Para aqueles que adoram um livro que é pura diversão “Samantha Sweet, executiva do lar” é um verdadeiro divertimento. Perfeito para quem quer passar o tempo e dar umas boas risadas.

A autora Sophie Kinsella é especialista nesse quesito, os seus livros são dinâmicos, divertidos, com protagonistas fortes, inteligentes e que ao mesmo tempo são super espertas e antenadas, mesmo que as suas vidas estejam de cabeça para baixo.

Em “Samantha Sweet, executiva do lar”, temos uma protagonista com um QI acima da média que é advogada e tem como objetivo se tornar uma das mais novas sócias do escritório de advocacia em que trabalha. Com o seu jeito único, uma capacidade imensa e muita desorganização, Samantha está focada no trabalho e não tem vida social – o que para ela não é problema algum –, porém tudo dá errado quando ela vê em sua bagunçada mesa um contrato que se esqueceu de finalizar e que vale muito dinheiro para o escritório. Com isso, ela surta e foge da encrenca.

Dessa forma, ela vai parar em frente a uma casa para pedir um remédio de dor de cabeça, mas é confundida com uma candidata ao cargo de empregada doméstica. Durante a conversa, Samantha diz a dona da casa que sabe tudo sobre os afazeres de uma casa, fala sobre pratos de chefes de cozinha de renome e inventa nomes de lugares em que já teria trabalhado. Assim, ela consegue um emprego de empregada doméstica, no qual ela não sabe fazer simplesmente nada.

“– Acho que você usava um modelo diferente – acrescenta com sabedoria enquanto ela se trava de novo. – Cada uma tem seus truquezinhos.

– Sem dúvida! – digo agarrando-me com alívio a essa desculpa. – Claro! Estou muito mais acostumada a trabalhar com uma… uma… Nimbus 2000.

Trish me olha, surpresa.

– Essa não é a vassoura do Harry Potter?

Porra.

Eu sabia que tinha ouvido em algum lugar.

– É. É – digo finalmente, com o rosto em chamas. – E também uma conhecida marca de tábua de passar roupa. Na verdade, acho que o nome da vassoura foi dado… ah… por causa da tábua de passar.”

Com certeza, toda essa história vai render muitas risadas. Afinal, os donos da casa têm que ser muito loucos para contratar uma empregada que não comprova nada do que diz, e muito menos tem noção de que ela é uma advogada em ascensão – e uma das melhores.

E claro que se tem uma protagonista feminina, tem também um protagonista masculino. O rapaz trabalha na casa em que Samantha acaba indo como doméstica. Ele é  jardineiro e o oposto em personalidade de nossa protagonista. Mas, a história deles você só vai ficar sabendo se ler o livro.

Assim, temos uma narrativa simples – afinal os livros de Sophie Kinsella sempre partem do mesmo princípio, com personagens femininas e muito divertidos – com uma escrita fácil e ágil. A diagramação também não tem nada demais, bem simples o que facilita a leitura.

Existem duas capas para esse livro, uma do ano de seu lançamento que é um pouco infantil devido a cor e os desenhos que ele contém, mas isso não impede de forma nenhuma a leitura do livro; e outra mais atual e mais bonita.

“Samantha Sweet, executiva do lar” faz parte do gênero chick-lit, que é um gênero de ficção dentro da ficção feminina. Esse gênero aborda as questões que a mulher moderna, independente, audaciosa e culta enfrenta, tais como casa, família, trabalho, viagens, compras, etc. Além de ter muito humor e ânimo leve.

Esse livro, em suas 512 páginas, nos mostra como trabalhar demais pode ser prejudicial, mas que algumas vezes é necessário e que a vida pode nos trazer muitas surpresas, nós só temos que estar abertos a isso.

Lançado pela Editora Record em 2007, “Samantha Sweet, executiva do lar” vale a pena ser lido, sendo perfeito para passar o tempo. Não é um livro de grandes lições, mas que nos faz rir, pensar na vida e até mesmo nos reinventar.

Por mais que o livro seja grande, é super rápido de ser lido. Para os adeptos de e-books, a vantagem é que ele faz parte das obras do Kindle Unlimited para quem é assinante, é só ir lá para dar uma olhadinha.

“Se aprendi uma coisa com tudo que me aconteceu, é que não existe essa coisa de maior erro da existência. Não existe essa coisa de arruinar a vida. Por acaso a vida é uma coisa muito resistente.”

Resenha: Samantha Sweet, Executiva do Lar, de Sophie Kinsella
8Pontuação geral
Votação do leitor 0 Votos
0.0