Uma história de amizade, perseguição e um encontro com a morte. É isso que encontramos no livro “Sacramento” de Felipe Cangussu, publicado pela Editora Arwen.

A história

A história gira em torno de quatro amigos que se conhecem na infância: Anderson, Johnny, William e Marina. Sendo que Anderson e William são primos e acabam sendo criados juntos quando os pais de Anderson morrem. Já Marina e Johnny também são primos, e têm o destino cruzado com Anderson e William, quando Anderson salva Johnny de alguns valentões no caminho para o colégio.

A história em si é muito interessante, pois acontecem diferentes fatos que no final fará todo o sentido. Além disso, também temos outro personagem que é crucial para o desenrolar de tudo – a morte. Sim, a morte em “Sacramento” é uma personagem e que não dá ponto sem nó.

O enredo

Na trama a morte reivindica a vida de Johnny, uma vez que ele já passou do prazo de validade. Porém, como ele não morreu no momento que deveria, ela cobra juros e é a partir desse ponto que os amigos e a família de Johnny passam a correr perigo.

Por isso, a Dona Morte manda uma mensagem de texto reivindicando os seus direitos:

“Querido Johnny, o seu tempo de vida expirou, queira entregar o corpo de aluguel para um dos nossos ceifadores. Você poderá fazer essa devolução através de suicídio comum. Nós disponibilizamos o “Botão”. É muito simples, barato, e nenhum cliente voltou até hoje para reclamar. Você adquire uma nove milímetros, coloca o cano na boca e aperta o botão que fica sobre o gatilho. Informamos que a não devolução do produto acarretará juros posteriores.

Remetente: Dona Morte.

Número: 666-666

Imagine, receber uma mensagem dessa “senhora”? Ainda mais no momento em que Johnny está, uma vez que acabou de passar por problemas sérios de depressão e ter tentado cometer suicídio. Pois é? Mas ele não leva a sério de início e só depois vê que a situação é real.  É quando, então, resolve salvar a vida de todos custe o que custar.

Como Johnny não pretende se matar por agora, o ceifador vai atrás dele e causa um tremendo rebuliço na cidade em que os amigos resolveram passear. É nesse ponto que nos deparamos com demônios de olhos vermelhos, muitas mortes, mambas negras, ceifadores, e muita, mas muita adrenalina.

As mortes, com certeza, são o ápice da narrativa. Principalmente por causa da forma em que são descritas – pois bem detalhadas.

A narrativa

O livro é composto de 34 capítulos muito bem construídos. A história de início parece ser um tanto simples, mas de acordo com que avançamos na leitura percebemos a sua complexidade, querendo saber logo o que vai acontecer a seguir.

Além disso, a história pode parecer um pouco calma demais, mas mesmo assim é interessante e quando a morte aparece tudo fica ainda melhor. Nos colocando a pensar se essa cobrança tem a ver com a tentativa frustrada de suicídio de Johnny.

Com uma escrita um tanto ágil, Felipe Cangussu trouxe muito dinamismo, e um humor negro bem peculiar.

Além disso, o autor escolheu tratar de diferentes momentos da vida dos amigos. Em alguns momentos falando do passado, em outros do presente. Porém, durante a história ele não diz exatamente em que momento está, por isso pode se tornar um pouco confuso no início, mas depois esse problema acaba.

A ideia de mostrar o início da amizade deles e a vida atual de cada personagem é muito interessante e importante para a trama, uma vez que é a partir do encontro dos amigos que a Dona Morte resolve dar o ar de sua graça.

“Sacramento” é muito interessante e perfeito para quem gosta de desvendar mistérios e muita adrenalina, sem contar que a edição foi muito bem feita.