as ruínas do Orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares, onde seu avô viveu quando mais novo (durante a Segunda Guerra Mundial).

De início, Jacob encontra apenas uma casa em ruínas, mas depois percebe que existe muito mais do que uma casa destruída, ficando muito claro para ele que as crianças do orfanato são muito mais do que apenas peculiares. Essas crianças podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por algum motivo e de alguma forma (ninguém sabe como ou porque) ainda podem estar vivas.

A história é uma fantasia arrepiante e ilustrada de forma maestral com fotografias da época, perfeito para quem gosta de uma aventura sombria, trazendo à tona uma realidade nunca antes imaginada.

É importante destacar que o filme ganhou uma adaptação para os cinemas em 2016 e que esse é apenas o primeiro livro de uma trilogia, que conta ainda com Cidade dos Etéreos e Biblioteca de Almas.

“O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares”
Autor: Ransom Riggs
Tradução: Edmundo Barreiro e Marcia Blasques
Editora: Leya
335 páginas