“Precisei enlouquecer para ver melhor as coisas” [p.08]

Ok! Nós sabemos que o mês de agosto terminou e que ficamos devendo o último livro da trilogia de A.G.Howard. Ah! Mas vai… perdoa a gente. Agosto teve tanta coisa legal – por mais incrível que isso possa parecer – que não deu tempo de publicar tanta novidade. No entanto, agora estamos aqui nos redimindo. A última resenha vem cheia de aventuras, amores, paixões avassaladoras e àquele típico borboletar de mariposas no estômago.

“Atrás do Espelho” terminou daquela maneira, “mas o quê?!!!”. E ainda bem que Qualquer Outro Lugar já havia saído do forno, porque senão ia ser impossível aguentar a curiosidade. Alyssa Gardner havia sido internada, como sua mãe. Jeb e Morfeu, inimigos até que se prove o contrário foram levados (juntos!) para o lugar mais tenebroso que se já teve ideia nos País das Maravilhas. O pai de Alyssa tinha que conviver com a loucura da filha e o recente sumiço da esposa. Atrás do Espelho terminou um caos.

Caos: “Trata-se do princípio que afirma que uma pequena alteração ou mudança no início de um evento, no decorrer deste processo, transforma-se em consequências desproporcionais e imprevisíveis. ” (Definição do site de significados).

Para bem da verdade e com uma criatividade sem fim, a autora deixa para responder todos os nossos questionamentos nesse último livro. Afinal, estratégias à parte; como segurar o leitor, senão fazendo com que ele fique com aquele gostinho de quero mais?! Pois sim, as perguntas são respondidas, e o futuro da tríade Morfeu-Alyssa-Jeb, é esclarecido.

Mas até chegar nessa conclusão, acontece tanta coisa, mas tanta, que essa acaba sendo uma das típicas obras que te deixa com saudade quando acaba.

O País das Maravilhas agora é plano de fundo. Nossos personagens se aventuram mesmo em um lugar chamado Qualquer outro Lugar. Zona hostil, já que comporta todos os seres banidos do reino das Maravilhas. É lá, por exemplo, que encontramos a Rainha de Copas. Ela, que era da linhagem das Vermelhas, foi expulsa porque fazia coleção de corações. O que até então, não era nenhum problema, já que no País das Maravilhas subverter a ordem natural das coisas parece normal. Mas a Rainha de Copas arrancava, o que ela chamada de “relógio da vida” com tanta crueldade de seus prisioneiros, que aquele banho de sangue ficou insano demais até para os seres mais insanos que existiam.

“Qualquer Outro Lugar” também faz mutações nos seus prisioneiros. E o tempo não parece regular. As paisagens estão sempre mudando e o ser de aparência mais fofinha pode ser o indivíduo de coração mais cruel do mundo. E é nesse lugar inóspito que Jeb e Morfeu tem que aprender a lidar com as diferenças se quiserem sobreviver.

O que os apaixonados por Alyssa não sabem, é que ela agora tem uma carta na manga. E o personagem mais são de toda a trilogia – o pai – da moçoila é quem vai ter um papel fundamental no desfecho desse enredo muy loco.

Para os amantes do gênero Fantasia, é uma ótima pedida. A história é envolvente e apaixonante. Howard soube colocar no papel toda magia do País das Maravilhas de uma maneira tão intrínseca, que nós leitores, fazíamos todas as viagens que seus personagens também faziam.

Alguns erros, provavelmente de revisão, foram encontrados, mas isso de nenhuma maneira interferiu no desdobramento da narrativa. E as obras fizeram tanto sucesso, que o que era para ser apenas uma trilogia, acabou ganhando um spin-off. Sim, caros… a autora acabou lançando recentemente o livro 3.5; Sussurros no País das Maravilhas.

A obra é composta de três contos que permeiam as narrativas da trilogia. Como a própria autora disse, Sussurros é um presente para os fãs. Para todos aqueles que fizeram com que seu sonho fosse realizado. E ela promete não parar por aí. O Menino na teia é o primeiro conto, e narra sobre um dos clímaces dos outros livros. São as lembranças da mãe de Alyssa.

O segundo conto – A Mariposa no Espelho – as lembranças são de Jeb. E bom, o final do conto é o do tipo “caracoles!!!!!”. E por último, Seis coisas impossíveis, conta como foi os últimos dia de vida de Jeb e como Alyssa voltou, depois de anos e anos, ao País das Maravillhas.

Ou seja; além das histórias e de toda a aventura que a trilogia nos proporcionou, a autora realmente nos presenteou ao lançar um livro só sobre as histórias que não foram realmente contadas. Incrível!

Para você que acompanhou nossa aventura até aqui, esperamos do fundo do coração que tenha gostado. E para aqueles que chegaram agora, bom, as resenhas de O lado mais Sombrio e Atrás do Espelho já estão no site. Vocês não perderam nada por esperar.

“- As emoções nascem da fraqueza. Não quero nada com elas.” [p.27]